FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sobre o que conversa a nossa flora?

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

EM 21/03/2018

2 MIN DE LEITURA

0
8

Mais essa agora... bactérias conversam! Sim, é verdade; conversam muito e sobre diversos assuntos. Esclareço caros leitores da MilkPoint que não estou usando uma metáfora, mas de fato bactérias conversam e esse bate-papo é cientificamente comprovado existir e se chama quorum sensing.

bactérias da flora intestinal

Com quem falam? Surpreendentemente além de conversarem entre si (aquela rodinha de conversa dentro da própria comunidade) as bactérias conversam com o hospedeiro, ou seja, com cada um de nós. Como falam? Visto serem organismos muito simples e diminutos elas usam uma forma mais rudimentar de comunicação feita pela liberação de moléculas químicas.

E sobre o que conversam? Aí depende. Quando a roda de conversa é entre elas alguns assuntos pertinentes seriam: “em que quantidade nossa espécie está?”; “vamos esperar até nascerem mais alguns de nossa espécie?”; “agora temos um número grande, vamos produzir nossa toxina?” Toxina?! Sim, é importante lembrar que temos bons e maus habitantes compondo nossa flora. Sorte a nossa contar com bactérias do bem que são nossas aliadas para manter a ordem no ambiente intestinal.

Nosso valente exército de micro-organismos do bem é capaz de combater diretamente o desenvolvimento de bactérias que podem nos causar doenças e para isso usam diferentes estratégias. Algumas são mais sutis, como disputar por comida ou por espaço para se estabelecerem no intestino. Outras são mais diretas como a produção de substâncias que inibam a bactéria indesejável. E tem a interessante estratégia de pedir reforços ao comunicarem-se com o nosso sistema imune por meio de uma verdadeira “linha cruzada” (ou cross-talk). O sistema imune capta a mensagem e entra em ação.

E mesmo quando o cenário é de calmaria, não pensem que o silêncio impera. Os bate-papos  continuam, nem que seja para sinalizar: “está tudo funcionando bem por aqui”, “o intestino está regulado”, “a alimentação está equilibrada”, “os inimigos estão sob controle”. Nessa hora é liberada uma dose generosa de serotonina produzida ali mesmo no intestino, e nos sentimos felizes e de bem com a vida.

Prestar atenção e valorizar nossa flora intestinal é uma boa dica. Mas lembre-se que essa não é uma comunidade estática. Ao contrário ela está em constante renovação. Assim sendo é importante buscar formas de repovoar a comunidade com micro-organismos do bem. Consumir lácteos contendo culturas probióticas é uma boa estratégia. Outras seriam buscar hábitos de vida saudáveis, incluindo alimentação equilibrada e diversificada, para garantir uma “boa roda de conversa intestinal”.

Referência bibliográfica

Corthésy et al. Cross-talk between probiotic bacteria and the host immune system. Journal of Nutrition, 2007 Mar;137(3 Suppl 2):781S-90S.

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

Docente da Faculdade de Ciências Aplicadas-FCA/UNICAMP. Graduação em Nutrição (UFPEL), Mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial (FAEM/UFPEL), Doutorado em Alimentos e Nutrição (FEA/UNICAMP), Pós Doutorado no TECNOLAT/ITAL.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.