ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Kraft ampliará atuação no Brasil

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 04/05/2004

2 MIN DE LEITURA

0
0
A Kraft Foods, gigante da indústria alimentícia global e uma das dez maiores do setor no Brasil considera a operação no País uma de suas quatro posições prioritárias de crescimento no mundo e por isso vai aumentar seu investimento em marketing e publicidade em 2004 entre 20% a 30%, informou em Chicago (EUA) o presidente da operação brasileira, Aristides de Macedo. Segundo o Ibope Monitor, a Kraft investiu R$ 56 milhões em publicidade em 2003. Este ano, esse número pode ser de R$ 70 milhões.

A empresa, que desembarcou em no Brasil há 11 anos, ao comprar a Ki-Refresco. Em 1996 agregou a seu portfólio os produtos Lacta e em 2000 adquiriu mundialmente a Nabisco configurando um leque de produtos que a tornou líder no País em oito das dez categorias em que disputa mercado.

A Kraft admite ainda a expansão de seus negócios no País, incluindo a possibilidade de compra de novas empresas. "Nosso CEO mundial disse que o papel da companhia no Brasil é crescer e nessa estratégia se inclui a possibilidade de aquisições", enfatizou Macedo.

Questionado se entre as posições de interesse estaria a fábrica de biscoitos da Parmalat em Jundiaí (SP), o presidente admitiu a possibilidade tacitamente. "Se eu estivesse interessado, não contaria", disse diante de um grupo de jornalistas brasileiros em sua visita à maior feira de produtos para supermercados do mundo, a FMI, no centro de exposições McCormick, de Chicago.

O Brasil é a segunda maior operação da companhia no mundo fora da América do Norte, só atrás da Alemanha, tendo faturado US$ 2,6 bilhões no ano passado. A empresa investiu US$ 120 milhões nos últimos quatro anos na ampliação de sua capacidade de produção e ampliação da linha de produtos, numa estratégia que busca expor suas marcas à maior parte possível dos segmentos de consumo, numa diversificação que compensasse a estagnação do mercado de alimentos no País.

O resultado, mesmo no pior dos momentos para a Kraft no País, 2003, foi de crescimento: 5% reais e 13% nominais.

Embora não explicite planos futuros, o executivo informou que entre os produtos Kraft ainda fora do Brasil, os queijos devem ser os próximos a engrossar a plataforma de itens da fábrica de Curitiba. "Depois, os iogurtes líquidos", ressaltou Macedo. Da extensa linha de queijos, a marca fabrica no País apenas o creme Philadelphia, dono de 60% do segmento.

A empresa se empenha ainda num outro projeto no Brasil, que é o de importar produtos premium desde a matriz dos EUA. Trata-se de uma operação feita de forma independente da fábrica brasileira. O trabalho é coordenado pela Kraft Exports, cujo representante no País é o diretor da Athenas Trading S/A, Luiz Conte.

Fonte: Gazeta Mercantil (por Ismael Pfeifer), adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint