FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Probióticos depois de antibióticos: faz muita diferença!

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

EM 25/01/2018

6 MIN DE LEITURA

6
8

Imagine que uma tubulação de água estourou na frente de sua casa. Que ruim! Mas logo chegam os técnicos, quebram o piso e trocam o cano. O vazamento para na hora. Mas depois os moços vão embora e deixam o buraco aberto, dando o serviço por finalizado. Então agora você tem outro problema para resolver: o pavimento.

Isso é o que geralmente acontece quando recebemos uma prescrição de tratar alguma infecção com uso de antibióticos. Essa prescrição precisa ser feita por médicos os quais indicarão o tipo, a dose e a duração do tratamento. Mas espera aí doutor, não está faltando nada? Em geral as prescrições terminam por aí e o tratamento é tido como finalizado quando termina a infecção. Porém, não raras vezes depois de completar um ciclo de antibióticos algum outro transtorno aparece. Um exemplo é um quadro agudo de diarreia imediatamente após o término do tratamento. Imaginem como se sente azarada uma pessoa nesta condição, tendo que voltar ao médico em um período tão curto de tempo...

Acontece que no caso acima, a diarreia foi em efeito colateral do antibiótico, ou seja, é culpa do “pavimento quebrado”. Permitam-me esclarecer que não estou me opondo ao uso de antibióticos. Pelo contrário! A descoberta dos antibióticos foi um marco fundamental na evolução da Medicina. Porém, a prescrição médica precisa se modernizar para que ninguém mais saia de uma consulta sem indicação de recompor a flora intestinal depois de fazer um tratamento com antibióticos. Isso porque esses compostos químicos não são muito seletivos e acabam agindo não apenas contra uma determinada bactéria ruim. Na verdade, muitas outras bactérias boas e fundamentais para o equilíbrio dinâmico da flora são destruídas conjuntamente. É o pavimento sendo desmantelado... Consequências ruins podem ser observadas, como a multiplicação descontrolada de bactérias da flora que não encontrando competidoras crescem muito e provocam problemas de saúde. Outro exemplo é a invasão de bactérias ruins para dentro dos tecidos, podendo até alcançar a circulação sanguínea, e aí, a morte é quase certa. Posso estar sendo muito dramática, mas essas possibilidades existem. 

Então o que podemos fazer? Caso seu médico esqueça desta importante conduta de prescrever o consumo de probióticos após o tratamento de infecções por antibióticos, busque você mesmo por repositores de flora. Não precisa voltar na farmácia, você pode ir até as gôndolas dos mercados e procurar por iogurtes e leites fermentados probióticos e consumir doses diárias desses produtos. E assim aos poucos o pavimento vai se recompondo, bem como suas defesas naturais. 

Referência

DIETERT, R. The Human Superorganism. New York: Dutton, 2016. 341p.

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

Docente da Faculdade de Ciências Aplicadas-FCA/UNICAMP. Graduação em Nutrição (UFPEL), Mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial (FAEM/UFPEL), Doutorado em Alimentos e Nutrição (FEA/UNICAMP), Pós Doutorado no TECNOLAT/ITAL.

6

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ALESSANDRO MELO

RECIFE - PERNAMBUCO - PESQUISA/ENSINO

EM 26/05/2020

Minha mãe Diabética, teve queda por avc (2 meses entubada), hoje tem 3 proteses , vivia indo para internações em hospitais por infecção urinaria e pulmonar. Depois de um internação no RHP conversei com a chefe da Geriatria e pedi a ela que na alta passasse um probiótico. Ela me falou que era uma das TOP TENDÊNCIAS para a medicina (quebrando logico o ciclo das indústrias farmacéuticas, que indicam os médicos a cura através de antibióticos que acabam com tudo de bom e ruim no paciente). Passou uma bactéria presente no Colikids (Colidis). Depois disto minha mãe nunca mais voltou a fazer nenhuma internação. E lógico tem um pedalinho , toma sol e atividades físicas todos os dias. O caminho é esse defender a saúde de todos através dos estudos comprovados.
ADRIANE MORAES

EM 26/05/2020

Olá Alessandro

Agradeço pelo relato e desejo saúde para sua mãe. Probióticos fazem parte de uma recomendação terapêutica focada no equilíbrio da flora intestinal e por isso que é tão promissora.

Receba um abraço

Adriane
CRISTINA MARIA

RIO DE JANEIRO - RIO DE JANEIRO

EM 12/09/2019

Dra Adriane, minha mãe (82a), após uso de antibiótico prescrito por médico, também por orientação do mesmo, começou a usar probióticos (PROLIVE). Eis que ela tem apresentado quadro de náusea, vômitos... Pode ser isso reação adversa ao probiótico? Foi prescrito por 15 dias, e ela está no 4o dia, me parece.

Mto grata, se puder me esclarecer.
ADRIANE MORAES

EM 26/05/2020

Olá Cristina

Peço desculpas pela demora para responder sua pergunta, mas não lembro de haver recebido o alerta referente a sua mensagem. Eu tenho estudado o tema probióticos a quase 20 anos e não li nada referente a quadro de náuseas e vômitos. De qualquer forma a melhor conduta neste caso seria relatar ao médico .

Receba um abraço

Adriane
ODETE PARODES DE PARODES

PELOTAS - RIO GRANDE DO SUL

EM 20/08/2019

Excelente essa matéria da Dra Adriane sobre probióticos, após do tratamento com antibióticos.
ADRIANE MORAES

EM 26/05/2020

Obrigada Odete!

Receba um grande abraço!

Adriane