FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

"Efeito do uso de Fungicida na Produtividade e Qualidade da Silagem de Milho"

Autores: Dimas A.D.B. Cardoso* e Wagner T. Estanislau*

A cultura do milho responde com muita eficiência ao uso de tecnologias e insumos para altas produtividades. A cada ano, vem demonstrando evolução constante de produtividade de grãos ao longo de décadas, em uma área de cultivo em torno de 15 Milhões de ha, o que pode ser comprovado pelo constante aumento do volume da produção. Segundo a CONAB, em 2019 estima-se uma safra recorde acima de 90 milhões de toneladas, sendo a segunda safra responsável por mais de 70% da produção.

 

 

Paralelo a este fato, mesmo sem ter um levantamento oficial de áreas de silagem no Brasil, podemos perceber um aumento das áreas de silagem e do uso de novas tecnologias de manejo buscando alta produtividade e qualidade da silagem. Dados de levantamento da Pesquisa Spark em 2018, mostram uma área de milho para silagem de 1 milhão de hectares na primeira safra. Já levantamentos da Kleffmann, revelaram uma área de silagem superior a 2 Milhões de ha, sendo a maior parte na safra verão, e com crescimento significativo de áreas de silagem na segunda safra.

Estes estudos demonstram a importância deste segmento no Brasil, principalmente com o crescimento da intensificação da produção de leite e carne através de aumento de estruturas de compost barn, free stall e confinamentos nas propriedades, e da necessidade de aumento de silagem na dieta para reduzir custos com concentrados energéticos, que segundo o SEBRAE MG (2018), correspondem a 38% do custo de produção de leite, bem como, suportar alimentação animal frente ao aumento das áreas de soja que estão avançando sobre muitas áreas de lavouras e de pastagens no Brasil na safra verão, dando espaço ao milho em sucessão na segunda safra em sua maior parte.

Com este cenário, o milho para silagem no Brasil já ocupa mais de 25% da área de milho total na primeira safra ou safra verão, sendo um segmento de mercado muito significativo.

O uso de fungicidas tem sido crescente na cultura do milho, frente aos benefícios de aumento de produtividade e da estabilidade da produção, principalmente por controlar as principais doenças e por apresentar efeitos fisiológicos nas plantas de milho.

Segundo o Prof. Durval Dourado Neto do Dep. Produção Vegetal da Esalq/Usp em Piracicaba-SP (Figura abaixo), os fungicidas, em especial as estrobilurinas, além de controlar as principais doenças do milho, atuam na planta aumentando a eficiência fotossintética, reduz a produção do hormônio etileno, prolongando o efeito “stay green” nas plantas e reduzindo a senescência das folhas, o que é muito benéfico para ampliar a janela de colheita de silagem, e também foi constatado um aumento na atividade da enzima nitrato-redutase, que melhora a eficiência de absorção de nitrogênio pela planta, um importante elemento para altas produtividades.  

 

 

No cultivo de milho para grãos, trabalhos conduzidos por Cardoso, D.A.D.B. pela Monsanto em 2004/05 e 2005/06 em Formiga-MG, observou ganhos que variam de 420 a 1.320 Kg/ha em 22 híbridos no mercado, com uma média de ganho de 804 Kg/ha, demonstrando a viabilidade desta prática, independentemente do nível de tolerância a doenças do híbrido de milho.

Além de proteger a planta das principais doenças do milho ocorrentes no Brasil como a Ferrugem (Puccinia polyssora), Cercospora (Cercospora zeae), Mancha Branca (Phaeosphaeria maydis), Helminthosporiose (Exserohilum turcicum) entre outras, ocorre um aumento significativo na produtividade.

Com o objetivo de verificar o efeito do uso de fungicidas na produtividade e na qualidade da silagem de milho no Brasil, foi implantado dois ensaios na safra verão em Patos de Minas-MG  e Tupaciguara-MG, conduzidos pelo departamento técnico da KWS Sementes e da Empresa RF-Agro, respectivamente, em 2 épocas de cultivo, compostos de 5 híbridos de milho dispostos em faixas (RB9110PRO, RB9004PRO, RB9006PRO, RB9308PRO e RB9077PRO), com e sem aplicação de fungicida à base de Picoxistrobina + Ciproconazol (400ml/ha p.c.) + 1% Adjuvante, na fase vegetativa V7/V8, correspondendo à última passada do trator na lavoura, simulando a situação do produtor que não dispõe de equipamento pulverizador de maior porte ou de avião, muito comum entre os produtores pecuaristas no Brasil.

 

 

Resultados dos ensaios:

 

 

Os resultados médios obtidos dos ensaios, mostraram os efeitos benéficos do uso de fungicida, com um ganho médio de 3,204 t/ha de massa verde e 1,090 t/ha de matéria seca, com um aumento de 2.440 Kg leite/ha e conversão similar de Kg leite/ t matéria seca, muito superior ao custo do investimento da aplicação e do produto utilizado, sendo uma excelente ferramenta para garantir produtividade com qualidade.

 

Análises bromatológicas: 3rlab

 

Do ponto de vista de qualidade bromatológica, ocorreram significativos aumentos nos teores  de amido (+3,1%), digestibilidade da fibra (TTNDFD=3,8%), nutrientes digestíveis totais (1,5%), com reduções no volume de fibra FDN (-0,9%) e FDA (-1,7%), provavelmente pelo aumento na produtividade de grãos (% amido) e pelo efeito “verde” nas plantas percebido visualmente no campo e com a tendência de redução no teor de matéria seca (-0,4%).

Conclusões:

Ao comparar as dietas com as bromatologias médias dos híbridos acima com e sem fungicida, percebemos que poderemos reduzir significativamente o nível de energia da dieta por vaca/dia ou desafiar o animal ao aumento de produção de leite.

Em resumo, o uso de fungicidas na cultura do milho para silagem promove uma tendência positiva de aumento de produção no volume de matéria seca e na qualidade nutricional da planta, o que reverte em grande benefício e eficácia para o produtor de leite ou carne no Brasil.

 

Para mais informações, entre em contato diretamente com a KWS Sementes através do box abaixo:

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.