ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

China corta tarifas de importação de alguns produtos lácteos

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 01/04/2021

MENOS DE 1 MIN DE LEITURA

0
0

Nos últimos anos, a China decidiu reduzir as tarifas unilateralmente para alguns produtos, incluindo laticínios como o queijosoro de leite. Isso significa que todos os países que não têm acordos de livre comércio com a China e que pagam tarifa mais elevada, com base nesses descontos, seus produtos entram com tarifa mais baixa.

Dos principais países exportadores, essa situação se aplica à União Europeia, Estados Unidos, Argentina, Bielo-Rússia e Uruguai. Dentre esses, apenas a Nova Zelândia e a Austrália têm acordos de livre comércio com a China e tarifas mais baixas.

 

 

Para a Nova Zelândia, 0% aplica-se a um volume limitado de queijos, 6.788 toneladas. As importações da China que excederem esse volume pagarão o imposto temporário. A partir de 2021, não há mais limitações de volume para as importações de queijo da Nova Zelândia.

A Austrália é governada pelo nível de tarifa mostrado na tabela sem restrições de volume. A China aumentou significativamente suas importações de queijo nos últimos anos. Em 2020, importou 129.265 toneladas de: Nova Zelândia (56%), Austrália (14%), Dinamarca (6%) e de outros países (24%).

As informações são do Inale, traduzidas pela Equipe MilkPoint. 

*Fonte da foto: Freepik

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint