FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

De difícil diagnóstico, tripanosomose bovina provoca grandes prejuízos e exige atenção redobrada dos produtores de leite

A tripanosomose bovina é pouco conhecida e de difícil diagnóstico, porém pode provocar muitos prejuízos aos produtores de leite. A enfermidade pode ser transmitida por diferentes vias “A transmissão pode acontecer por moscas picadoras de modo geral ou vias iatrogênicas, por meio da vacinação, caso a agulha esteja contaminada, ou via ocitocina. Outras vias ainda estão sendo estudadas, mas qualquer tipo de troca sanguínea entre animais tem grande possibilidade de transmissão da doença”, alerta o médico veterinário e PhD Alexandre Souza, gerente técnico de bovinos de leite da Ceva saúde Animal.

A tripanosomose é causada por um protozoário parasita da corrente sanguínea, conhecido no Brasil como Tripanosoma vivax, parente próximo do Tripanosoma cruzi, que causa a doença de chagas nos seres humanos. “Essa enfermidade provoca forte queda no rendimento tanto da vaca leiteira quanto do animal de corte. Além disso, se não for reconhecida e tratada rapidamente pode levar os animais à morte”, ressalta Alexandre Souza.

Redução da produção de leite, perda de peso, no caso da pecuária de corte, e problemas reprodutivos estão entre os sintomas que merecem atenção dos produtores. A anemia também é indicativa da doença, principalmente se associada à anaplasma, presente na tristeza parasitária bovina facilmente confundida com a tripanosomose. “Por se tratar muitas vezes de condição crônica, o produtor tem dificuldade de reconhecer a doença”, reforça o especialista da Ceva.

“Os produtores chegam a perder 30% do valor comercial do rebanho. Isso gera expressiva perda econômica, com a morte de animais ou com incidência subclínica e consequente redução de imunidade dos animais”, explica o gerente técnico de bovinos de leite da Ceva Saúde Animal.

Souza também alerta que se o animal tiver tristeza parasitária já é uma forte suspeita de que também pode ter a tripanosomose. “Se o produtor tiver muitos casos ou reincidência de tratamento da tristeza, abortos, eficiência reprodutiva menor do que o ideal ou perda de produção de leite, ele precisa procurar um médico veterinário pois há grande risco de ser tripanosomose”.

Por outo lado, detectada, a doença tem cura e é fácil de ser tratada, desde que com o medicamento correto. A Ceva Saúde Animal tem no portfólio Vivedium, solução tripanocida específica de longa ação, usado tanto na cura quanto na prevenção da doença. Vivedium proporciona controle efetivo, alta eficácia e persistência prolongada, com redução da mortalidade e da morbidade causadas pela tripanosome, possibilitando maior produtividade e lucratividade dos animais. Além disso, a Ceva recomenda associar medidas preventivas, como correto manejo para evitar moscas, além do cuidado especial com o uso de agulhas e controle na compra de animais, sempre realizando testes preventivos.

A Ceva Saúde Animal produziu o Guia Prático da Tripanosomose no Brasil para ajudar os produtores e técnicos a entenderem melhor a enfermidade e o seu controle. A publicação, que recebeu contribuições de vários especialistas em saúde animal, pode ser baixada para download, clique aqui.

Foto de capa cedida por André Justino Gonçalves.

Para saber mais, entre em contato pelo box abaixo.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WILTON PIRES DA SILVA

PONTALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/05/2019

Preciso de uma maior informação sobre esta doença
BEATRIZ ORTOLANI

RIO DAS PEDRAS - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 20/05/2019

Olá Wilton,

Obrigado pelo seu interesse.

Nossa equipe irá entrar em contato com você e lhe esclarecer todos os pontos relevantes à essa doença.

Obrigada

Abraço

Equipe Ceva