ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Fazenda leiteira alemã é projeto piloto da Nestlé em zero emissões de gases

LEITE NO MUNDO

EM 11/02/2022

3 MIN DE LEITURA

0
0

Pode-se dizer que todo mundo está falando sobre mudanças climáticas – desde produtores de leite até os consumidores. Portanto, não é de surpreender que haja muitas pessoas envolvidas no combate a elas.

Uma fazenda localizada no norte de Hesse, na Alemanha, está focada exatamente nisso, em uma tentativa de dar o exemplo a outros produtores de leite. Da agricultura regenerativa ao uso de energia – o trabalho nesta fazenda examinará todos os aspectos que podem tornar uma fazenda leiteira o mais eficiente possível no âmbito do combate às emissões.

A Nestlé Alemanha apoiará a fazenda leiteira da família Frese, que pertence à cooperativa Hochwald Foods GmbH. A fazenda pretende ser um modelo para as outras 2.800 fazendas leiteiras da cooperativa. Neste projeto piloto, a Nestlé trabalhará com o fornecedor de derivados Hochwald Foods, a Universidade de Nürtingen-Geislingen e outros parceiros do projeto.

O projeto começou em outubro de 2021 e vai até dezembro de 2024, com o objetivo de levar a fazenda a zero emissões líquidas. O objetivo, diz a Nestlé, é identificar meios para atingir o zero líquido por meio da redução e remoção de gases de efeito estufa (GEE), mas também incluir o custo para o produtor, por exemplo, quanto custa cada meio? Quais são os benefícios da redução de GEE?

Em outras palavras, “estamos apostando na combinação de emitir o mínimo possível de gases e, ao mesmo tempo, remover o maior número possível de emissões”, diz Corinna Weinmiller, gerente de sustentabilidade da Nestlé Alemanha.

 

  • Nome: Fazenda da família Frese
  • Localização: Northern Hesse, Alemanha
  • Vacas leiteiras: 130 vacas, principalmente Holandesas
  • Produção de leite: > 10.200 kg/dia em 2021. O sistema de ordenha utilizado é uma sala de ordenha (2×10) lado a lado.

 

 

Por que a Alemanha?

Este é o primeiro projeto agrícola de emissões líquidas zero na Alemanha para a Nestlé, uma vez que o leite é uma importante matéria-prima para a empresa e mais de um terço de sua pegada global de emissões vêm de ingredientes lácteos/carne.

A empresa diz que obtém quantidades significativas de leite de grandes fazendas leiteiras alemãs e quer assumir uma liderança positiva no país. Por esse motivo, optou por colaborar estreitamente com seus maiores fornecedores, como a Hochwald Foods, para obter conhecimento conjunto e descobrir maneiras de reduzir massivamente os GEE e, portanto, a pegada de matérias-primas lácteas.

 

O que será analisado na fazenda para reduzir as emissões?

  • Manejo do rebanho (para aumentar a produtividade animal);
  • Produção de ração;
  • Uso de energia;
  • Nutrição e aditivos alimentares (modificação e nutrição do rúmen);
  • Gestão dos dejetos.

 

Como as emissões serão removidas?

  • Métodos de agricultura regenerativa: manter os solos cobertos, raízes vivas no solo, diversificar a rotação de culturas, lavoura mínima, uso reduzido de pesticidas sintéticos, manejo integrado de pragas e controle biológico, aumentar o uso de fertilizantes orgânicos versus fertilizantes sintéticos.
  • Plantar árvores, sebes, aumentar a área de habitats naturais.

 

Na fazenda

Weinmiller diz que, trabalhando com Hochwald e com a Universidade de Nürtingen-Geislingen, a colaboração é com parceiros muito experientes com os quais “podemos levar o projeto conjunto ao sucesso”.

Além disso, a empresa consultará especialistas e outros parceiros do projeto sobre questões particularmente desafiadoras. Weinmiller acrescenta que “o desafio é grande, mas todos nós temos o objetivo de apoiar nossos produtores da melhor maneira possível e fornecer a eles uma boa base para a redução de gases de efeito estufa em nível de fazenda”.

Os principais aprendizados deste projeto devem, consequentemente, ser adaptados a todos os produtores de Hochwald e mostrar uma redução significativa das emissões. O objetivo é, em última análise, transmitir aos produtores mais conhecimento sobre como reduzir os GEE em suas fazendas, quanto isso lhes custará e quanto tempo levará.

Além disso, eles querem mostrar as possibilidades de armazenamento de CO2 através de práticas agrícolas regenerativas e soluções climáticas naturais (como sebes, arbustos, árvores). Ambos os meios (redução e remoção) se tornarão mais importantes para os produtores de leite em todo o mundo. “É claro que isso também nos ajudará a atingir nossa meta global na Nestlé de zero líquido até 2050”, diz Weinmiller.

 

As informações são do Dairy Global, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint