ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Benefícios do uso da cama de frango como adubo em pastagens tropicais

VÁRIOS AUTORES

MARCO AURÉLIO FACTORI

EM 10/06/2011

97
0
Na produção animal em pasto, seja ela de carne ou leite ou ainda outra espécie animal que se alimente de pasto, como equídeos por exemplo, a produção da pastagem torna-se fundamental pois é base do sistema. Por ser barato, o pasto é responsável, dentre outros, pela maior parte dos animais abatidos e grande parcela do leite consumido no Brasil. Ainda, o uso de pastagem está relacionado com o clima do país que é favorável para produção de gramíneas tropicais de alta produtividade em função da disponibilidade de luz, temperatura, água e ainda, pela alta fertilidade dos nossos solos, desde que corrigidos.

Para tanto, para que haja alta produtividade, a pastagem deve ser bem manejada e durável. Sua durabilidade é fundamental pois viabiliza os sistemas em função da diluição dos custos de implantação e, ainda, os custos anuais de manutenção - quanto mais produtiva for a pastagem, maior é a diluição destes custos pelo kg de massa seca produzida.

A produtividade do capim está diretamente relacionada com a adubação nitrogenada que é responsável pela produção de folhas, principalmente. No entanto, para que se tenha produção de massa, os diversos nutrientes devem estar equilibrados na planta, nas suas devidas percentagens, para que somente assim, a produção ocorra. Assim, a ureia (adubo mais utilizado para repor nitrogênio no solo) é por muitas vezes o vilão da história. Em muitos casos, seu preço desestimula alguns produtores por ser responsável por grande parte do custo, sendo que em pastagem e em algumas situações, é o único adubo aplicado, considerando solos previamente já corrigidos.

No entanto, com a proibição do uso da cama aviária na alimentação de ruminantes, sua utilização como adubo orgânico foi a saída encontrada por avicultores e produtores de leite e corte, tornando seguro e rentável o destino desse resíduo da criação bem como a viabilização do custo de produção em substituição ao adubo químico. Para tanto, sua proibição a partir de 2001 pela Instrução Normativa nº 15 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA e pela Instrução Normativa nº8 de 26/3/2004, foi uma importante medida preventiva para se evitar no País os riscos potenciais da Encefalopatia Espongiforme Bovina - EEB, doença popularmente chamada de "mal da vaca louca".

Em tempos passados, o uso da cama como adubação era proibido e por isso, as pesquisas relacionados com o assunto eram escassas. Para tanto, atualmente, o destino das camas de aviários (cama de frango) é quase que exclusivo para adubação o que implica na realização de pesquisas que certifiquem a eficiência do uso como adubo.

Por isso, estudos conduzidos na cidade de Botucatu/SP, no sítio São Judas Tadeu, Bairro de Anhumas (Figura 1), com o apoio da Unesp/Botucatu verificaram que a adubação de cama de frango pode ser utilizada na adubação do pasto. Na ocasião, foram desenvolvidos estudos em capim Pennisetum purpureum cv Napier (Capim Elefante). O experimento considerou o uso da adubação orgânica na forma de cama de frango e mineral na forma de ureia, seguindo os tratamentos: T1 - cama de frango na dosagem de 20 toneladas por hectare, aplicada de uma única vez, 30 dias antes do primeiro ciclo de pastejo (Instrução Normativa nº 15 e nº 8 - MAPA); T2 - cama de frango na dosagem de 20 toneladas por hectare dividida em 5 aplicações, respectivamente, nos 5 ciclos de pastejo de verão; T3 - ureia na dosagem de 70 kg de nitrogênio (N) por hectare (150kg de ureia), nos respectivos ciclos de pastejo.

Figura 1 - Animais pastejando área de experimento adubada com cama de frango e ureia.



Cabe salientar que segundo a Normativa o pasto adubado com cama de frango deverá permanecer em descanso no mínimo por 30 dias para que a cama de frango seja incorporada (penetre no solo e torne-se indisponível para o animal). Este fator é muito importante em se tratando de capins que se utilizam de um período de descanso menor que 30 dias. O uso do tratamento que consiste em aplicar toda cama (20 toneladas) em única parcela atende a esta exigência, fato que pode permitir o uso de cama até mesmo para estes capins.

Alguns resultados preliminares deste experimento são bem animadores pois concluíram que a cama de frango pode ser utilizada em uma única aplicação na área, no início do verão ou término do inverno. No caso do experimento, o tratamento com cama aplicada uma única vez foi efetuado no final da seca de 2010, precisamente no início de setembro. Foram colocadas 20 toneladas por hectare de cama (2 kg por metro quadrado) distribuída a lanço na área com o capim manejado baixo, neste caso por volta de 20 cm. Este manejo facilita muito os produtores que se utilizarão desta técnica pois há possibilidade de concentrar a adubação e o processo de mecanização. Assim, a contratação de maquinário, se necessário, pode ser feita localizada facilitando o processo.

Segundo dados parciais publicados deste experimento em Botucatu, Marcelo et al. (2011) avaliaram três horas iniciais de pastejo nestes tratamentos em três pastejos de verão (dezembro a fevereiro) para quantificar a preferência dos animais pelas parcelas adubadas com cama de frango e adubo químico na forma de ureia. Concluíram que os tratamentos com cama de frango foram preferidos pelos animais quando comparados com a adubação com ureia mostrando que a adubação orgânica na forma de cama de frango em pastagens proporciona excelente aceitação da forragem pelos animais além da mesma produção de massa em comparação com o uso da ureia como adubo.

Ainda, Granuzzo et al. (2011), neste mesmo experimento, avaliando a altura do capim aos 7, 14, 21, 28 e 40 dias após o corte no quinto ciclo de pastejo, mostrou que mesmo em ciclos de pastejos no final do verão (após longo tempo de aplicação da cama de frango em única vez), concluíram que é possível a utilização da cama como adubo por permitir o crescimento (altura) das plantas dos tratamentos mesmo quando comparado com a ureia normalmente utilizada como fonte de nitrogênio.

Parise et al. (2011), trabalhando com avaliação das relações folha colmo e folha material deste mesmo experimento, concluíram que a adubação orgânica pode ser utilizada na adubação de pastagem, pois mantém a relação folha/colmo da forragem em comparação as adubações químicas por meio de ureia, como excelente alternativa nas produções que se utilizam da pastagem como fonte de volumoso.

Como citado anteriormente, as pesquisas com adubação de pastagem com cama de frango eram escassas uma vez que até mesmo a proibição da cama como adubo em pastagem acontecia. No entanto, hoje a adubação de cama de frango em pasto é excelente saída tanto para aproveitamento deste material por parte de produtores de frango quanto para reposição de nitrogênio para aumento de produtividade da pastagem, para os pecuaristas. Em suma, a utilização é viável também em preço quando comparada a ureia.

No entanto, o único entrave para utilizar a cama como adubo é o frete que poderá encarecer o seu uso, mas em termos de fertilização do solo, contribui não só com o nitrogênio mas ainda com fósforo, potássio e outros nutrientes. Assim, sua utilização é 100% viável para a produção de massa, fertilidade do solo, e aceitação do pasto pelos animais uma vez que não interfere em nada quando comparada com a adubação nitrogenada na forma de ureia.

Referências bibliográficas

GRANUZZO, J.T.; MEIRELLES, P.R;L.; PARISE, F.A.; FACTORI, M.A.; MARCELO,E.T. Altura do capim elefante em função da adubação orgânica e mineral. Anais... CIC - Congresso de Iniciação Científica da UNESP - Botucatu SP, 2011.

MARCELO,E.T.; MEIRELLES, P.R;L.; FACTORI, M.A.; COSTA, C.; GRANUZZO, J.T. Preferência de pastejo do capim elefante em função da adubação orgânica e mineral. Anais... CIC - Congresso de Iniciação Científica da UNESP - Botucatu SP, 2011.

PARISE, F.A.; MEIRELLES, P.R;L.; GRANUZZO, J.T.; FACTORI, M.A.; PESSIN, R.F. Avaliação da relação folha colmo e folha material morto do capim pennisetum purpureum cv. napier em função da adubação orgânica e mineral. Anais... CIC - Congresso de Iniciação Científica da UNESP - Botucatu SP, 2011.

MARCO AURÉLIO FACTORI

Professor na UNOESTE - Presidente Prudente
Zootecnista, Dr. em Zootecnia pela FMVZ/UNESP - Botucatu SP. Manejo de Pastagens, Conservação de Forragens e Nutrição Animal com foco em nutrição de Ruminantes.

ERIKA TAGIMA MARCELO

Graduanda em Zootecnia - FMVZ/UNESP/Botucatu/SP

FELIPE ANTONIO PARISE

Graduando em Zootecnia
FMVZ - UNESP/BOTUCATU

97

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 06/02/2017

Prezado Francisco



A cama pode ser aplicada em qualquer época, mais a viabilidade se dá no inicio do verão, em termos de aproveitamento dos nutrientes. Sempre pensamos que a adubação deve ser feita para qualquer pastagem seja ela boa ou ruim. Por isso não recomendamos uma ou outra mas sim em todas. Para tanto, os custos são menores com adubação naquelas que já tem produção. Att. Marco Aurélio Factori
FRANCISCO ERMEL

IGUATEMI - MATO GROSSO DO SUL

EM 06/02/2017

Outra dúvida. É mais interessante usar cama de frango em pastagens mais fracas para melhorá-las ou nas melhores pastagens para melhor aproveitamento?
FRANCISCO ERMEL

IGUATEMI - MATO GROSSO DO SUL

EM 06/02/2017

É proveitoso espalhar a cama de frango em abril esperando uma melhora das pastagens no inverno e posteriormente, no final do inverno, fazer uma gradagem para descompactar e controlar invasoras? Isto no sul do MS
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/06/2016

Prezado Guilherme



Sobre sua pergunta, quando se aplica cama de frango, não há punição desde que se respeite 40 dias antes de que os animais tenham acesso ao piquete, ou seja, aplique 40 dias antes do pastejo, no minimo, para que cumpramos a normativa do MAPA.  Fora isso, não há o que se preocupar. Obedecendo isso, não há problema algum. Qualquer cosia me mande um e-mail mafactori@yahoo.com.br  também presto assistência a propriedades e qualquer coisa estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
GUILHERME DE ANDRADE WERNECK

IPANEMA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/06/2016

Professor parabéns pelo tema muito interessante, presto consultoria e recentemente recomendei o composto de cama de frango para pastagens piquetes de mombaça recomendando 90 dias de descanso porém o produtor não usou com medo as puniçoes queria saber mais sobre o assunto muito obrigado
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 17/05/2016

Prezado Ezequiel.



De uma olhada no link abaixo...  http://www.milkpoint.com.br/radar-tecnico/pastagens/preparo-de-solo-e-formacao-de-pastagem-81307n.aspx  ;;.... é um artigo que nós escrevemos e poderá lhe explicar suas dúvidas. Mas no seu caso, são tantas fases que o senhor necessitará de assistência pessoal, ficando difícil a resposta por aqui de todos suas dúvidas. Estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
ESEQUIEL LEAL

ÁGUA BRANCA - PIAUÍ - ESTUDANTE

EM 14/05/2016

SR. Marco Aurélio, APESAR DE TANTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS, AINDA ME SOBROU DÚVIDAS A RESPEITO, SABENDO QUE TENHO UMA PROPRIEDADE NO CERRADO PIAUIENSE, E COMO JÁ FOI FEITO A ANALISE DE SOLO E INDICOU UM pH BAIXO, ONDE O AGRÔNOMO ME INDICOU POR 2,5 TONELADAS DE CAL POR HÁ, PARA ESTE ANOS QUERO QUEBRA MAIS OU MENOS 3 HÁ DE CAPOEIRA PARA PLANTIO DE TIFTON PARA CRIAÇÃO DE OVINOS. QUERO SABER QUAL A SEQUÊNCIA CORRETA PARA EU TER UMA PRODUÇÃO MÁXIMA JÁ QUE SERÃO OVINOS DE CORTE E PRETENDO TIRAR DO REBANHO O MAIS CEDO POSSÍVEL? SEQUENCIA QUE FALO É NA QUESTÃO DE CORREÇÃO DE SOLO ATÉ A PLANTAÇÃO DO CAPIM COMO MUDA.
PAULO ROBERTO VIANA FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 08/02/2016

Parabens pelo artigo

Gostaria de acrecentar a obrigação de fazer analise de solo e intrpleta-la.

A cama não separa nutrientes.

Interessante no inicio.
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 05/01/2016

Prezados



Eu presto serviços de assistência às propriedades em feriados e finais de semana. Caso haja algum interesse entrem em contato para maiores informações.e-mail: mafactori@yahoo.com.br  Att. Marco Aurélio Factori
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 14/12/2015

Prezado Elieu



Os dois são bons e possíveis de se trabalhar. No entanto, em função da concentração de N e carbono, recomendo a cama de frango. No entanto, se utilizar os esterco de poedeiras, utilize em menores quantidades.

Att. Marco Aurélio Factori
ELIEU

MUCUGÊ - BAHIA - ESTUDANTE

EM 11/12/2015

Boa tarde. Poderia me informar o que é melhor para se usar: a cama de frango ou o esterço de galinha poedeira?
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 19/10/2015

Prezado Wander



O uso da cama de frango é sempre recomendado pois é grande os benefícios, porém os dois fatores determinantes são a possibilidade de aplicação e o outro o custo. Neste seu caso pode ser que não seja viável. Infelizmente, se o custo for maior fica inviável. Em tempos de crise tudo tem que ser levado em consideração, embora os custo com os outros adubos também devem estar alto, considerando a cama como um adubo completo. Compare com os custos que tem na sua região considerando a aplicação dos outros adubos. Estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
WANDER FERREIRA

PALMAS - TOCANTINS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/10/2015

Bom dia. Aqui no Tocantins a cama de frango com 1 ano de compostagem, eom palha de arroz, está sendo vendida a 160,00/ton.

Nessa conta de 20 ton/ha termos 3.200,00 e gasto fora frete e serviço de esparramar.

Não é muito caro? O resultado é suficientemente bom para esse uso? Grato
TANIA BETINI DE OLIVEIRA

EM 18/06/2015

Boa tarde estou na região de Jau -Ibitinga e tenho fundo de granja para vender quem tiver interesse entrar em contato com Valdir 14 998121039 ou 14 36620759
ELOIR

ENCANTADO - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 15/05/2015

Prezados

Trabalhamos de maneira intensiva com produção forrageira no Rio Grande Do Sul. Há seis anos iniciamos trabalho com adubo orgânico ( cama de frango) em varias propriedades dentro do estado. Os resultados são altamente satisfatórios, pois o aumento no volume e qualidade da pastagem é visível e reflete em números.

A cama aviária ( mínimo 18 meses de alojamento) possui altos teores de nutrientes necessários a cultura. Diferente do que o adubo químico, o adubo orgânico libera de forma gradativa os nutrientes e acima de tudo, enriquece a estrutura do solo com seus micronutrientes.

  Não temos a menor dúvida quanto as vantagens e benefícios que traz este adubo.



Abaixo segue alguns dados de resultado de uma analise de cama de aviário com 25 meses de alojamento.

