ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Condomínio Pizzolatto: um exemplo de sucessão familiar sem conflitos

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

EM 19/07/2017

12 MIN DE LEITURA

3
0
A história das famílias que compõem Condomínio Pizzolatto teve início com a vinda do Sr. José Antônio Pizzolatto e da Sra. Adelina Ivone Pizzolatto, naturais de Xaxim/SC, para Saudade do Iguaçu/PR no ano de 1964, quando esta cidade ainda pertencia ao município de Chopinzinho. Ambos agricultores e filhos de agricultores, eles tiveram 10 filhos: Inês, Eugênio, Ademir, Roberto, Neide, Gelson, Emília, Carmem, Nilo e Jefferson, dos quais hoje quatro (Inês, Eugênio, Ademir e Roberto) fazem parte do Condomínio Pizzolatto. Esta matéria compõe a 5ª edição do Especial Sucessão Familiar, lançado pelo MilkPoint este ano para homenagear fazendas leiteiras que têm um histórico familiar. 

No início da década 60, em uma área de 31,5 ha e por muitos anos, o trabalho era realizado exclusivamente pela família por meio da força de trabalho manual e tração animal. Dessa forma, exploravam atividades como a plantação de feijão, que ocupava 2,5 ha, milho 9,7 ha e soja 2,5 ha, com produtividades de 1.240, 1.550 e 1.490 kg/ha respectivamente nos melhores anos.

O feijão era comercializado, enquanto que o milho e a soja eram utilizados na produção de suínos, sendo comercializado apenas o excedente em anos em que a safra era boa. Na suinocultura era realizado o ciclo completo, com 13 matrizes. Possuíam ainda uma pequena área de pastagem para as vacas e animais de tração. A produção de leite era destinada ao consumo da família e o excedente transformado em queijo, que era comercializado na região. Na época já se efetuava duas ordenhas/dia e os bezerros (as) ficavam presos, porém o desenvolvimento dos mesmos era precário devido à carência de alimentação.

Com o tempo, os filhos foram casando e saindo da propriedade e a área acabou sendo deixada sob a responsabilidade dos filhos (Roberto), juntamente com (Ademir). O Sr. José e a Sra. Adelina se mudaram para Chopinzinho/PR, onde atualmente residem, passando a viver do valor que recebem da aposentadoria.

condomínio pizzolatto
Foto de 2003. Futuros sucessores do Condomínio Pizzolatto 

O Sr. Alcides Almeida é casado com Inês Pizzolatto, os quais têm os filhos Romário com 25 anos, Rael com 23 anos e Rosana com 20 anos. Romário e Rael permanecerão na propriedade e Rosana está cursando Nutrição. Ela reside na propriedade, mas, trabalha pela manhã e vai para a universidade de noite.

O Sr. Ademir Pizzolatto é casado com Rosane, sendo os filhos, Vanderson, Vanessa e Vagner com idades respectivas de 23 anos, 16 anos e 11 anos, todos na propriedade. Vanderson já definiu a sua permanência no condomínio e os demais também mostram essa tendência.

O Sr. Eugênio Pizzolatto é casado com Claudete. Eles têm dois filhos: Victor com 17 anos e Sabrina com 12 anos. Victor está iniciando o curso de Biologia, porém, tem perceptivas de permanecer na propriedade, enquanto que a Sabrina sonha em cursar Medicina e provavelmente não permanecerá na propriedade.

O Sr. Roberto Pizzolatto é casado com Maribel. Eles têm três filhos: Débora com 20 anos, Daiane com 19 anos e o Roberto Daniel com 12 anos. Débora, cursa o 4º ano de Medicina Veterinária e pretende voltar para a propriedade e aplicar seus conhecimentos profissionais na busca de melhorias. Daiane está no 2º ano de Biologia e pretende voltar para a propriedade, pois ainda sente uma ligação com a família e a propriedade. Roberto Daniel, que já está na 8ª série, pretende cursar Matemática e ser professor, mas não demonstrou vontade de sair da propriedade, pois acredita ter campo para aplicar seus conhecimentos na contabilidade necessária.

condomínio pizzolatto
Maribel Pizzolatto - responsável pelos cuidados com as bezerras 

Essas quatro famílias com seus filhos constituíram o Condomínio Pizzolatto em 20 de abril de 2001 e com relação ao leite, pretendiam como meta inicial produzir 1 mil litros de leite/mês. A ideia de constituir o condomínio foi resultado de uma série de motivações:

- Escassez de recursos/capital que as famílias enfrentavam;
- Necessidade que sentiam de evoluir principalmente na área tecnológica;
- Incentivo do projeto REDES (Redes de Referência para a Agricultura Familiar patrocinado pela Emater e IAPAR);
- Participação em excursões ao estado de Santa Catarina onde conheceram experiências positivas;
- Palestra de motivação do então membro da coordenação estadual das REDES Antônio Celso, que dentre outras coisas, demonstrava que empresas de grande porte estavam se somando para alcançar melhores resultados, enquanto que os agricultores de forma geral continuavam agindo individualmente e desorganizados, realizando negócios com pouco poder de barganha;
- Após consultoria prestada por meio da Emater Regional de Pato Branco, a qual teve o intuito de esclarecer os diferentes tipos de empresas, cooperativas, associações, dando maior ênfase sobre o sistema de condomínio, os produtores ficaram de analisar qual a melhor forma de sistema seria adotada.


Baseados nessa proposta, as famílias viram a possibilidade de tornar possível os projetos que permitiriam a realização de sonhos dificilmente alcançáveis isoladamente. Com os recursos disponíveis e animais de cada propriedade, somados à economia das instalações, novos investimentos poderiam ser feitos. Juntos, buscaram obter as vantagens da produção em escala, principalmente de leite, como se dá nas médias e grandes propriedades. As famílias vislumbravam a possibilidade de alcançar melhor qualidade, maior capacidade de armazenagem e otimização de mão de obra, permitindo que obtivessem melhores resultados econômicos e sociais.

condomínio pizzolatto
Clorado de água Emater para tratamento de água e melhoria da CBT 

Já no próprio ano de 2002, a opção foi pela bovinocultura leiteira, iniciando com um plantel de 17 vacas em lactação, 4 vacas secas, 3 novilhas (entre 2 e 3 anos), 10 novilhas (de 1 a 2 anos), 12 bezerras (de até 1 ano) e 6 machos de até 1 ano. Com isso, deram início na formação de pastagem utilizando o tifton 85 e o capim pioneiro, sendo a área total nessa época de 55,7 hectares. Neste mesmo ano, conseguiram adquirir 40 novilhas cruzadas da raça Jersey. Com a inseminação artificial, formaram um plantel da raça e, para obter animais com peso um pouco melhor, passaram a inseminar com sêmen sexado de Holandês Vermelho e Branco. Essa estratégia permitiu - além de comercializar o leite que hoje tem a produção diária de 3.128 litros - entrar no negócio de venda das novilhas excedentes. O plantel hoje é composto por 154 vacas em lactação, 15 vacas secas, 18 novilhas (de 1 a 2 anos) e 149 bezerras (de até 1 ano).

condomínio pizzolatto
Plantel de Jersey no Condomínio Pizzolatto 

Vale salientar que toda a produção agrícola fica na propriedade: o milho para silagem de planta inteira e grão úmido, o armazenamento da soja e o excedente de tifton 85 produz feno. Nestas áreas de lavoura utilizadas no verão e no inverno ocorre a integração com a pecuária leiteira, onde se planta aveia e azevém. Também é utilizada as áreas de tifton 85 com sobressemeadura de aveia no inverno para garantir sobras de pastagem o ano todo. A base da alimentação dos animais é a pastagem, complementada com silagem de milho e alimentos concentrados.

condomínio pizzolatto
Sala de alimentação do Condomínio Pizzolatto - A distribuição dos alimentos é realizada conforme balanço nutricional das vacas em lactação 

Mudanças com o tempo

Com o passar do tempo, a organização do trabalho melhorou já que as atividades foram distribuídas entre os sócios por afinidade, o que tornou o trabalho mais prazeroso e consequentemente mais produtivo. Com o tempo, a mão de obra foi se tornando qualificada por meio de cursos, palestras e excursões, trazendo assim benefícios para o grupo como: ter excedente de mão de obra, revezamento de folgas semanais e férias anuais que proporcionaram uma qualidade de vida melhor às famílias. É válido ressaltar ainda que com a constituição do condomínio, as famílias têm mais segurança para realizar investimentos.

A tarefa de gerenciamento da propriedade cabe ao Sr. Eugênio visto a sua liderança, harmonia, transparência, educação e sensatez. Ele administra os conflitos com cuidado, respeita a opinião de todos, procura aperfeiçoamento e oferece oportunidade aos demais. Sabe conversar com todos os componentes, contando sempre com o auxílio de sua esposa Claudete, que faz a contabilidade, controle zootécnico do plantel e elabora a dieta das vacas conforme suas produções.

Hoje a propriedade possui mais de 200 hectares, máquinas e equipamentos novos em boas condições de uso e instalações novas. Todas as negociações de aquisições passam por uma discussão do grupo, que se reúne mensalmente. O objetivo principal dessas reuniões com as famílias é a solução de conflitos quando se trata especificamente de investimentos de forma geral no condomínio. Assim, a transparência nas contas, receitas e despesas são mensalmente apresentadas a todos. Também, é discutido o planejamento mensal das ações para evitar correrias de última hora. Todos têm o direito de expor as ideias, o que fortalece a responsabilidade do que irão executar com qualidade e de que a propriedade pertence a todos.

Na zona rural do município de Saudade do Iguaçu/PR, o Condomínio Pizzolatto tem sido nestes últimos 17 anos, uma propriedade de referência no estado, pela trajetória das quatro famílias que se uniram e iniciaram o negócio em bovinocultura de leite. Com o apoio dos extensionistas da Emater de Pato Branco/PR, os Médicos Veterinários José Antônio Nunes Vieira e Luiz Francisco Lovato, o condomínio recebeu mais de 10.000 pessoas em realização de eventos com a metodologia “Porteira Aberta”, oficinas, dias de campo e muitas excursões vindas até de outros estados. Os trabalhos desenvolvidos e até mesmo nos eventos realizados desde o início da instituição do Condomínio Pizzolatto – com a parceria do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e com o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) – tornaram a propriedade modelo em pesquisas para a tecnologia em sistemas de produção para a agricultura familiar.

condomínio pizzolatto
Dia de Campo no Condomínio Pizzolatto 

Desafios da sucessão familiar

Para os produtores do condomínio, o grande desafio na sucessão familiar rural é saber quem vai tocar o negócio. No Condomínio Pizzolatto, não há eleitos para assumirem o posto, mas há uma expectativa de que a maioria dos filhos continue no negócio. A ideia é que parte deles volte para o campo a fim de aplicar os conhecimentos e assim, economizar na contratação de profissionais para a solução de problemas. Para os envolvidos, o assunto sucessão familiar é tratado como uma equação complicada quando pessoas da família se relacionam com o mesmo negócio, mas eles afirmam que na maioria das vezes, os resultados compensam.

Os sucessores adquiriram - com o passar dos anos - uma educação que lhes assegura uma vida com qualidade, tanto no relacionamento familiar como no trabalho. Cabe ainda destacar que a solução de conflitos soma significativamente na permanência dos sucessores, fortalecendo os laços familiares. O resultado disso é positivo e tem tudo a ver com o sucesso da propriedade. Este último, para o Condomínio Pizzolatto, também está atrelado aos cuidados e a forma de tratamento com os animais, desde o pré-parto, bezerras, novilhas, até as vacas em lactação. Tudo é preparado com dedicação e visa a satisfação das famílias.

Outro grande desafio é a transição da primeira para a segunda geração. Os sucessores não vão herdar meramente um patrimônio ou uma empresa. Simplesmente, darão a continuidade a um trabalho, algo que é bem mais complexo, pois esforça o grupo a manter os conflitos familiares bem resolvidos, pois a solução disso tem que começar no âmbito familiar. Na sucessão não pode haver indicação de um novo líder, essa liderança deve ser conquistada, legitimada pelos demais, porque esses vão ser sócios entre si.

A sucessão familiar é um tema delicado. Muitas vezes dentro da própria estrutura familiar ocorre o envolvimento de questões sentimentais e emoções, o que dificulta o entendimento para tratar dos conflitos. Já que as famílias vão aumentando, é necessário muito esforço e criatividade para trazer a nova geração para dentro do negócio, aumentando a mão de obra e a produção.

Há muitos fatores que contribuem para a permanência dos sucessores do Condomínio Pizzolatto. De maneira simples, ficarão no negócio aqueles que mostrarem vocação, interesse e capacidade para gerenciar. A sucessão é um processo que constrói o futuro. No passado, as atividades da propriedade Pizzolatto foram desenvolvidas: cresceram, melhoraram, mas para o futuro, ainda precisam enfrentar alguns percalços. De acordo com a família, a sucessão tem a veia familiar misturada com a gestão: “são anos de esforços e de preparação para que o trabalho tenha continuidade”.

condomínio pizzolatto
Projeto Trator Solidário - aquisição para facilitar os trabalhos do Condomínio Pizzolatto
 
Para os jovens do Condomínio Pizzolatto, o bom relacionamento do grupo, o entendimento e o respeito entre todos contribui para tornar o negócio prazeroso. Os filhos que já optaram em permanecer na propriedade estão adquirindo conhecimentos com as experiências dos pais e dificilmente ocorrerá êxodo rural. Para isso, o relacionamento das famílias também exige uma boa conduta. Eles também ressaltam que a história de muito trabalho, esforço e superações deve sempre ser contada para as próximas gerações, já que isso contribui para que a valorização do patrimônio e organização familiar.

Para os médicos veterinários da Emater responsáveis pelo Condomínio Pizzolatto, ao resgatar a trajetória de vida profissional e pessoal de cada membro do grupo (além da existência de uma extensa rede de parentesco), um resultado positivo foi constatado quanto ao processo sucessório.

“Os resultados evidenciam que, além do preparo para os sucessores, não há resistência por parte do líder em delegar aos jovens a continuação do negócio. Dessa forma, se constata que o planejamento do processo ocorre passiva e naturalmente. No que se refere à escolaridade, observamos que na primeira geração a maioria das pessoas tem o 1º grau completo, enquanto os filhos da segunda geração, o 2º grau. Nesse sentido, a educação pode ser vista como uma forma de equilíbrio, contando com os filhos que estão fora da propriedade em função de estarem cursando o 3º grau. A relação e organização das famílias do Condomínio Pizzolatto com seus sucessores, começou muito cedo, pois os filhos desde pequenos costumavam brincar principalmente perto do local de trabalho de seus pais. O ambiente no qual as crianças foram socializadas sempre privilegiou o trabalho. Foram os exemplos que incentivaram os filhos a seguir ou buscar a identificação com os trabalhos realizados na propriedade rural”.

Os técnicos destacaram que todos da família Pizzolatto prezam pela religiosidade e veem na sucessão a continuidade do trabalho. “Para os que saírem, boa sorte! Aproveitam os estudos para a realização de seus sonhos. Com toda a certeza, não há perdedores e vitoriosos”.

Esta matéria contou com as seguintes colaborações: José Antônio Nunes Vieira (Médico Veterinário, responsável pela gestão no Condomínio Pizzolatto e Coordenador da Emater Regional de Pato Branco/PR), Luiz Francisco Lovato (Médico Veterinário, responsável pelo social no Condomínio Pizzolatto e Gerente Regional da Emater de Pato Branco/PR) e Zelide Izabel Negri (auxiliar administrativa da Emater de Pato Branco/PR).

Confira as edições anteriores do Especial Sucessão Familiar 

Especial Sucessão Familiar, O Rancho: "pais inteligentes formam sucessores, não herdeiros"

Especial Sucessão Familiar, Sítio Três Corações: "não precisa ser fácil, basta ser possível"

Especial Sucessão Familiar, Fazenda Tambo Raio de Sol: "paciência é a palavra chave"

Especial Sucessão Familiar, Fazenda Riachão: "desmistifiquei a frase de que santo de casa não faz milagres"

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

Zootecnista pela FMVZ/UNESP de Botucatu e Coordenadora de Conteúdo do MilkPoint.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANA PAULA ROQUE

ITAPETININGA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/07/2017

Que saudade família! E que orgulho de ver o quanto vocês progrediram com sucesso! Parabéns para vocês e saibam que estão sempre nos meus pensamentos!
PAULO JOSE DA SILVA

PIRACANJUBA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 19/07/2017

Parabéns
EVA ELOISA FORMAGIO EVA

EM 19/07/2017

Materia maravilhosa. Muito instrutiva
MilkPoint AgriPoint