FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Que medidas de segurança as propriedades leiteiras do Brasil estão tomando contra o coronavírus?

POR MAYSA SERPA

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 27/04/2020

1 MIN DE LEITURA

0
9

Para melhor entender como a pandemia de coronavírus está afetando as propriedades leiteiras no Brasil, o MilkPoint realizou uma pesquisa por meio de questionário. Obtivemos respostas de 119 propriedades, localizadas em 17 diferentes estados, que contemplam todas as regiões do País.

Para facilitar a análise e demonstração dos dados, dividimos as propriedades conforme o volume de produção diária em “Grandes” (volume superior a 10000 litros/dia), “Médias” (entre 2000 e 10000 litros/dia) e “Pequenas” (menores que 2000 litros/dia).

Neste primeiro artigo vamos apresentar as medidas de segurança adotadas nas propriedades para evitar a disseminação do coronavírus. Foi interessante observar que a maioria delas (91%) tem adotado pelo menos uma prática e que poucas (9%) foram as que responderam não estar tomando nenhuma precaução.

As ações mais frequentemente observadas foram restrição da entrada de pessoas, uso mais intensivo de EPI’s, disponibilização de álcool em gel e protocolos para recebimento de caminhões de coleta de leite e de insumos. Dentre as propriedades que disseram não estar adotando nenhuma medida, todas produzem menos que 2000 litros/dia.

Perguntamos também quanto às visitas técnicas, se estão ocorrendo de forma normal ou foram restringidas. A maioria das fazendas está recebendo apenas visitas indispensáveis (70%) e algumas restringiram entrada de qualquer pessoa de fora na propriedade (10%).

Esse movimento de restrição foi observado em todas as categorias de propriedades, contudo nas médias e pequenas foi observado uma maior frequência na resposta “Sim, recebemos visitas normalmente” e, por outro lado, um maior número de fazendas grandes que restringiram totalmente a entrada de pessoas.

Pedimos também aos produtores que responderam ao questionário que deixassem uma mensagem para os demais. A maior parte deles aconselhou que todos tenham cautela e permaneçam firmes, pois tudo vai passar. Algumas mensagens:

  • Ana Paula Ferreira dos Santos, Fazenda Paraíso, Edealina/GO: “A tendência é melhorar. Sobreviva a essa fase!”
  • Walterson, Agropecuária BioRaça, Nova Ponte/MG: “Continue, estamos aqui uns pelos outros!”
  • Agropecuária Nova Esperança, Vespasiano Corrêa/RS: “Aproveitem o momento de incertezas para organizar e aumentar a eficiência do que já existe na propriedade.”

Nos próximos artigos traremos dados sobre mudanças na dieta, secagem de animais, coleta dos laticínios e mais. Acompanhe conosco!

MAYSA SERPA

Médica Veterinária e mestranda em Sanidade Animal pela UFLA, Editora Assistente de Conteúdo MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint