FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Brasil passa a controlar mais de 50% da exportação de soja

As disputas comerciais entre Estados Unidos e China, que ainda não têm hora marcada para terminar, abriram espaço para o aumento da participação brasileira nas exportações mundiais de soja em grão na safra internacional 2018/19, que terminará neste mês, e deverão manter em alta o protagonismo do país nesse mercado na próxima temporada. O cenário foi confirmado por novas estimativas para oferta e demanda de grãos divulgadas nesta última segunda-feira, (9), pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) — que atestaram, ainda, a consolidação do Brasil como um grande fornecedor global de milho.

De acordo com o USDA, os embarques brasileiros de soja alcançarão 76,9 milhões de toneladas no ciclo que chegará ao fim este ano, ou 51,8% do total (148,3 milhões). Em 2017/18, segundo o órgão, foram 76,2 milhões de toneladas, ou 49,8% de um volume que totalizou 153,1 milhões de toneladas. A queda do total é puxada pela China, cujas importações cairão de 94,1 milhões de toneladas, em 2017/18, para 83 milhões em 2018/19 — 56,3% do total global —, e vitimou os EUA, cuja fatia nas exportações recuará de 37,9% para 31,2% na mesma comparação.

Para a safra 2019/20, o quadro não deverá mudar muito. Embalado por uma colheita que o USDA projeta em 123 milhões de toneladas, 6 milhões a mais que em 2018/19 e volume equivalente a 35,4% do total projetado para o mundo, o Brasil deverá exportar, segundo o órgão, 76,5 milhões de toneladas, ou 50,6% de um total de 149,2 milhões. Com a renovação da tensão entre Washington e Pequim, os EUA, cuja colheita deverá cair 19%, para 100,2 milhões de toneladas, deverão exportar 48,3 milhões, ou 31,9% do total — Argentina e Paraguai tendem a ganhar pequenas fatias no comércio, e a China deverá importar 2 milhões de toneladas a mais (cerca de 85 milhões).

Se prevalecer o preço médio das exportações de soja em grão do Brasil em julho (US$ 356,6), os embarques previstos pelo USDA para o país em 2019/20 renderão US$ 27,3 bilhões. No Hemisfério Norte, a colheita de grãos da safra 2019/20 começará a ganhar força em setembro, ao passo que no Hemisfério Sul é o plantio da nova temporada que terá início no mês que vem. Ainda não há projeções oficiais no Brasil sobre as tendências para a semeadura, mas analistas preveem novo aumento, sobretudo pelo fortalecimento da “parceria” com a China — que, em mais um round da briga com os EUA, orientou recentemente suas estatais a não comprarem produtos agrícolas americanos.

Além de confirmar a consolidação do Brasil na liderança das exportações mundiais de soja em grão, o levantamento publicado nesta segunda-feira pelo USDA também apontou que o país está se firmando como um importante fornecedor de milho. Nas contas do órgão, a safra 2018/19 vai terminar com os embarques do país em 34 milhões de toneladas, ou 21% do total — em 2017/18, com 25,1 milhões de toneladas, a fatia brasileira foi de 16,9%. Embora produza muito menos que os EUA (101 milhões de toneladas, contra 366,3 milhões), o Brasil, sem problemas climáticos, tem condições de apresentar um excedente exportável expressivo, o que deverá se repetir no ciclo 2019/20.

De acordo com os dados divulgados pelo USDA, que ainda não levam em consideração estimativas concretas de plantio, o Brasil repetirá na próxima temporada o volume de produção e de exportações. Se confirmado o horizonte, o país vai se manter como o segundo maior exportador de milho do mundo, com cerca de 20% do total e, mais uma vez, atrás apenas dos americanos.

As informações são do jornal Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.