FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Especial Região Sul, Fazenda Cantele: 'investimos em viabilidade econômica e redução de mão de obra'

POR MAYSA SERPA

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 02/12/2019

3
14

A segunda edição do Especial Região Sul vem para mostrar que leite de qualidade não é um atributo apenas das grandes propriedades. Quem conta sua história para nós hoje é o Felipe Cantele, sucessor na Fazenda Cantele, em Vila Maria/RS.

A história dessa propriedade começa 45 anos atrás quando os pais do Felipe, recém-casados, conseguiram adquirir um pedaço de terra. Tentaram diversas atividades no campo, como hortifruti, suinocultura e produção de erva mate. “Não foram bem-sucedidos em nenhuma dessas atividades, as que realmente deram certo foram a bovinocultura de leite e a avicultura”, contou Felipe.

Apostaram, então, no leite e nos frangos. No início, a produção de leite era bem pequena, apenas para consumo da família e fabricação de queijos. Contudo, há 20 anos, já com um número maior de animais, passaram a comercializar leite, a fim de agregar renda à propriedade.

Há 7 anos, iniciou-se um processo de assistência técnica com o médico veterinário Verner Eliseu Tom Gerk. “Na época eles produziam em torno de 500 litros/dia. No início, fizemos um diagnóstico da fazenda e fiz uma proposta de trabalho, com ações de impacto imediato, médio e longo prazo. O foco inicial foi estruturar o rebanho (genética e aumento do número) e definição do manejo nutricional (pastagens perenes), com sombra e água disponível. Tudo alinhado com a gestão financeira da atividade”, contou o técnico.

Atualmente, a Fazenda Cantele conta com 85 animais, todos da raça Holandesa, estando 35 em lactação, com produção de 950 litros diários (média de 27 litros/animal/dia). Segundo Verner, o avanço na produção se deu porque os proprietários executam à risca tudo aquilo que acreditavam que poderia viabilizar a atividade, dentro de suas possibilidades. “É rotina discutirmos os avanços conquistados e os próximos passos”, disse.

Atualmente, o sistema é de semiconfinamento e os animais são alimentados com pastagens de tifton, aveia, azevém, silagem de milho, silagem de tifton e feno de capim vaqueiro. Além disso, comem ração produzida na fazenda, à base de milho, farelo de soja, casca de soja, polpa cítrica peletizada, minerais, farelo de soja convencional e bypass extrusado, calcário, bicarbonato de sódio e aditivos, como sequestrantes de micotoxinas, produtos homeopáticos e metionina.

O leite produzido é fornecido para a Nestlé, da qual recebem pagamento por volume e qualidade. Segundo Felipe, esse tipo de bonificação contribui muito para motivar o produtor. Os parâmetros de qualidade do leite possuem média de 250 mil células/mL para Contagem de Células Somáticas (CCS) e 10 mil UFC/mL para Contagem Bacteriana Total (CBT).

Quando perguntamos sobre as dificuldades de se adequar à atual legislação de qualidade do leite, o proprietário foi bem sincero: “Não foram encontradas dificuldades para atender a legislação, pois a propriedade já vem trabalhando nesse sentido há anos, procurando sempre estar dentro dos parâmetros.” Essa afirmação demonstra o compromisso da família em produzir com qualidade desde o início. Além disso, mostra que é possível, mesmo para pequenas propriedades, adequar-se às normativas vigentes e, mais que isso, permanecer bem abaixo do limite proposto.

Outro reflexo desse comprometimento e zelo é a certificação da propriedade como livre de brucelose e tuberculose, desde 2015. “Um dos pontos decisivos para o sucesso da atividade leiteira é a sanidade do rebanho. Manter os animais saudáveis se faz extremamente necessário”, afirmou Felipe.

Todos os membros da família estão envolvidos nas atividades e moram na fazenda, estando a sucessão familiar em andamento. Felipe administra a produção leiteira desde os 16 anos e toda as tomadas de decisão são por sua conta. Sua esposa, Camila Cantele, o auxilia nas atividades deste setor, enquanto seu irmão, Fernando, toma conta dos aviários em sistema de integração. Seus pais, Aidir e Zanidete, já estão aposentados, mas ainda têm participação ativa, sobretudo na produção de frangos. Segundo o técnico responsável, todos os membros são muito focados e engajados na atividade e prezam pela parceria com a assistência, o que traz os resultados positivos.


Da esquerda para a direita: Felipe, Camila, Aidir, Zanidete, Fernando e Verner.

A Fazenda Cantele se localiza no estado do Rio Grande do Sul, o que é, segundo Felipe, muito vantajoso. “Nossa região tem solos muito bons, com alta capacidade de produção. Temos chuva o ano todo e, apesar de algumas intempéries, na maioria das vezes o clima favorece. No verão, é possível plantar duas safras de milho para silagem ou pastagens de setembro a abril e, no inverno, de março a outubro, é feito o plantio de azevém e aveia."

Felipe contou ainda que as propriedades rurais ficam bem próximas às cidades, o que facilita a busca de recursos, e que a internet já é uma realidade no campo. Além disso, disse que a região é muito bem assistida por técnicos e que o setor de terceirização de serviços está em alta. Várias empresas oferecem serviços de produção de silagem, feno, distribuição de esterco líquido e cama para compost barn. “Isso facilita muito a vida do produtor, porque diminui a mão de obra e a necessidade de investimento em máquinas que são usadas durante poucos dias do ano. Assim, sobra mais tempo para cuidar do manejo dos animais”, explicou.

Como ponto negativo para produção de leite na região Sul, Felipe destacou o alto preço das terras. Devido a isso, muitos produtores recorrem ao arrendamento, que, de acordo com ele, também não é barato. “Então, para viabilizar a produção, o único jeito é aumentar o volume e reduzir os custos. Além disso, investir em diversas atividades, como, por exemplo, pecuária leiteira integrada com aves ou suínos, o que permite a utilização do adubo orgânico gerado nos galpões.”

Para finalizar, Felipe contou o segredo da sua administração: “Nossos investimentos sempre priorizam a viabilidade econômica e a redução de mão de obra. Para um contínuo aumento de produção, é necessário também um contínuo investimento em maquinários modernos, melhoria genética e qualidade do solo”. Para Verner, a Fazenda Cantele é exemplo de que, com dedicação, é possível fazer da atividade leiteira um negócio lucrativo.

Gostaria de ver alguma propriedade do Sul no nosso especial? Indique ela clicando aqui! 

MAYSA SERPA

Médica Veterinária e mestranda em Sanidade Animal pela UFLA, Editora Assistente de Conteúdo MilkPoint.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

BRUNELE WEBER CHAVES

SÃO GABRIEL - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

HÁ 2 DIAS

Há possibilidade de visita a propriedade?
CAMILA ARMILIATO CANTELE

VILA MARIA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

HÁ UM DIA

Sim aceitamos visitas
ARMANDA MONTEIRO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/12/2019

Gostaria que fosse dado mais detalhes da forma de trabalho que resultou em melhoras