ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Com aquisição da Itambé, Lactalis se torna líder na captação de leite no Brasil

Com a aquisição de 100% da Itambé Alimentos, a Lactalis vai se tornar líder na captação de leite no país, ultrapassando a suíça Nestlé. Conforme o último ranking da Leite Brasil, a Lactalis captou no ano passado 1,622 bilhão de litros de leite, atrás da Nestlé, que comprou 1,690 bilhão de litros de produtores e cooperativas. Em terceiro veio a Itambé/CCPR, com 1,104 bilhão de litros. Assim, a estimativa é que a captação conjunta de Lactalis e Itambé fique ao redor de, ao menos, 2,7 bilhões de litros anuais.

Segundo fontes próximas à companhia, o negócio também dará a Lactalis o maior faturamento do setor de lácteos no país. Conforme dados divulgados pela Lactalis, a Itambé tem receita anual de R$ 2,7 bilhões. Já a operação da Lactalis na América Latina, que inclui o Brasil, teve receita líquida de quase R$ 3,7 bilhões nos primeiros nove meses deste ano. No mundo, a francesa fatura € 17,3 bilhões por ano.

Considerada "uma tacada de mestre" por alguns observadores do mercado de lácteos, a aquisição da Itambé é importante para a Lactalis pois permitirá à empresa avançar numa região onde ainda tem pouca presença no Brasil. Atualmente, a Lactalis capta 60% do leite que processa no Rio Grande do Sul. Com a Itambé, terá um total de 18 unidades e irá ampliar as compras de matéria-prima nas bacias leiteiras de Minas Gerais e Goiás.

No comunicado, a Lactalis diz que a aquisição da Itambé trará "uma grande complementaridade geográfica e de produtos". De fato, os produtos da Itambé têm forte presença em Minas Gerais, Rio de Janeiro e também no Nordeste.

A francesa chegou ao Brasil em 2013, com a compra da Balkis. Em 2014, adquiriu ativos da LBR e as operações de lácteos que da BRF.

A virada da Lactalis, que perdeu a Vigor, mas ficou com a Itambé, por certo, não agradou à Lala, afirmaram fontes do setor. Sem a Itambé, a avaliação é de que a empresa de lácteos pagou caro pela Vigor. Além disso, a Lala amarga a terceira tentativa frustrada de comprar o laticínio mineiro.

Para Valter Galan, analista da MilkPoint, consultoria especializada em lácteos, a tendência é que a Lala continue a olhar possíveis aquisições no país, uma vez que ficou menor do que esperava inicialmente no Brasil. "O apetite [por compras] não vai acabar".

A decisão da CCPR de vender toda a Itambé logo após reassumir seu controle também surpreendeu. A avaliação no mercado é de que parte dos recursos da venda deve ser usado pela central e pelas cooperativas para quitar dívidas.

Em comunicado, a CCPR disse que "após retomar o controle da Itambé, pôde escolher o melhor parceiro para o futuro". Segundo a nota assinada pelo presidente Marcelo Candiotto, o negócio "fará com que a Itambé retome sua trajetória de sucesso, crescimento e rentabilidade, beneficiando seus consumidores, as cooperativas associadas da CCPR e seus mais de 6.000 produtores de leite". 

lactalis compra itambé

As informações são do jornal Valor Econômico.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

SIDNEY LACERDA MARCELINO DO CARMO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 08/12/2017

Prezados,



Foi vendido o referente a parte da Vigor ou a Itambé laticínios toda?