FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Um doce (de leite!) para quem conseguir explicar!

POR VALTER GALAN

PANORAMA DE MERCADO

EM 19/07/2019

24
12

Os preços do leite UHT no atacado (preço de venda da indústria aos canais varejistas) reagiram na semana passada e estão reagindo esta semana, depois de um longo período de quase 8 semanas de quedas consecutivas. Segundo o levantamento semanal realizado pelo MilkPoint Mercado, a cotação do derivado teve elevação de 4 centavos/litro na semana de 8 a 12 de julho, fechando em R$ 2,22/litro no valor médio pago na referência São Paulo, e vem subindo novamente nesta semana.

Ainda que esta movimentação possa sugerir uma recuperação de mercado, parece mais ser fruto de um endurecimento da negociação pela indústria na última semana, na tentativa de recompor suas margens, associada a fortes geadas no sul do Brasil, que atingiram as pastagens de inverno da região e reduziram o ritmo de crescimento da produção de leite por lá.

No entanto, dado o cenário econômico ainda deteriorado e tomando o exemplo da tendência dos preços do UHT no atacado no segundo semestre de anos recentes, não é seguro apostar num início de recuperação significativa de preços do derivado, ainda que ações para reativação da economia (como liberação dos recursos do FGTS) e o bom encaminhamento da reforma da Previdência possam indicar um ambiente mais favorável a um início de recuperação econômica no segundo semestre deste ano (observe, no gráfico 1, os preços médios mensais do leite UHT no atacado nos últimos anos e em 2019).

Gráfico 1. Preços médios mensais do leite UHT no atacado – Valores deflacionados pelo IGP-DI (*)

Fonte: MilkPoint Mercado. (*) – a média de julho/2019 é parcial

Neste cenário, depois de uma forte queda de quase 50 centavos/litro desde maio, os preços do mercado spot surpreenderam, com alta de 10 centavos/litro na média Brasil (e elevações de até 30 centavos/litro em algumas negociações verificadas pela equipe do MilkPoint Mercado – observe a evolução dos preços do leite spot, média Brasil, no gráfico 2).

Gráfico 2. Evolução dos preços do leite spot – Média Brasil – Valores deflacionados pelo IGP-DI

Fonte: MilkPoint Mercado

Assim, a dificuldade de fluxo de informações, do seu timing ao longo da cadeia produtiva (ao que os estudiosos chamam de coordenação) e das variações de preços ao longo da cadeia láctea brasileira fazem com que a mesma indústria que sinaliza, abruptamente, baixas de preço ao produtor da ordem de 20 a 30 centavos/litro entre julho e agosto (em função de seus baixos preços de atacado até o momento), aumente sua ação e seus preços no spot.

O mix de custo posto fábrica ajuda (um pouco) a entender, mas certamente não explica estas movimentações incongruentes da indústria no mercado. Definitivamente o mercado lácteo brasileiro não é para amadores ou, talvez, seja para muitos deles.

VALTER GALAN

MilkPoint Mercado

24

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCELO BRANQUINHO PEREIRA

TRÊS CORAÇÕES - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/07/2019

Tendência de mercado , não é difícil de explicar. Difícil de explicar e a bagunça que as indústrias fazem no mercado , região longe do consumidor vende melhor que região próxima do consumo, produtor com baixa qualidade vendendo melhor que produtor com alta qualidade. Dentro da mesma Industria produtor com volume e qualidade semelhante com trinta centavos de diferença de remuneração. Aí sim eu gostaria que alguém explicasse qual é a lógica? Isso afeta profundamente o setor , pra você abaixar cinco centavos de custo e uma dificuldade enorme, um esforço que só quem é produtor sabe. Dai vem as indústrias e fazem essa bagunça. Se pudermos responsabilizar um elo da cadeia pela desorganização do setor , acho que todos já tem uma opinião.
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 30/07/2019

Olá Marcelo,

Demorei, mas consegui responder a esta sua importante mensagem! Acho que este ponto que você menciona é um das principais mazelas da nossa cadeia produtiva: a indústria (com honrosas exceções!) sinaliza mal (quando sinaliza!) as tendências de mercado a seus produtores e tem critérios de remuneração que são pouco objetivos, criando muita confusão na cabeça do produtor e no mercado. O mercado vai do "toda porcaria é leite" ao "todo o leite é porcaria" em questão de meses (quando não semanas!), criando expectativas e tratando de frustá-las pouco tempo depois!

Grande abraço!

Valter
SAVIO SANTIAGO

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Não vejo muita dificuldade em explicar.

Preços da matéria prima vinham pressionados por 90 dias de mercado travado e com quedas. Um cheiro de leite que veio do sudeste desestabilizou o mercado.

Adequações foram feitas e uma combinação de fatores, por você mencionados, ajudaram a colocar o trem nos trilhos.

Um dos fatores importantes é que produtos mais baratos tendem a ter um giro mais consistente. Porém os preços ainda seguem preocupantemente sem sustentação. UHT de 2,22 e SPOT de 1,32 dão razão a preço de custo da matéria-prima no entorno de 1,15 - valor que não sustenta de fato custos de produção no campo.

A crise esse ano é de consumo, e esse é o pilar que temos menor poder de correção. Como você afirmou, medidas tomadas como a injeção de capital circulante pela liberação do FGTS e a volta de investimentos graduais motivados pelas reformas, prometem corrigir esse pilar. Para quem coloca os lácteos nas gôndolas o dia a dia desses últimos três meses foi assustador.
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Sávio,

Obrigado pela participação!
Todos estes pontos que você coloca explicam o ajuste de preços (para abaixo e, talvez, tardio). Espero que o "trem tenha entrado nos trilhos" ainda que tenha séria dúvidas em relação a este ponto.

A movimentação (subida) no spot é que traz um ingrediente novo neste contexto. Sabemos que o spot ficou barato, queijeiros vendedores passaram a ser compradores, o spot ajudou a baixar o mix de custo da indústria e etc., mas fica a dúvida quanto às expectativas criadas por esta movimentação do spot no mercado daqui para a frente... será que o spot subiu no rastro do FGTS, do caminhar da reforma da Previdência e, hoje, da abertura do mercado chinês às exportações lácteas brasileiras? Algo mudou no mercado ou, novamente, mudaram as expectativas sobre ele?

Abração!

Valter
EM RESPOSTA A VALTER BERTINI GALAN
SAVIO SANTIAGO

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 24/07/2019

O spot não subiu, corrigiu de um valor muito abaixo da MP. Será que o mesmo queijeiro que comprou na oportunidade de 1,15 a 1,25 comprará a 1,35 / 1,40?

O mesmo serve para o UHT. Industrias desviaram volumes para queijos de giro e leite em pó. Até quando vai esse folego ?

Passamos por uma crise de consumo e a indústria conduziu errado os preços no campo do início do ano para cá, passando uma mensagem errada aos produtores. Eles fizeram o que deveriam: Custos ajustados e preços altos, "vamos produzir mais". Enquanto não melhorar o canal de comunicação na cadeia e reduzir as especulações o mercado passará por mais crises criadas que de conjuntura.
EM RESPOSTA A SAVIO SANTIAGO
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 24/07/2019

Oi Sávio,

Este ponto que você levanta é extremamente relevante. A comunicação entre indústria e produtor é muito ruim e errática, gerando expectativas erradas de parte a parte e reações (para cima ou para baixo) que, posteriormente, são bem demoradas de reverter. Este ano é um exemplo pronto e acabado desta questão.

Abraço!

Valter
ELISEU NARDINO

MARIPÁ - PARANÁ

EM 22/07/2019

Vai entender, aqui estão ainda anunciando mais baixa, tem produtores que já receberam menos de 1 real o litro
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Eliseu,

Obrigado pelo comentário! Grande abraço!

Valter
MARCELO BRANQUINHO PEREIRA

TRÊS CORAÇÕES - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/07/2019

Um outro fato seria o aumento de custos de produção, este ano tivemos um aumento acentuado nos custos de energia e produção de volumoso, uma queda de preço é acompanhada de queda de produção na tentativa de ajustar custos.
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Marcelo,

Obrigado pelo comentário!
De fato a queda de preços ao produtor que vemos agora tende a desacelerar a produção no segundo semestre deste ano.

Abraço!

Valter
ROBERTO JANK JR.

DESCALVADO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/07/2019

Devido à peste na China o preço do milho subiu quando todos esperavam queda. Devido às severas geadas, a safra de leite do Sul caiu quando todos esperavam alta. A indústria orquestrou queda expressiva de preços antes dos efeitos do frio olhando apenas para o início das férias. No frio as pessoas tomam mais leite.
O que aconteceu? As reações são sempre mais rapidas do que imaginamos como disse alguém aí mais abaixo. Especialmente quando tudo acontece ao contrario do que imaginamos.
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Roberto,

Obrigado pelo comentário!

De fato, esta sequência de ocorrências ajuda a explicar uma piora conjuntural no cenário de produção, mas estamos vindo de um semestre de consumo em baixa e produção em elevação. Será o quadro atual fruto de uma mudança estrutural ou de uma alteração subjetiva das expectativas da indústria, como vimos no início deste ano?

Abraço!

Valter
RODRIGO VARIZA

EM 21/07/2019

Se explica pela manipulação dos Grandes Laticínios no qual tem estoque alto de leite em pó e outros, e largam no mercado justamente nos períodos que começa recuperação da captação interna de leite e com consumo reduzido o preço pago ao produtor despenca bruscamente obrigando pequenos e médios laticínios a repassarem essa baixa , pois não tem como concorrer com os grandes nas vendas para o Varejo, ou vendem com margem bem exprimida os subprodutos do leite ou se obrigam a colocar mais leite na caixinha para tentar "reduzir o estoque" aumentando concorrência no leite de caixinha. Aí surgem promoções no mercado para forçar mais ainda o preço ladeira abaixo ao produtor pois é considerado como referência para pagamento.
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Rodrigo,

Obrigado pela participação! Acho que boa parte do teu diagnóstico é correto. Só não acredito em manipulação no setor industrial, que é muito pulverizado.

Um abraço!

Valter
HENRIQUE COSTALES JUNQUEIRA

CASTRO - PARANÁ - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 19/07/2019

Como diria o professor Teixeira Gomes, que se me lembro bem citava algo assim: "Os eventos de curto prazo nem sempre seguem as tendências de longo prazo."

O que impressiona no mercado de leite brasileiro é a velocidade das suas respostas, como bem mesmo sugeriu o articulista: Seria fruto da competência dos gestores ou uma reação intuitiva e passional frente ao desconhecido?

O que vai acontecer? Não me arrisco em dizer. Posso apenas acreditar que a produção do sul do Brasil continuará crescendo até setembro, outubro. Que os investimentos em tecnologia no sudeste continuarão a mudar o perfil da produção. Que a economia não terá reação a ponto de aumentar o consumo per capita.

Quem se arriscaria a formar estoques agora?
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Henrique,

Obrigado pelo comentário! Parece-me que o cenário vai pela direção que você aponta, mas estamos num setor que vive de expectativas e elas influencial demais as decisões!

Forte abraço!

Valter
SIMONE PARISE PERETI

TANGARÁ - SANTA CATARINA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/07/2019

parabéns, Valter pela matéria ,não explica a baixa de 0.15 centavos neste mês, para os produtores
Ainda estamos na inter safra , 30 dias de chuva em Maio e este mês geadas severas em todo Sul do país com temperaturas de -10 graus e tem gente que fala de geadas localizadas ,torou tudo os pastos , tem gente que estão mantendo as vacas so no cocho agora
O custo almentando quem paga essa conta
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Simone,

Obrigado pelo comentário!

Temos um quadro de mercado bastante difícil este ano, com o consumo desestimulado e caindo (alguns institutos de pesquisa apontam queda de mais de 6% no volume de venda de lácteos em relação ao ano passado) e a produção crescendo (segundo o IBGE, o crescimento foi de 3,1% no primeiro trimestre deste ano em relação ao ano passado).

Esta recente geada aí no sul trouxe algumas expectativas de aumento de preços no mercado e aparentemente ajudou na subida que verificamos no mercado spot.

Não parece ser um movimento sustentável, mas vale a pena seguir de perto as informações de mercado.

Abraço!

Valter
CARLOS ALBERTO TEIXEIRA ZAMBONI

CAJURU - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/07/2019

Parabéns Valter pela matéria, enigmática

Pelos movimentos que percebi nesta ultima quinzena, no mercado spot, não foram provocados por amadores mas por gestores que não percebem que o problema está no consumo e não na produção, que pode até ter caído como vc mencionou , "as geadas do sul", mas localizadas, recuperam logo, e o consumo não melhorou. Podemos ter dado um voo de galinha. Torço contra.....

abs

Zamboni
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Olá Zamboni,

Obrigado pelo comentário! Parece-me que esta reação no spot é semelhante ao que verificamos no final do ano passado/início deste ano, quando também por fatores menos objetivos e mais subjetivos, tivemos um vôo de galinha semelhante...

Abraço!

Valter
RONEY JOSE DA VEIGA

HONÓRIO SERPA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/07/2019

Sério que vcs não entendem?
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 19/07/2019

Olá Roney,

Obrigado pela participação! Você consegue entender/explicar claramente o que está acontecendo?

Grande abraço!

Valter
EM RESPOSTA A VALTER BERTINI GALAN
RONEY JOSE DA VEIGA

HONÓRIO SERPA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/07/2019

A realidade se impõe!!
EM RESPOSTA A RONEY JOSE DA VEIGA
VALTER BERTINI GALAN

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 23/07/2019

Qual realidade, Roney? A dos preços aos produtores que caem ou do leite spot que sobe?