ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Curiosidade: mexicano cria antibiótico com pele de rã que contribui com o tratamento da mastite

Um pesquisador mexicano criou um antibiótico a partir da pele de rãs que pode contribuir com a cura da inflamação nas glândulas mamárias das vacas (mastite) sem deixar rastros tóxicos no leite, além de ser uma alternativa para combater as bactérias e curar algumas doenças em humanos.

Alfonso Islas, acadêmico do campus de Ciências Biológicas da Universidade de Guadalajara, criou e patenteou a substância batizada como “ranimicina”, que utiliza as propriedades antimicrobianas que a rã desenvolve de maneira natural para se proteger no meio ambiente. O especialista em imunologia explicou que desenvolveu um estudo financiado pelo Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia mexicana para aproveitar a pele da rã americana, matéria-prima muito usada na culinária na região de Valles de Jalisco.

Islas homogeneizou pedaços de pele, extraiu as moléculas e assim descobriu que existem 23 péptidos ou moléculas que servem como antibióticos naturais. Com elas, criou uma fórmula que elimina bactérias como a Staphylococcus aureus meticilina e a Pseudomona aeruginosa, causadoras de infecções hospitalares e que mostraram ser resistentes a antibióticos como a penicilina ou seus derivados, afirmou. “Submetemos a fórmula a exames bacteriológicos e com isso foi possível matar bactérias como a Escherichia coli, entre outras”, disse o especialista.

Um de seus colegas o desafiou a testar o composto em vacas, já que boa parte delas sofrem com mastite. O antibiótico aplicado em 280 vacas doentes conseguiu curá-las em cinco dias e evitou que elas fossem retiradas do processo de produção como ocorre quando recebem o tratamento convencional, pois o antibiótico natural não deixa nenhum resíduo no leite. Isto beneficiaria os produtores de leite, que veriam reduzir as perdas econômicas por retirar as vacas da produção e pela despesa nos antibióticos comerciais.

As patentes mexicanas e internacionais de Islas já permitem a comercialização do antibiótico, cuja dose tem um custo de 2,19 pesos (US$ 0,11). Além disso, uma pele de rã de 40 gramas pode render até 100 doses. O pesquisador já conversou com empresários do México e outros países interessados em adquirir os direitos para comercializar o antibiótico. Paralelamente, Islas realiza estudos para a aplicação do antibiótico em seres humanos. “Temos resultados na aplicação para a acne, fungos e na queratite oftálmica, que surge como complicação de alguma cirurgia”, indicou.

As informações são da agência EFE, resumidas pela Equipe MilkPoint. 

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

IRAUTO GOMES DE MELO

GARANHUNS - PERNAMBUCO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/07/2018

Uma ótima notícia, agora quando é ,que vai chegar em nosso país? Será que as empresas de fato vai ter interesse em colocar esse antibiótico nas parteiras?Espero mas notícias.
VIRGINIA

GUIDOVAL - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/07/2018

Uma ótima notícia! Aguardo informação sobre o produto no mercado brasileiro.