FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Estrutura de rebanho e reprodução vs. Retorno econômico

POR ANDRÉ NAVARRO LOBATO

PDPL/PCEPL-UFV

EM 01/09/2020

3 MIN DE LEITURA

9
18

Que a reprodução exerce um papel fundamental nos resultados financeiros em uma propriedade leiteira todos nós já sabemos, não é mesmo? Agora, você sabe qual a importância da estrutura de rebanho para o sucesso da atividade?

Vamos exemplificar de uma forma diferente. Imagine uma família com 4 pessoas, o pai, a mãe e 2 filhos, na qual apenas uma delas trabalha e gera renda para o sustento da casa. Agora imagine 2 pessoas trabalhando nessa mesma casa para sustentar as mesmas 4 pessoas. Com uma renda maior a “saúde financeira” deste lar estará melhor, concorda?

Pois, em uma propriedade leiteira, a variação na estrutura de rebanho gera um efeito semelhante à essa história acima. Quem gera a maior parte da renda são as vacas em lactação! Quanto maior o número de vacas em produção maior é a receita dessa empresa rural para sustentar o mesmo número de animais no rebanho. É claro, sabemos que os custos de uma vaca em lactação são maiores do que em qualquer outra categoria (alimentação, energia elétrica, material de ordenha, medicamentos, mão de obra, etc.), mas que certamente não superam o aumento da receita com a maior produção de leite.

Um excelente indicador para monitorar a estrutura de rebanho é a relação Vacas em lactação/Vacas Totais (VL/VT). Dois importantes fatores podem interferir diretamente nesse indicador: Intervalo de Partos (IP) e Persistência de Lactação (PL), sendo que, quanto maior o IP e menor a PL, menor tende a ser a relação VL/VT. Altos intervalos entre os partos normalmente aumentam o período em que as vacas passam secas, principalmente as com baixa persistência de lactação. Por exemplo, esperamos que vacas sem alta PL e com IP de 12 meses fiquem 10 meses em produção e 2 meses secas. Porém se esse intervalo aumentar para 15 meses, elas produzirão durante os mesmos 10 meses e ficarão 5 meses secas, sem gerar renda.

Já vacas com altas PL tendem a compensar o aumento no IP produzindo por mais tempo, por exemplo, ficando 15 meses em produção e os mesmos 2 meses seca (em um IP de 17 meses). Sendo assim, o número ideal da relação VL/VT irá variar de acordo com o IP. Se o intervalo de partos médio em uma fazenda está em 12 meses, para eu saber qual a relação ideal basta eu dividir o 10 meses esperados em produção pelo IP: 10/12 = 83,33%. Neste caso então a propriedade deveria ter no mínimo 83,33% das vacas produzindo leite! Se o IP for maior, 17 meses por exemplo, o esperado é que elas produzam por 15 meses: 15/17 = 88,2%, sendo este, o valor esperado. Porém, se elas produzirem somente por 10 meses, ficarão 7 meses secas, derrubando significativamente a relação VL/VT projetada: 10/17 = 58,8%.

Em um estudo realizado pela equipe do Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira (PDPL) em Viçosa-MG, foi realizado uma correlação estatística em 27 fazendas na zona da mata mineira entre diversos indicadores reprodutivos e de estrutura de rebanho com a taxa de remuneração do capital investido, incluindo a terra e sem a terra (TRC-CT e TRC-ST respectivamente). O indicador que teve maior correlação com o retorno econômico foi justamente a relação VL/VT, conforme demonstrado na figura abaixo.

estrutura rebanho leiteiro
Adaptado de Lobato et al. (2012)

E onde entra a reprodução nessa história? Quanto menor for o período de serviço, ou seja, menor o intervalo entre parto e concepção, menor será o intervalo de partos e consequentemente maior será a relação VL/VT. Sim! Mais vacas produzindo renda!

Nesse mesmo estudo do PDPL, foi obtida também a elasticidade entre o indicador econômico TRC-ST e alguns indicadores reprodutivos e de estrutura de rebanho, ou seja, o quanto uma variação percentual em um desses indicadores reprodutivos interfere no indicador econômico em questão. E o resultado mais significativo foi justamente com VL/TV! Para cada aumento de 1% na relação VL/TV houve uma elevação de 3,69% na TRCST.

Lembrando que para evitar interpretações errôneas, os indicadores citados foram e devem ser calculados como média ano, já que variações mensais nos valores podem ocorrer por diversos motivos como estação mais quente do ano, concentração de partos, etc.

Concluindo, um bom programa de manejo reprodutivo, bem como a seleção de animais com boa persistência de lactação são de fundamental importância para um satisfatório retorno econômico na atividade leiteira.           

O indicador VL/VT (média ano) abaixo do ideal é um sinal de que alguma coisa está errada e que deve ser corrigidq imediatamente, seja com a baixa persistência de lactação ou com a reprodução, que envolve não só o manejo reprodutivo em si, mas também vários outros pontos como boas práticas no pré e pós-parto das vacas, nutrição adequada, conforto e bem-estar animal.

9

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ CARLOS AZEVEDO

ITAPERUNA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/09/2020

Boa tarde. Sr. Dr. André Lobato.
A leitura de seus artigos são pra mim informações preciosas. Trago-lhe outro questionamento, agora em função da Pandemia. No momento alcancei 77 anos vividos. Dizem que nem parece tanto assim, por minhas atividades daquelas que não permito parar o pensamento, nem quando estou dormindo.
O que eu preciso de V. Sa. é uma orientação quanto ao que fazer em relação a comprar sêmen sexado ou de jersonlado ou holandês vermelho e branco, ou ainda a compra de novilhas daquelas raças para uma melhor produção leiteira. Para tanto tenho oportunidades desde que levante um capital através de banco que atende a área rural. O crédito naturalmente já levantei, o tenho para comprar conforme orientação solicitada ao senhor. Como disse, 77 anos e esperar pelo sêmen devo levar no mínimo 36 meses. A pandemia tirou minha renda natural na profissão como advogado, antes atuante. Assim, se possível, naturalmente, quanto antes receber sua orientação, sem qualquer compromisso seja lá como for, agradeceria. A minha situação está dificil e sem renda própria. Tenho uma pequena propriedade, 10 alqueires geométricos e 28 vacas + 12 novilhas e algumas vacas fora do leite. A produção média hoje no período de maio a outubro, gira em torno de 140 litros fora deste período posso chegar, por vezes a 300 litros diários. Aguardo ansiosamente sua inquestionável ajuda.
José Carlos Azevedo Pequeno produtor de leite. Gostaria de sua resposta por e mail ou neste espaço. O meu telefone whatsapp é o 22 998381816.
Obrigado, Senhor!
MÁRCIO SATALINO MESQUITA

GUARATINGUETÁ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/09/2020

Parabéns pelo artigo. Uma dúvida: VT pelo que eu entendi, é o número total de vacas na propriedade, ou seja, o número de vacas aptas a dar leite. É isso mesmo ? E tem algum cálculo que indique o número ideal de bezerros e novilhas (ainda não paridas) com relação ao número de vacas em produção ?
ANDRÉ NAVARRO LOBATO

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/09/2020

Obrigado Márcio.
VT é a soma das vacas em lactação e vacas secas do rebanho.

A estrutura de rebanho que julgamos como ideal para uma fazenda é:
45% vavas em lactação
10% vacas secas
45% fêmeas em cria e recria

Fico à disposição para demais dúvidas.

Abraço.
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/09/2020

Excelente!
Temos que ter mais vacas, afinal, quem dá leite é vaca....de nada adianta rebanho cheio e com muitos animais, se não há produção!!!!!
Parabéns André!
MAURÍCIO HOSHINO DA COSTA BARROS

ITAPETININGA - SÃO PAULO - MÉDICO VETERINÁRIO

EM 02/09/2020

Muito bom o artigo Lobato! Parabéns!
IGOR DE OLIVEIRA BARATA DINIZ

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 02/09/2020

Excelente artigo, muito importante elencar o que acontece no dia-a-dia da fazenda com o desempenho financeiro só negócio!
Parabéns dr. Andre Navarro.
GABRIEL THULER COSTA

EM 02/09/2020

Ótima leitura. Parabéns.
FELIPE SECCO

EM 01/09/2020

A taxa de prenhez é a melhor medida da reprodução se estiver boa o restante será consequência!
ANDRÉ NAVARRO LOBATO

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 01/09/2020

Obrigado pelo comentário Felipe.

Concordo com você, fizemos novas análises esse mês, inclusive utilizando a taxa de prenhez. Publicaremos aqui em uma outra oportunidade.

Abraço.
MilkPoint AgriPoint