ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Mangueiras - O inverno chegou e agora?

Nesse período do ano, mais precisamente nos três estados do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o inverno se instala com dias iniciando com temperaturas próxima a 0ºC, com ventos característicos conhecidos por minuano na região sul, além das chuvas que contribuem para a sensação térmica de frio.

Esse clima interfere no sistema de ordenha, não na parte metálica mecânica do sistema, mas nas partes não constituídas de aço, onde algumas providencias são interessantes para que não tenhamos inconvenientes na hora de ordenhar.

Em textos anteriores falamos bastante sobre as teteiras e desta vez abordaremos as mangueiras, já que as mesmas sofrem com o inverno. As mangueiras se dividem em: próprias para passagem de vácuo, sem passagem do leite e próprias para passagem de leite tanto no conjunto de ordenha como na transferência do leite do sistema de ordenha para o tanque de resfriamento.

Podemos encontrar variadas matérias primas para fabricação das mangueiras para sistema de ordenha entre elas: borracha, silicone e PVC. O mais comumente encontrado e trabalhado nos sistemas de ordenhas são mangueiras produzidas a partir do PVC devido principalmente ao custo de aquisição frente as demais matérias primas.

As mangueiras de PVC, são usadas para diversas finalidades e a mangueira cristal transparente é um importante coadjuvante e é apresentada em diversos diâmetros e comercializada em lance de 25 ou 50 metros.

Seu campo de aplicação pode ser utilizado desde a construção civil até a indústria de alimentos para transferir líquidos como vinhos, leite e outros. Por ser transparente é muito empregada em situações onde se deve monitorar o processo de transporte.

A mesma possui uma validade de aproximadamente até 60 meses a partir da data de fabricação, isso se dá quando possuímos condições de armazenagem excelentes protegendo o produto da luz solar, umidade e em um ambiente com temperatura estável moderada.

Na sua aplicação a durabilidade está muito relacionada ao seu uso. Nas condições de fosso de ordenha por exemplo, as mesmas sofrem atrito ao serem arrastadas, são expostas às intempéries do tempo, sofrem ações químicas dos produtos de limpeza, choques de temperatura tanto durante ordenha como na lavagem. Na condição de tempo de repouso por vezes ficam torcidas ou dobradas.

Entre temperaturas ambientes de 5ºC a 35ºC as mesmas resistem bem, entretanto quando saímos destas temperaturas ou aproximamos as suas extremidades, podemos alterar sua maleabilidade e rigidez da mangueira podendo causar transtorno ou dificuldade no ato de ordenhar.

Imagem: amanhecer RGS – 25/05/2018 ao lado mapa indicando geadas no mesmo dia.

Nos estados do Sul, principalmente durante o inverno, o choque da temperatura do leite, a lavagem e os produtos utilizados na mesma atacam a composição do PVC, assim alterando suas características, tornando a mangueira mais rígida, comumente chamada no sul de “mangueira dura”. Isso ocorre principalmente nas mangueiras de uso já avançado, o que gera inconveniência na hora da ordenha e até mesmo alguma dificuldade.

Mangueiras de Vácuo – devido ao ressecamento podem começar a escapar das conexões e não deixam os conjuntos alinhados. Podem apresentar trincas e vazamentos.

Mangueiras de leite – podem apresentar enrijecimento das paredes, dificuldades de alinhamento dos conjuntos, podem escapar de conexão do coletor.

Portanto as trocas das mangueiras de PVC são recomendadas a cada 6 meses de utilização, após isso, além do inconveniente citado acima que é catalisado pelo frio, podem apresentar trincas e formação de biofilme interno que poderá causar transtorno na qualidade do leite.

Nos três estados do Sul uma estratégia para planejar as compras das mangueiras é o período que antevê a estação de principal desafio, o inverno. Assim trocas deveriam ter alguma sincronização com o clima e ser realizada a substituição das mangueiras na entrada do inverno. Essa prática pode evitar transtornos e facilitar o ato de ordenhar nesses dias frios e por muitas vezes ainda escuros na porção sul do Brasil seja pela manhã ou à tarde.

MANGUEIRAS ULTRA PVC

DIAMETRO

PAREDE

Mangueira do leite

14 mm

5 mm

Mangueira do leite

14 mm

5,5 mm

Mangueira do leite

15,5 mm

5 mm

Mangueira do leite

15,5 mm

5,5 mm

Mangueira do leite

19 mm

5,5 mm

Mangueira Dupla do Vácuo

7 mm

3,5 mm

Mangueira Principal do Vácuo

11 mm

5 mm

Hoje as mangueiras Ultra Inabor estão disponíveis em três diâmetros 14, 15,5 e 19 mm e variando a espessura de parede entre 5 e 5,5 mm. As mangueiras com parede 5,5 mm conferem uma maior longevidade quanto a brunir a mesma a uma superfície e perdura por mais temo sua maleabilidade.

MANGUEIRAS ULTRA DE TRANSFERÊNCIA - INABOR

DIAMETRO

PAREDE

Mangueira de Transferência

1 polegada

5,5 mm

Mangueira de Transferência

1.1/4 polegada

5,5 mm

As mangueiras conforme dito no inicio do texto podem ser fabricadas com outros materiais que conferem outras características. Como por exemplo as mangueiras confeccionadas em silicone;

MANGUEIRAS SILICONE

· Resistem a rachaduras e proliferação de bactérias que pode impactar na qualidade do leite

· Mais resistentes a deterioração provocada pelos componentes do leite e produtos químicos de limpeza

· Maior resistência a produtos clorados e temperaturas da água

· Flexibilidade e elasticidade permanente

· Resistentes a ozônio e raios UFV

· Maior durabilidade

As mesmas suportam até 12 meses de utilização em sistemas de ordenhas, desde que todos os procedimentos de lavagem sejam feitos corretamente. Seu grande empecilho de utilização está relacionado ao seu custo, que é elevado se comparado ao de PVC.

 “Mangueira Ultra Dupla Camada” nova tecnologia para valorizar ainda mais sua produção de leite.

Mangueira de dupla camada oferece benefícios de melhor performance higiênica durante o processo de lavagem devido a sua camada interna resistir e ser impermeável a detergentes e gordura do leite.

Sua coloração escura oferece uma proteção maior ao leite durante sua passagem protegendo da incidência solar e não ocorre reações na mangueira causando manchas de cores suspeitas. Ideal para utilização em sistemas com medidores eletrônicos por infravermelho pois sua opacidade não permite entrada de raios solares na câmara de medição provendo maior eficácia na medição.

Por ser dupla camada auxilia e facilita o alinhamento dos conjuntos de ordenha na vaca provendo melhor performance.

Vantagens:

Matéria Prima Importada - Camada interna não permeável a gordura - Camada externa promove maior proteção inclusive contra incidência solar - Maior resistência & flexibilidade -Ideal para sistemas com medidores eletrônicos por infravermelho, 100% atóxica.

Lissandro Stefanello Mioso

Médico Veterinário – CRMV 8457

Consultor Técnico

Para saber mais, entre em contato pelo box abaixo:

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.