ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Comissão aprova proibição de leite importado em programa do governo

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 15/12/2011

1 MIN DE LEITURA

8
0
O projeto de lei (PL) que proíbe a aquisição de leite importado em licitações públicas, para ser usado em programas sociais do governo, foi aprovado hoje pela Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. Agora, o projeto segue para as comissões de Finanças e Tributação e Constituição e Justiça. A expectativa do deputado é que o PL possa ser votado em plenário no mês de março.

O autor do PL, deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), diz que a iniciativa é válida, mas insuficiente. "Ainda precisamos limitar uma cota de importação do leite que vem do Uruguai. Do jeito solto que está não pode", diz Moreira. Para ele, o acordo assinado entre Brasil e Argentina, que limita a importação de 3.600 latas de leite em pó por mês do vizinho já vai ajudar o produtor nacional.

A medida, que pode ser vista como protecionista, é "para proteger o investimento do produtor brasileiro". De acordo com Moreira, é óbvio que os importadores vão reclamar. "Apesar dos importadores dizerem que é um protecionismo, eles não vendem aqui mais barato, ao contrário, eles compram mais barato, aumentam seus lucros e prejudicam o consumidor", diz.

A Associação Nacional de Importadores de Alimentos e Bebidas (Ania) acredita que inibindo a importação, o governo age de forma perigosa, pois não gera a competitividade, e ainda corre o risco de falta de abastecimento do produto em tempos de baixa produção no Brasil.

Além desse PL, o deputado Moreira disse que entrou com um requerimento na subcomissão para que seja retirado o artigo 2º da Medida Provisória 552, recentemente editada pela presidente Dilma Rousseff. A MP acaba com o aproveitamento do crédito presumido do PIS e da Cofins por parte das empresas de todo o setor alimentício. "Temos que reduzir custos para competirmos com os mercados argentino e uruguaio", diz Moreira. Atualmente, com o artigo 2º, os créditos presumidos foram suspensos.

A matéria é de Tarso Veloso, do Valor, resumida e adaptada pela Equipe MilkPoint.

8

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DARLANI PORCARO

MURIAÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/12/2011

Estou completamente junto  ao  Sr. Benedito de Goiás, agora só faltava entrar leite importado na merenda escolar, leite este subsidiado, basta o govêrno nos dar um apoio , e leite jamais faltará em nosso país.
RONALDO GOMES DE RESENDE

ALTO ARAGUAIA - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/12/2011

emfim uma boa noticia,vindo de brasilia, alem do pacote de bondade que aprovaram neste final de ano, pois produzir neste pais esta ficando.
SIDNEY LACERDA MARCELINO DO CARMO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 16/12/2011

Boa noticia. Em artigo anterior em que se relacionava o volume de importação e exportação verifica-se um volume muito alto de importação de soro. O soro é um resíduo industrial com grande pontencial poluidor e  um risco para o meio ambiente. Desse modo deveriam-se postar um ofício junto ao Ministério de Meio Ambiente não permitindo a importação de soro , ou seja, a importação de problema ambiental. No meu ver não se justifica importar soro se temos em quantidade suficiente no país e assim deixaremos de resolver os problemas ambientais de outros países e daremos situações oportunistas para o nosso problema.
EGON KELM

TUPARENDI - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/12/2011

Muito bem dep Moreira!
Gostaria de contribuir sugerindo a retirada de impostos de produtos que são usados na produção primária, ex: sementes, adubos, minerais, defensivos, inseticidas, fungicidas, e todos os produtos que formam as lavouras e pastagens que são no mínimo 45% do custo total da produção leitera. Somente assim poderemos competir com nossos vizinhos, pois sei de fonte segura que os insumos que os nossos vizinhos usam são em media 30% mais baratos.
BENEDITO UMBELINO DE SOUZA NETO

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 15/12/2011

Nós brasileiros copiamos a moda Europeia a Americana nas roupas nos veículos, porque nós produtores rurais não copiamos a organização de classes rurais destes países que não ficam de chapéu na mão como pedintes, mas mostram  força poder de negociação, veja como exemplo o nosso código florestal onde meia dúzia de ambientalista estão ditando as regras e nós passivamente aceitando suas imposições, enquanto no mundo inteiro a agricultura é subsidiada no Brasil é taxada com pesados impostos, reservas legais de até 80% das áreas da propriedade, competição com produtos agrícolas importados como o leite que tem subsídio no seu país, alto custo das máquinas e insumos, falta de estradas, juros alto, portos sucateados, etc. se for falar todos os problemas vou escrever um livro, precisamos reagir mostrar nossa importância, somos a base da sociedade, sem nosso trabalho não existe vida, mas somos vistos como vilões destruidores da natureza, vamos mostrar nossa força, nossa importância, temos que ter orgulho do nosso trabalho dar exemplo para nossos filhos.
ODECIO ANTONIO LARA

GUAPÉ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/12/2011

Parabéns deputado Alceu Moreira.
Esperamos seja votado o projeto de lei.
Isto é importante para a pecuária brasileira.
RONALDO CARVALHO SANTOS

CURITIBA - PARANÁ - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 15/12/2011

Muito bem. A Barreira Político -  Econômica, poderia ser posta de maneira mais tecno-inteligente. Simples:
- Analisar todo o produto importado e somente liberar após criteriosas análises dos Padrões Físico Químicos e Microbiológicos, com ênfase para Fraudes.
Garanto que metade do Leite em Pó, seria rechaçado, sabem por quê ? :
- A concorrência despacha para nós produto abaixo até dos preços de produção.
Não precisa ser um Sherlock para perceber  a mágica.
Há então uma diferença entre ser Sherlock e Serloka.
Faça-se também análises criteriosas no Leita dito como produzido no Brasil, ofertado aos Programas de govêrno, antes de de ser usado nos programas sociais.
Garantindo minha incolumidade, as minhas colocações são, em tese.
MARCELLO DE MOURA CAMPOS FILHO

CAMPINAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/12/2011

Projeto importante para o setor leiteiro nacional, especialmente para a pecuária de leite.
Parabéns ao Deputado Alceu Moreira. Esperemos que o projeto de lei seja votado e aprovado em marco.
Marcello de Moura Campos Filho
Presidente da Leite São Paulo
MilkPoint AgriPoint