FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Reflexões sobre o nível de consumo de leite do brasileiro

A Embrapa Gado de Leite estima que, em 2018, o brasileiro consumiu, em média, 166 equivalentes litros de leite no ano, o que corresponde a 455 ml/dia. Nesta estimativa, todos os derivados lácteos foram transformados para leite para se chegar a este número. Mas, este nível de consumo é alto ou baixo?

Quando se fala de consumo de leite e derivados no Brasil, é comum encontrar a afirmação de que o nível de consumo do brasileiro é baixo ou que está aquém das recomendações de consumo. Mas quais são essas recomendações?

Na verdade, não existe recomendação de consumo de leite e derivados para o Brasil. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Food and Agricultural Organization (FAO) não recomendam quantidades específicas de alimentos por dia, com exceção de vegetais e frutas. Na sua principal publicação sobre leite e derivados, o livro “Milk and dairy products in human nutrition”, de 2013, a FAO afirma que, como os países diferem em termos de disponibilidade de alimentos, socioeconomia, hábitos alimentares e cultura, não é apropriado fornecer recomendações globais para alimentos individuais, exceto onde haja evidência científica suficiente para fazer tal recomendação (como é o caso das frutas e vegetais). Assim, a publicação apresenta uma compilação de recomendações de consumo de leite e derivados para alguns países (Tabela 1).

Tabela 1. Recomendações de consumo de lácteos para países selecionados.

O Brasil não aparece na tabela, mas pode-se observar grandes diferenças nas recomendações de consumo nos diversos países elencados. No seu Novo Guia Alimentar para a População Brasileira, lançado em 2014, o Ministério da Saúde não fornece recomendação de quantidades a serem consumidas de alimentos. A única recomendação apresentada é “Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados”.

Dentre os alimentos in natura ou minimamente processados estão o leite pasteurizado, ultrapasteurizado ou em pó e iogurtes (sem adição de açúcar). A manteiga é considerada preparação culinária. Já os queijos são considerados alimentos processados e os sorvetes, iogurtes e bebidas lácteas adoçados e aromatizados são tidos como alimentos ultraprocessados.

Portanto, não se pode afirmar que o brasileiro não atende às recomendações de consumo de leite, já que o País não possui este tipo de recomendação. Ademais, considerando que 1 xícara ou 1 porção de leite é equivalente a 200 ml, o nível de consumo de leite de um adulto brasileiro (455 ml/dia) está até superior ao recomendado por alguns países apresentados na tabela, como por exemplo África do Sul, Argentina e Austrália.

Mas e se analisarmos apenas o consumo de leite fluido?

Considerando leite fluido como a soma de leite UHT e leite pasteurizado (sem incluir o leite em pó reconstituído), a Pesquisa Industrial Anual (PIA) do IBGE mostra que o brasileiro consumiu 73 ml de leite fluido/dia em 2017. No mesmo ano, o USDA informou que os americanos consumiram 64 ml/dia. Portanto, os brasileiros têm nível de consumo de leite fluido equivalente ao dos americanos e a ideia de que o nosso nível de consumo é baixo está ultrapassada.

KENNYA SIQUEIRA

Pesquisadora da Embrapa Gado de Leite

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WANDER LUIS CARVALHO BASTOS

CRUZEIRO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/09/2019

Precisamos estimular o consumo de queijo.
ANDRE ROZEMBERG PEIXOTO SIMÕES

AQUIDAUANA - MATO GROSSO DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 16/09/2019

Muito bom Kennya, parabéns pela análise. Essas informações podem mudar nosso mind-set sobre as perspectivas de aumento de consumo frente a uma retomada da economia, não é mesmo? O que acha? Será que neste cenário as exportações se tornam mais importantes ainda, frente a um potencial aumento de produção via adoção de tecnologias. Mais uma variável a se pensar...ok?
KENNYA SIQUEIRA

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 16/09/2019

Obrigada, Andre. Na verdade, eu só quis mostrar que aquela ideia de que o nosso nível de consumo está abaixo do recomendado está errada, pois não existe mais recomendação de consumo para leite e derivados no Brasil. Mas, ainda podemos melhorar nosso nível de consumo, e isso depende muito da retomada da economia, pois os dados mostram que o consumo de leite é sim, muito influenciado pela renda.