FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O meu rebanho merece silagem de milho?

POR THIAGO BERNARDES

E RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 24/08/2012

2 MIN DE LEITURA

25
0
A silagem de milho é o volumoso mais utilizado nas dietas de bovinos de leite e de corte no Brasil, conforme mostraram os levantamentos realizados por Bernardes (2012) e Millen et al. (2009). Este cenário ocorre porque esta espécie reúne diversas características positivas, tais como: alta ensilabilidade, produtividade e elevado valor nutritivo.

Contudo, a silagem de milho apresenta alguns aspectos que podemos considerá-los como negativos: a) a cultura é agronomicamente complexa, ou seja, exige tratos culturais frequentes e intensos (uso de fertilizantes, herbicidas, inseticidas e fungicidas), b) a colheita durante o período chuvoso também pode ser um limitante quando se pensa em compactação do solo, c) o cultivo próximo as zonas urbanas se torna inviável pelo roubo de espigas e d) o custo de produção fica vinculado ao mercado internacional.

Este último fator é quem nos chamou a atenção para a definição do título deste artigo, pois nas últimas semanas o preço da tonelada do milho grão teve um aumento exorbitante, o que afeta diretamente o preço dos insumos destinados ao cultivo desta espécie, principalmente o da semente. Desta forma, o custo da tonelada de silagem de milho neste ano e, possivelmente, nos que virão experimentará uma elevação. Considerando os itens que estão embutidos no custo de produção da silagem de milho (insumos, preparo do solo, plantio e cultivo, ensilagem e desabastecimento/distribuição), os insumos representam 49,5% do total, conforme o trabalho de Daniel et al. (2010).

Tradicionalmente, o custo da tonelada de silagem de milho é moderadamente elevado quando comparado, por exemplo, ao custo da silagem de sorgo e de cana-de-açúcar. Desse modo, só se justifica o seu uso em dietas de animais que possuem alta eficiência alimentar e produtiva, ou seja, indivíduos (animais) de baixo potencial genético não devem ser alimentados com esse tipo de silagem, pois há outras opções mais adequadas do ponto de vista logístico e econômico.

O gráfico abaixo elucida a relação de troca entre litros de leite e tonelada de matéria seca de silagem produzida, ou seja, considerando o pagamento do leite a R$ 0,85 (média do mês de julho: RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA) a fazenda teria que produzir 366, 346 e 241 litros de leite para pagar os custos de uma tonelada das silagens de milho, sorgo e cana-de-açúcar, respectivamente. Portanto, por meio da relação de troca fica mais claro para o produtor ou para o técnico (nutricionista) compreender o quanto os volumosos conservados custam e, a silagem de milho frente as outras opções, é onde se emprega mais recursos financeiros.


Figura 1. Produção de leite (litros) necessária para custear uma tonelada de matéria seca de silagem de milho, sorgo ou cana-de-açúcar

Baseado no questionamento do título deste artigo, muitos poderão nos questionar qual deveria ser a produtividade do rebanho para que a silagem de milho valesse a pena. Infelizmente, nós não temos números exatos para tal pergunta, contudo, o objetivo é alertá-los que nem todo animal é merecedor deste volumoso e, no Brasil, ainda há muitos rebanhos de baixo (ou baixíssimo) potencial produtivo que plano alimentar é a base de silagem de milho, o que torna a atividade menos viável do ponto de vista logístico e financeiro.

Produtor, leve consigo esta mensagem: ´Dieta contendo silagem de milho, é dieta para animais de média e alta exigência nutricional´. Pense nisso!

THIAGO BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

25

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/02/2013

Alberto, essa é a pergunta mais frequente entre os produtores e também a mais fácil de ser respondida. Se eu te disser que a variedade XXXX é a melhor, o que irá resolver se você não tiver mudas na sua região, pois lembre-se que esta cultura é propagada por mudas e não por sementes. Desse modo, eu recomendo que você procure usinas sucroalcooleiras mais próximas e tende conseguir mudas de variedades que possuem bom desempenho agrícola, pois estas também são as mais indicadas para a produção animal.



Att,



Thiago
ALBERTO LINTZMAIER PETIZ

MORRO REDONDO - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/02/2013

Caro Thiago



Qual a melhor variedade de cana-de-açúcar a ser implantada para a produção de silagem? Sou Produtor aqui no sul e gostaria de promover o plantio em minha propriedade.



Abraços,

Alberto.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 18/09/2012

Caro Caio



Infelizmente se torna difícil opinar a distância. A composição química dos volumosos (silagem e cana) teria que ser avaliada, para então definir as opções de acordo com os lotes.



Att,



Thiago & Rafael
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 18/09/2012

Prezado Thiago



É possível utilizar a cana-de-açúcar na dieta de animais com alta produção, como você colocou, contudo depende da proporção volumoso:concentrado na dieta. Lembrando que altas quantidades de concentrado o custo pode ser inviabilizado, bem como pode ocorrer distúrbios metabólicos nos animais.



Att,



Thiago & Rafael
CAIO GOMES

IPERÓ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/09/2012

Olá Thiago!

Primeiramente obrigado pelo retorno.
Realmente, deverei seguir essa linha de pensamento.
Mas infelizmente a roça de milho em questão veio em troca "pau-a-pau" pela cana-de-açucar justamente por não ter atingido altos índices de evolução por conta da seca, mas, de qualquer forma, não deixa de ser milho.
Sendo assim, será que seria melhor considerar a manutenção dessa cana (que também já está um pouco passada) para o rebanho inteiro, inclusive para as > 30L e o milho para vacas acima de 20 L?
Adiciono que acabei de abrir um pasto novo de Tifton Irrigado para 80% do meu rebanho em lactação, o que talvez possa entrar como agente dentro desse "bolo".

Grato mais uma vez
THIAGO ALEXANDRE SILVA

PINDORETAMA - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/09/2012

Prezados,



A título de informação, em minha propriedade, utilizo cana de açucar com única fonte de volumoso. A utilizo desde animais com produção acima dos 40 litros/dia como em animais com produção de 16 litros/dia. E isso, em dois tratos diários. Observe o meu depoimento acima. Não tenho nenhum problema quanto ao uso de cana. Uma dica que dou é que atente à maturação da cana.  Sempre opto por cortá-la quando o teor de sacarose está no ápice.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 16/09/2012

Caro Caio,



Caso a cana-de-açúcar da tua propriedade tenha valor nutricional satisfatório, você pode continuar fornecendo a mesma como volumoso na dieta, mesmo para os animais acima de 20 kg. Animais que produzem mais de 30 kg a cana-de-açúcar pode limitar consumo e, então, quebrar leite, principalmente quando os animais se encontram no estágio inicial de lactação (maior exigência). Neste caso, a silagem de milho passa ser alternativa mais viável, desde que a mesma seja de alta qualidade.



Att,



Thiago & Rafael
MAR5CIO GONÇALVES

RIO DE JANEIRO - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 14/09/2012

boa noite a todos,


       estou querendo fazer este ano silagem de capim elefante e adicionar ureia e popa citrica para tratar de vacas de media de 15 litros, alguem ja teve esta experiencia, sera uma boa opcao.


desde ja obrigado.
CAIO GOMES

IPERÓ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/09/2012

Tenho Cana-de-açucar + Uréia como base de volumoso e ração 18% A.E em minha propriedade. Acredito muito na relação custo-benefício da mesma. Logicamente o milho nos oferece melhores resultados, porém, com maior custo, ah de se lembrar.


Acabei de fazer uma troca interessante em que vou pegar cerca de 15 Ton de silagem de milho. A partir de segunda começarei um teste. Tenho vacas produzindo 35 kg e outras 8, 7kg. Minha separação de lote é:


Até 8kg - Lote C (cerca de 10 vacas) - 4kg de ração


Até 15kg - Lote B (cerca de 30 vacas) - 4 kg de ração


Até 20kg - Lote A (cerca de 15 vacas) - 7kg de Ração


Até 40 Kg - Lote AA (cerca de 10 vacas) - 7kg de Ração


A pergunta aos amigos Thiago e Rafael é:


Introduzo Silagem de Milho apenas às vacas acima dos 20kg? Nesses casos, retiro a cana?


Grato desde já,


Caio Gomes
MARCELO SPINELLI GRAZZIOTIN

PORTO ALEGRE - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/09/2012

Prezados, parabéns pela matéria e comentários. Eu tenho uma certa resistência em recomendar a utilização de silagem de milho para ovinos, devido ao seu poder de seleção na ingestão de alimentos, o que se a silagem não for bem feita, pode acarretar problemas digestivos e nutricionais. Principalmente se for utilizada em confinamento ou terminação de animais, gosto muito mais do feno!

Acontece, que em algumas situações, como suplementação de ovelhas no pré-parto, quando aqui no Rio Grande, não se pode contar com as pastagens, não vejo nada melhor, mais seguro e mais barato do que a silagem de milho.

Com relação à economicidade: quando se trabalha com animais de alto poder de conversão alimentar, como no caso de ovinos tipo carne, as análises econômicas que tenho feito sempre são positivas.

abraços a todos.
VALDIVINO DE JESUS LOPES

PORANGATU - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/09/2012

Parabéns pelo texto.

É de suma importância ficarmos alerta para os custos de produção do leite
JOSE HUMBERTO GARCIA JUNIOR

CAMPO BELO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/09/2012

estou pensando em plantar capim elefante paraiso.com ele vou trata de todo o gado solteiro,com custo bem mais baixo.vou tambem dar ele em natura junto com silagem de milho para melhorar as fibras longas.
THIAGO ALEXANDRE SILVA

PINDORETAMA - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/08/2012

Prezados,

Parabéns aos dois pelo texto. Concordo com as observações colocadas. Como a grande maioria do rebanho brasileiro é oriunda de animais mestiços, a idéia de alimentá-los com silagem de milho se torna desnecessária e inviável. Sou relativamente novo nesta atividade, há apenas quatro anos. Já fiz muitas apostas neste jogo. Algumas boas. Outras nem tanto. Mas, acerca da alimentação, não tenho dúvidas que no meu caso, o fornecimento de cana-de-açúcar como volumoso é a melhor opção. E acredito nisso por várias razões. São elas:



1.     Trabalho com animais mestiços da raça girolando (1/2, 3/4, 5/8 e 7/8) com média de 21,53 litros/dia para Ago/12. Algumas vacas possuem pico em torno dos 38 l/d;

2.     Produzo leite numa região muito quente (costa leste do Ceará);

3.     Solo arenoso;

4.     Índice pluviométrico na média estadual. Portanto, baixa;

5.     Formação e manutenção do canavial relativamente baixo, se comparado às outras culturas: milho, sorgo e capim.



Os animais recebem dois tratos diários. Hoje, as vacas em lactação estão consumindo 20 kg/trato. A única coisa que misturo à cana no cocho é um formulado de sal proteinado (milho, torta de algodão, uréia, sulfato de amônia, sal mineral e sal branco).  Cada VL consome 0,45 kg/trato. Já o concentrado, é fornecido de acordo com o volume de leite produzido. Hoje, nossos melhores animais consomem 8 kg/dia com produção em torno dos 35l/d!



--- GIROLANDO TAS ---

Produzindo leite de forma simples e eficiente!
RAMON GUIMARÃES

ARAÇATUBA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/08/2012

Com certeza Thiago!

Não podemos pensar somente em produção, volume de leite, mais sim em produzir um leite com qualidade e baixo custo!





Grato pela atenção!

JOÃO LEMKE

SÃO LOURENÇO DO SUL - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/08/2012

a questão é quanto custa uma ton de silagem e não o que renderia se fosse vender o grão . produtor de leite ,vende leite e não grão.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 28/08/2012

Prezado Ramon



A quantidade de concentrado a ser utilizada na dieta vai depender da exigência nutricional dos animais, ou seja, nem sempre dietas com cana-de-açúcar terão quantidades superiores de ingredientes concentrados frente a silagem de milho. O artigo publicado por Corrêa et al. (2003) mostrou que a cana-de-açúcar sustentou produção de até 32 Kg leite/dia, enquanto que os animais alimentados com silagem de milho tiveram produção de 34,4 Kg com a mesma quantidade de concentrado. Você não acha que essas produções podem ser interessantes do ponto de vista de manejo de alimentação?



Att,



Thiago & Rafael
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 28/08/2012

Prezados Marcello e Fábio,



As produtividades (t MS/ha) utilizadas na simulação para as culturas de milho, sorgo e cana-de-açúcar são 13,0, 13,5 e 25, respectivamente. Ressalta-se que se considerou o desempenho das espécies na época da safra (milho e cana) e safrinha (sorgo).

Como a cana-de-açúcar tem desempenho produtivo superior o custo acaba sendo inferior, pois essa é uma das vantagens dessa cultura.



Att,



Thiago & Rafael
FABIO SILVA CERQUEIRA

UBERABA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/08/2012

Prezados Rafael e Thiago,

A pergunta do Sr Marcello é interessante, qual a produção de matéria verde das 3 culturas (milho, sorgo e cana)?

Afinal isso influência muito o custo.

obrigado
JOSÉ CARLOS

COMODORO - MATO GROSSO - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 27/08/2012

Caros, parabéns pela matéria, mas assim como o Bruno, também acredito que temos que, pensarmos em alternativas que incrementem maior produção de forragem, proteína e alta digestibilidade por área.

Olhando para os caminhos do agronegócio, torna se oneroso para o produtor transformar milho e sorgo em forragem, quando o grão estão valorizado como esta, neste momento.

Mas em se falando em cana-de-açúcar, estou terminando de fazer um levantamento de custo, mas, acredito que ao colocarmos custo da silagem x proteína bruta (PB) x digestibilidade x ração concentrado utilizada para produzir um litro de leite, a silagem de milho sairá ganhando.

Diante de tal situação, acredito que, o caminho mais curto a percorrer é investir no consórcio de milho x guandu ou sorgo x guandu, como forma em produzir mais forragem por área, mantendo a palatabilidade, digestibilidade e aumentando a PB por quilo de matéria seca (MS), tendo com isso, menor custo de produção por quilo de MS.

É uma atividade que se encaixa em propriedades com baixa, média e alta tecnologia, com ganhos supliendentes aos produtores, basta efetuar algumas mudanças nas plantadeiras, para efetuar o plantio simultâneo de milho x guandu ou sorgo x guandu.

Dai, quando se fala em Agricultura Familiar, podemos indicar também o consórcio de mandioca x guandu, pensando em produzir o máximo de forragem, com alto nível de PB  na MS, conseguindo, com isso, a quase independência do uso insumos de fora da porteira (ração concentrado).

RAMON GUIMARÃES

ARAÇATUBA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/08/2012

Gostaria de lançar uma pergunta.

a troca da silagem de milho pela de cana-de-açúcar não resultaria em um maior consumo de concentrado, ração e outras suplementações? Já que as mesmas tem valores nutricionais bem diferentes.



Grato desde já!
MilkPoint AgriPoint