RESULTADOS

ENSAIOS FÍSICO-QUÍMICOS

PARÂMETRO UNIDADE RESULTADO

Ácidos Fúlvicos (AF's) % ...................................................................7,53

Ácidos Húmicos (AH's) % ................................................................7,53

(CTC) - em base seca a 65 ºC mmol/Kg ......................................453

Carbono Orgânico - em Base Seca a 65 ºC % .................................17,9

Enxofre % ............................................................................................0,363

Fósforo Total - em base seca a 65 ºC % P2O5.............................3,09

Nitrogênio Total - em base seca a 65 ºC %  ..................................3,27

pH em solução aquosa 1:5 a 25 ºC .................................................... 6,9

Umidade a 65 °C % ........................................................................... 18,75

Arsênio mg/Kg n.d ................................................................................. 0,007

Boro mg/Kg n.d. ......................................................................................0,018

Cádmio mg/Kg n.d. .............................................................................0,002

Cálcio % ................................................................................................... 9,17

Chumbo mg/Kg ..................................................................................... 0,003

Ferro % ....................................................................................................0,68

Magnésio % .......................................................................................... 0,857

Manganês .............................................................................................. 721

Potássio Total % K2O ...........................................................................3,11

Zinco ......................................................................................................... 460



Att

Eloir


MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 28/04/2015

Prezado José



Eu desconheço este problema de mosca quando utiliza a cama de frango como adubo sem tratamento, como você se refere. O que deve estar acontecendo é que quando a cama é armazenada para ser aplicada, ou ainda nas granjas quando demoram para serem retiradas, ai sim que as moscas se proliferam. As quantidades recomendadas de cama se bem aplicadas não acometem moscas (em excesso) e certamente não trarão grandes malefícios. Em pastagens a cama não precisa ser tratada ou ainda curtida e acredito que para banana também não haja necessidade. Estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
JOSÉ NÓBREGA ROCHA

IMPERATRIZ - MARANHÃO

EM 27/04/2015

Sou pecuarista, trabalho com gado de corte no segmento recria/engorda. Próximo da minha fazenda tem uns plantadores de banana que utiliza a cama de frango sem fazer nenhum tratamento. Pega nos aviários e em seguida usa no bananal. Isso tem trazido grande prejuízo para a pecuária bovina, devido a infestação de mosca no gado que faz com que o gado fique inquieto e logo perde peso. Isso acontece logo quando é usada a cama.

Pergunto: O fato da infestação nos animais pela mosca não é porque a cama está sendo usada sem nenhum tratamento? Ela não deve ser primeiramente curtida para ser usada?    
SEBASTIÃO DE OLIVEIRA FREIRE

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/04/2015

Obrigado pela resposta e orientação. É muito importante que exista pessoas como o senhor para nos orientar, ainda mais quando se trata de um pequeno produtor,

Que o CRIADOR  continue abençoando-o com muita inteligencia, sabedoria e saúde.

Abraços

Sebastião Freire
MARCO AURÉLIO FACTORI

PRESIDENTE PRUDENTE - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 08/04/2015

Prezado Sebastião



Em nossos experimentos não tivemos nenhum problema com infestação de mosca mesmo colocando ate 20 toneladas por hectare, desde que estas sejam bem espalhadas na área. Acredito que não irá trazer problemas. Ainda, o uso da cama, se for de fácil acesso e de baixo custo em muitos casos é superior ao adubo químico, os benefícios. No seu caso pode utilizar 5 toneladas por hectare.

Estamos a disposição. Att. Marco Aurélio Factori
SEBASTIÃO DE OLIVEIRA FREIRE

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/04/2015

Prezado senhor Marco Aurélio Factori, boa noite. Montei em minha pequena propriedade aqui no Norte de Minas,(São João da Lagoa) uma irrigação fixa (02 ha) para molhar capim. Talvez Tifton 85.

Estou querendo plantar milho consorciado com o Tifton. Algumas pessoas me disseram para usar a cama de frango, porém outras me disseram que irá infestar minha casa de moscas. Isto é possível? Fiz uma análise de solos e  a mesma orientou a eu usar 1.300 k de calcário por ha, o que ja foi feito. O que o senhor me sugere? Penso em tirar leite de vacas no princípio do ano que vem (2016). Fico no aguardo de uma resposta e desde já o agradeço.

Atenciosamente

Sebastião de Oliveira Freire E-mail: sebastião_freire@hotmail.com