carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Vacas são mais inteligentes quando criadas em pares

Por DeLaval
postado em 21/03/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Vacas aprendem melhor quando são criadas em grupo o que pode ajuda-las a se ajustarem mais rápido a novas tecnologias para alimentação e ordenha nas fazendas mais modernas, segundo um estudo da University Of British Columbia (UBC).



Uma pesquisa publicada recentemente mostra que as bezerras leiteiras apresentam maior capacidade de aprendizado quando são “criadas juntas” no mesmo local. O estudo também fornece a primeira evidência de que a prática padrão de alojar individualmente bezerros está associada a certas dificuldades de aprendizagem.

Segundo Weary, professor do Programa de Bem Estar Animal da UBC, bezerros criados aos pares apresentam diferente forma de processar novas informações. Assim, recomendam que fazendeiros utilizem alguma forma de alojamento social para seus bezerros durante o período de aleitamento.

À medida que as fazendas se tornam cada vez mais complexas, com o rebanho interagindo com ordenhas robóticas, sistemas de alimentação automatizada e outras tecnologias, a lenta adaptação pode ser frustrante tanto para as vacas como para os fazendeiros.

“A dificuldade de ajustar-se às mudanças na rotina e no ambiente pode causar problemas para os agricultores e animais”, diz Weary, acrescentando que a mudança de uma baia individual para uma em grupo é muitas vezes tão simples quanto à remoção de uma divisória.

Os produtores, muitas vezes, mantêm os bezerros em baias individuais, acreditando que isso ajuda a reduzir a propagação de doenças. Mas Weary diz que a preocupação não se justifica se as vacas são alojadas em pequenos grupos. "O risco de um animal ficar doente e afetar os outros é real quando estamos falando de grandes grupos, mas não com grupos menores como dois ou três", diz ele.



O estudo, conduzido no Centro de Educação e Pesquisa de produção de Leite da UBC envolveu dois testes cognitivos para dois grupos de bezerros da raça Holandês alojados em baias individuais ou em pares.

No primeiro teste, os pesquisadores introduziram um novo objeto (um caixote de plástico vermelho) na baia dos bezerros. Quando expostos pela primeira vez ao novo objeto todos os bezerros mostraram interesse, como esperado. Mas depois de vários encontros com o caixote, os bezerros alojados individualmente continuaram a responder como se esta fosse sua primeira exposição, enquanto os bezerros criados em pares começaram a se habituar e ignorar o recipiente.

“O teste sugere que a criação individual pode resultar em bezerros mais sensiveis as novidades, e com menos habilidade de se habituar a mudanças no ambiente deles”; disse o professor Dan Weary. “Assim, torna-se mais dificil para uma fazenda treinar animais para fazer coisas tão simples como se deslocar por um caminho e não se assustar com uma luz ou um novo ruído”.

No segundo teste, os bezerros foram ensinados a completar uma tarefa simples, aproximando-se de uma mamadeira preta cheia de leite e evitando uma mamadeira branca vazia. Depois que os bezerros aprenderam a visitar preferencialmente a mamadeira preta os pesquisadores trocaram as cores para determinar o quanto os bezerros se ajustariam a uma mudança nas regras.

Rebecca Meagher, pós-doutoranda no Programa de Bem-Estar Animal da UBC, explica: “No início, tanto a criação individual quanto a criação em pares resistiram em fazer a tarefa, mas depois de sessões de treinamentos, as criadas em pares começaram a se aproximar da mamadeira correta enquanto os bezerros alojados individualmente persistiam com a velha estratégia, visistando a mamadeira errada. Este tipo de déficit de aprendizagem também foi encontrado em animais de laboratório que são alojados individualmente”.

Para auxiliar na criação em grupos, criando bezerras em ambientes sociáveis, a DeLaval possui em seu portfólio os alimentadores automáticos (CF1000S e CF150X) que facilitam na rotina do dia a dia, além de proporcionar bem estar para as bezerras, permitindo que elas possam mamar sempre que tiverem vontade; comportamento natural se estiverem com a mãe. Já para os primeiros dias, quando existe o maior risco de doenças, sendo a razão para muitos produtores não criar as bezerras em pequenos grupos (duas ou três bezerras) nós recomendamos a linha FeedTech® para bezerras Colostrum Supplement e Good Start. O Colostrum Supplement é um suplemento para o colostro com probiotico, vitaminas, minerais e ovo em pó que auxiliam na melhora da saúde da bezerra nos primeiros 5 dias de vida. O Good Start, ajuda na redução dos casos de diarreia nos primeiros 15 a 21 dias de vida, período de maior incidencia de diarreia; sendo a maior causa de morte em bezerros no mundo inteiro. Assim, a DeLaval pode auxiliar na melhora do comportamento das vacas no futuro, conforme sugerido nos trabalhos apresentados; através de tecnologias aplicadas nas bezerras.



Para mais informações sobre o portfólio de bezerras da DeLaval, envie seu comentário pelo box abaixo ou clique aqui.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

DeLaval    Jaguariúna - São Paulo

Indústria de insumos para a produção

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade