carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Silagem em sacos

Por Thiago Fernandes Bernardes
postado em 23/06/2016

30 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O comércio de silagem não era algo comum no passado. Este fato é compreensível porquê, de forma geral, as silagens eram e são produzidas em grandes escala, o que inviabiliza o comércio. Contudo, nos últimos anos algumas tecnologias foram desenvolvidas e estas permitiram que este tipo de alimento passasse a ser comercializado, inclusive a longas distâncias.

O silo-fardo revestido por filme plástico (popularmente chamado de ‘bola’) foi a primeira tecnologia que permitiu o comércio de silagem. As bolas apresentam peso que varia de 200 a 600 kg, podendo então ser transportáveis. As culturas associadas a este tipo de silagem são a alfafa, o azevém e a aveia e são estocadas na forma de pré-secado.

Mais recentemente surgiu a silagem ensacada (sacos de 30 a 50 kg). Grandes empresas (propriedades) passaram a produzir silagem de forma convencional, ou seja, processos de fermentação e estocagem ocorrem em silos do tipo trincheira e, posteriormente, a silagem é ensacada e vendida. Esta alternativa permitiu que a silagem de milho passasse a ser o carro chefe entre as culturas, justamente porque a planta de milho não pode ser produzida como pré-secado. Esta tecnologia trouxe muita praticidade porque pequenos volumes de silagem são comercializados, o que facilita o transporte e o manejo. Embora a silagem ensacada tenha estas vantagens, o custo ainda continua sendo a principal barreira.

Devido ao crescimento exponencial apresentado pela silagem ensacada, muitos produtores têm pensado em produzir os sacos dentro da sua propriedade ao invés de comprá-los. Contudo, é importante enfatizar que confeccionar a silagem diretamente em sacos não é recomendado. Ocorre que a compactação da massa se torna deficiente o que compromete a conservação da forragem. Ou seja, a chance do processo não se consolidar é grande. Percebam no parágrafo acima que eu explico como as empresas confeccionam os sacos. Primeiro se faz a silagem e depois a ensaca. Se você é pequeno produtor e deseja fazer pequenas quantidades de silagem utilize tambores de metal, por exemplo. O tambor permite que você compacte a massa de forragem com os pés e isso garantirá a conservação adequada.

Como a silagem em sacos é uma tecnologia recente, ainda há muitas dúvidas sobre a sua utilização em larga escala devido ao custo elevado e muitos problemas a serem corrigidos, tal como, o reduzido tempo de estocagem devido ao risco de deterioração aeróbia. Mas não há dúvidas de que o comércio de silagem em pequenas quantidades surgiu como tecnologia benéfica aos produtores.
 

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Osvaldo Celio Berno

OUTRA - OUTRO - OUTRA
postado em 23/06/2016

Estou iniciando a silagem capim cameru gostaria mais detalhes se esta correto em sacos 30 kgs tenho a maquina que ensaca e por quanto tempo pode permanescer fechado .

Roberto magalhaes Sá

São Miguel das Matas - Bahia - Produção de leite
postado em 24/06/2016

Preciso pré secar a silagem em Saco?

João Vaz

Pelotas - Rio Grande do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 24/06/2016

Falando em silagem de planta inteira (milho) e considerando que os vendedores de silagem ensacada armazenam o produto no silo e somente ensacam na hora de vender, qual o prejuizo em dias sobre a vida útil do produto para o comprador?

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade