ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Gestão de pessoas e acompanhamento técnico são os segredos da Fazenda Berro d'Água

Localizada em São Sebastião do Paraíso (MG), a 400 Km de Belo Horizonte, a fazenda Berro d’Água, de propriedade do Sr. Aliomar R. F., foi destaque no suplemento Campeãs do Leite, divulgado junto à 11ª edição do Índice Ideagri do Leite Brasileiro, na categoria Dias em Lactação (DEL), alcançando um DEL médio de 156 dias. A propriedade ficou à frente da média geral das fazendas analisadas, cujo DEL médio foi de 183 dias, e das fazendas do Top 10% geral do IILB, que alçaram a marca de 169 dias. Vale lembrar que quanto menor for o DEL, maior a produção de leite por animal.

A história do Sr. Aliomar teve início em 2012, com a aquisição da Berro d’Água, com produção de café. Só em 2014, o proprietário iniciou a atividade leiteira no sistema convencional a pasto. Após dois anos enfrentando muitas dificuldades para produzir leite com eficiência, optou pela construção de um Compost Barn. “Essa iniciativa proporcionou maior bem-estar para os animais e colaboradores, redução de gastos com medicamentos, além de reduzir custos com a adubação química da lavoura, pela utilização da cama, oriunda do Composto”, relata Aliomar.

O proprietário acredita na gestão de pessoas e atribui a eficiência produtiva da Berro d’Água ao acompanhamento técnico do veterinário Francisco e dos colaboradores da fazenda, que são extremamente envolvidos com a cadeia leiteira. O manejo reprodutivo é feito a cada 14 dias. A fazenda não faz uso da monta natural, 100% dos animais passam pelo protocolo de IATF e, caso retornem ao cio, são novamente inseminados. A propriedade conta hoje com 78 animais em lactação e um rebanho com predominância de perfil Leite Europeu. A produção média por vaca é de 29,7 Kg/dia, gerando uma produção diária do rebanho de 2,3 mil Kg de leite.

De acordo com a situação reprodutiva, são identificados na cauda, com o intuito de facilitar a operação para os funcionários. Vacas com 300 dias ou mais de DEL não são inseminadas e permanecem em ordenha até cair a produtividade. Posteriormente são separadas para descarte, fazendo rigorosa triagem entre as matrizes. Todo manejo de seleção genética só é possível de ser realizado devido à análise de dados, por meio do software Ideagri.

Para saber mais clique aqui.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint