FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Ipea reduz previsão para avanço do PIB do campo

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 30/04/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

A redução das projeções para a colheita de soja nesta safra 2019/20, por causa da estiagem que prejudicou as lavouras do Rio Grande do Sul, e os impactos da pandemia da covid-19 em cadeias como as de carne bovina e cana-de-açúcar, levaram o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a revisar para baixo sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário do país em 2020. No cenário mais otimista, a estimativa agora é que o setor cresça 2,4% este ano, ante uma projeção de alta de 3,8% divulgada em março passado.

Mas novos cortes poderão ocorrer. Os pesquisadores do Ipea trabalham com a possibilidade de um maior estresse econômico e impactos mais relevantes da recessão no PIB do campo. Nesse cenário, o avanço poderá cair para 1,4% em 2020. Antes, o instituto previa alta de 2,5% no horizonte mais negativas.

Na análise mais otimista, o crescimento da agricultura será de 2,8%, ante os 4,5% projetados em março. E os problemas gaúchos pesaram na revisão. Segundo o IBGE, a colheita de soja no Rio Grande do Sul será 30,6% menor que a prevista no mês passado. Em relação à safra 2018/19, a retração chega a quase 28%.

Com isso, a taxa de crescimento do PIB para a soja em grão (produto com maior peso no valor adicionado do setor) recuou de 10,4% para 6,4%. Também ajudaram a puxar a baixa na projeção do Ipea a piora das expectativas para algodão e fumo.

Ainda na agricultura, o segmento de cana-de-açúcar, golpeado pela dupla crise que afeta o etanol - queda de demanda e de preços, por causa do tombo do petróleo - também está entre os prejudicados neste ano, embora para o açúcar produzido pelas usinas as expectativas sejam melhores.

Para a pecuária, o Ipea passou a estimar crescimento de 2% em 2020, ante os 3,5% previstos em março. Melhorou um pouco o cenário para leite e suínos, mas a carne bovina tende a sofrer mais com o “choque econômico causado pelo novo coronavírus”, afirma o instituto.

A previsão de crescimento do PIB da carne bovina foi reduzida de 3,5% para 1,1%, na melhor das hipóteses, com base em informações do USDA e dados de abate do Sistema de Inspeção Federal (SIF), que indicaram um recuo de 10,2% dos abates no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período de 2019.

No horizonte mais negativo traçado pelo Ipea, a carne bovina, proteína animal mais cara, poderá registrar redução de 6%. Nesse caso, proteínas mais baratas, como carne de frango e sobretudo ovos, poderão ser favorecidas.

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint