FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Leilão GDT: preços de lácteos disparam

O leilão GDT, que ocorreu nesta terça-feira (01/11), apresentou alta expressiva em relação ao evento anterior, com o preço médio dos produtos lácteos comercializados 11,4% maior, fechando em US$3.327/ton.

O leite em pó integral foi o produto que apresentou maior alta, sendo essa de 19,8%, fechando a um preço médio de US$3.327/ton. O leite em pó desnatado teve alta de 6,5%, chegando a US$2.329/ton. O queijo cheddar teve alta de 0,9%, com o preço de US$3.317/ton.

Gráfico 1 - Histórico de preços do leilão GDT.

O volume de vendas de produtos lácteos foi 12% inferior ao leilão anterior e 18% inferior que o mesmo período do ano passado, com um total de 27.735 toneladas comercializadas.

Dentre as principais justificativas para o aumento de preços, o maior desde agosto, estão as quedas na produção na Nova Zelândia na primeira metade de outubro, devido a problemas climáticos. 

O diretor geral da Fonterra Austrália, René Dedoncker, disse que esse preço refletiu o fortalecimento dos preços mundiais dos produtos lácteos, pois apesar do mercado global de lácteos permanecer volátil, a oferta mundial de leite continuou caindo significativamente, enquanto a demanda permaneceu relativamente estável.

Os contratos futuros de leite em pó integral acompanharam a alta de preços, com elevação de 31,9% a um preço de US$3.745/ton. As projeções de preço médio para os próximos seis meses apresentaram oscilação de preços entre US$3.255 a US$3.745/ton, conforme pode ser visto na tabela 1 abaixo.

Tabela 1 - Preços futuros do leilão GDT.
Preços futuros do leilão GDT.

15

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCOS LAZARO

BARRETOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/11/2016

Só que uma coisa é fato. Ninguém é obrigado a ficar no leite. Há décadas a margem está entre negativa a positiva em 5%.
RONALDO LUBIANA

NOVA UNIÃO - RONDÔNIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/11/2016

Engraçado é que não tem nenhum comentário por parte da indústria ou distribuição. Devem estar satisfeitos com cenário atual, como diz o ditado: quem cala, consente.
MOISÉS CANDIDO BERNARTT

NOVA AURORA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/11/2016

É exatamente por isso, e vários outros motivos que já estamos cansados de ouvir, que estou deixando a cadeia produtiva., E desejo de coração uma boa sorte a todos os  produtores deste Brasil, que permanecem, sol a sol, dia a dia, ordenha à ordenha, a buscar a sustentabilidade de sua família nessa atividade tão menosprezada,  pois o produtor de leite em nosso País, é um grande herói.
ERNANI LUIZ ZORTEA

CAMPOS NOVOS - SANTA CATARINA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/11/2016

A história novamente se repete. Quando os produtores conseguem por 60/90 dias tomar um folego, novamente os grandes importadores com apoio do governo importam qualquer coisa sem considerar qualidade e inundam o mercado. As industrias por sua vez se mobilizam para não diminuir seus lucros e repassam integralmente para produtores pagarem os prejuizos
JAIRO ALEX GOMES MENESES

BIQUINHAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/11/2016

NAO SEI O VAI SER DE NOS PRODUTORES DE LEITE E DOS LATICINIOS. NOS PRODUTORE  INDIVIDADOS E OS LATICIONIOS SEM LEITE ANO QUE VEM. VAO ABAIXAR MAIS O LEITE AINDA PODE ESPERAR PARA NOVEMBRO PAGAMENTO NO MES DEZEMBRO 2016
EDUARDO AMORIM

PATOS DE MINAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/11/2016

Esperamos que haja uma reação nos preços devido a inviabilidade de importação de leite do Uruguai. A questão é quando isto irá ocorrer pois os produtores estão com a corda no pescoço.
FLORIANO DANTE ARCI

VARGINHA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/11/2016

O leite custa em media para o produtor no Brasil 1,43  p/lt,se conseguirmos vende-lo a 1,80 seria bom para ambas as partes interessadas.E não precisaríamos desta tamanha importação de leite em pó,ou seja é preciso mais do que boa vontade dos governantes e políticos.
JUAREZ MALTA TEIXEIRA

ALPINÓPOLIS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 03/11/2016

Em relação a tabela dos preços futuros do leilão GDT que reflexos poderá trazer para os preços de leite cru no Brasil para o mesmo período??
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/11/2016

O mercado de leite é coisa de louco e o leite no Brasil agoniza.



O leite em pó integral a US$ 3.747/ton é FOB. Colocado no Brasil acredito que não fique abaixo de US$ 4.496,00/ton. Se considerarmos 8.000 l de leite fluido por tonelada o preço do litro importado ficaria em R$ 1,80/litro para câmbio de R$ 3,20/US$. Isso deve servir como alerta para os produtores mas principalmente para a indústria e para o grande varejo.

O alerta serve também para o Banco do Brasil, pois, com a prática atual, é muito difícil para os produtores de leite descapitalizados quitarem um financiamento de custeio para só depois ter um início um novo processo de custeio par ser liberado cerca de 30 depois.



O Ministério da Agricultura também deve se preocupar com a agonia do leite no Brasil, pois é um produto fundamental para a saúde de jovens e idosos, o Brasil é importador de leite há décadas, incapaz de produzir para seu mercado interno, e com as dificuldades do produtor de leite essa importação tende a crescer para não haver desabastecimento, com significativo prejuízo para o País.



Marcello
LUCIANO

MADRE DE DEUS DE MINAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2016

Com um cenário desse como explicar as quedas dos preços no mercado interno?
CESAR

NOVO HORIZONTE - SANTA CATARINA - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 01/11/2016

Isso pode melhorar os preços no mercado brasileiro.
NELSON JESUS SABOIA RIBAS

GUARACI - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2016

E agora? Aqui preço ao produtor vai continuar caindo, pois o efeito do leite de verão será maior que essa reação internacional.
ROBERTO JANK JR.

DESCALVADO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2016

Ótimo. Considerando a alíquota de 25% na GDT, o equivalente base Uruguai passa de U$ 4 mil e o comparativo com o nacional sem frete e desembaraço já passa de R$ 1,60/litro com cambio a 3,27.

Vamos esperar que isso tranque as importações.
RAIMUNDO SAUER

UNAÍ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2016

Boa tarde, está explicado. O Brasil comprou todo o estoque de leite em pó que estava encalhado no mercadinho mundial.

.
CLAUDIR JORGE KUHN

TOLEDO - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/11/2016

Não é páscoa, mas,  Aleluia. Uma faísca no fim do túnel.