carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Mapa retira suspensão das importações de leite em pó do Uruguai

postado em 07/11/2017

16 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Após suspender as importações de leite em pó do Uruguai por quase um mês, o Ministério da Agricultura decidiu hoje retirar a restrição que havia sido tomada por tempo indeterminado, disse ao Valor o secretário de Defesa Agropecuária da pasta, Luís Eduardo Rangel.

De acordo com Rangel, a decisão foi autorizada pelo presidente Michel Temer. E foi tomada após uma auditoria in loco no Uruguai, feita por fiscais do Ministério da Agricultura durante toda a semana passada, não encontrar indícios de triangulação entre o leite do vizinho sul-americano com outros países, como a Argentina ou Nova Zelândia, como suspeitavam produtores brasileiros.

A suspensão a emissão de toda e qualquer guia de importação do leite proveniente do país vizinho foi anunciada por Blairo Maggi após intensa pressão da bancada ruralista do Congresso e de várias entidades de produtores como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e da Abraleite, que alegavam da falta de controle na entrada do leite uruguaio nos portos brasileiros.

O episódio, no entanto, chegou a causar mal-estar com o Itamaraty, após o presidente do Uruguai, Tabaré Vásquez, ter se queixando com Temer por telefone. Temer também ficou constrangido com a situação, já que o Brasil é o atual presidente do Mercosul, como declarou o próprio ministro Blairo Maggi há algumas semanas. “O presidente [Michel] Temer já autorizou a retomada. Vamos comunicar o Uruguai oficialmente amanhã”, disse Rangel.

O secretário também informou que a expectativa é que as importações sejam restabelecidas ao longo desta semana. E acrescentou que o “baixo fluxo de importação” de leite uruguaio nos últimos meses também determinou para que o Ministério da Agricultura decidisse pela retomada das compras do produto.

As exportações de leite do Uruguai ao Brasil ultrapassaram as 40 mil toneladas no primeiro semestre deste ano, enquanto no mesmo período do ano passado alcançaram 50 mil toneladas. Mesmo assim, o objetivo principal da medida de paralisar as importações, ainda que de maneira temporária, para forçar o governo e o setor privado uruguaio a negociarem cotas não foi alcançado, ponderou Rangel.

As informações são do jornal Valor Econômico.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

raimundo sauer

Unaí - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/11/2017

Bom dia amigos produtores de leite. Mostraram para nós mais uma vez que somos massa de manobra. Só precisaram da bancada ruralista para rejeitar as acusações do corrupto Temer.

Sergio Massera

Três Corações - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/11/2017

Frustrante não termos um governo que nos defenda, que nos promova ! Só se concentram no ganho próprio e partidario

Darlani de Souza Porcaro

Muriaé - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/11/2017

A  barreira é justamente uma forma  do leite brasileiro ter  valor , caso contrário , não tem como competir com leite protegido, os nossos custos são altos, e outra coisa, nós produtores brasileiros temos que parar com isso, e jogar nosso leite é na cara desse Temer bandido, que não enxerga e nem quer enxergar a força do produtor de leite no país.. .

sergio lopes de azevedo

Guarani - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/11/2017

vamos continuar na mingua ou até piorar . eles produzem leite barato por naõ terem tantos impostos na cadeia produtiva enquanto nós sofremos . do jeito que tá o negocio é parar de produzir leite e usar a terra para outros fins!!!!

Marcelo C Fernandes

Formiga - Minas Gerais - Produção de leite (de vaca)
postado em 07/11/2017

O que esperar de bom, se o Ministério Público já tem provas de que esse governo é uma Organização Criminosa,que só age por interesses próprios?
O ano que vem aparecem muitos políticos pedindo votos,dizendo que fazem parte da bancada rural e que pretendem ajudar toda a classe de produtores do Brasil,mais agora não aparece um em defesa dos trabalhadores que lutam no sol para conseguir tirar o sustento da família.Portanto reflitamos bem no próximo ano,para tentarmos mudar esse triste rumo que segue a política no país.

Edson

OUTRA - OUTRO - OUTRA
postado em 07/11/2017

Esse presidente de um tremendo sem vergonha, juntamente com o maggi

Edson

OUTRA - OUTRO - OUTRA
postado em 07/11/2017

Com esse presidente e este ministro o que podemos esperar, o ganha pão deles estão garantidos através da corrupção, por que então brigar por nós

Marcelo Branquinho Pereira

Três Corações - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/11/2017

O produtor uruguaio recebe hoje US$0,36 pelo litro de leite.Em reais equivale a R$ 1,18. Como eles conseguem exportar ? Nós que teríamos que exportar pra eles. Pra mim só existe uma resposta :Nossa indústria lactea é um fracasso.

Pedro Augusto Carvalho Pereira

Guaratinguetá - São Paulo - Indústria de laticínios
postado em 08/11/2017

Embora a crise atual do setor pouco tenha a ver com o volume de leite importado durante o ano sendo muito mais reflexo da combinação de aumento da produção x diminuição de consumo somados ao fato de não sermos exportadores, realizar auditoria com data e hora marcada só pode ser piada para divertir uruguaio ! Aliás, ser motivo de piada para o resto do mundo parece ser a nossa maior vocação no momento...

gislei silva vieira

Uberlândia - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 08/11/2017

Temos que parar de produzir em excesso, diminuir ração, milho, adotar uma ordenha só, sei lá. O sentimento que temos é que a indústria está fazendo favor em ir pegar o leite na fazenda!! Se não está cobrindo os custos, pra que produzir? Pra gerar estoque pro outros?
Se o problema é o excesso!! então vamos atacar o excesso!! Se tá todo mundo dizendo que não tem consumo o suficiente para tanta produção o problema  então é eu que sou produzido!!!
Está claro que não temos representantes!! não adianta reclamar! só nos resta reagir e acabar com este excesso!

jair magela Nunes

Caeté - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 08/11/2017

Como o produtor Uruguaio recebe valor maior pelo litro do leite que a maioria dos produtores brasileiro  e com todos os custo  para trazer esse leite para o Brasil ele chega aqui mais barato que o leite brasileiro muinto estrano a conta não fecha
Produtor Brasileiro  cada vez mais dificil de se trabalhar

joao hilton g santana

OUTRA - OUTRO - Produção de leite
postado em 08/11/2017

Se o ser humano não sobrevive sem o leite, que é o primeiro alimento das nossas vidas, assim como a água então uma conta não bate, porque o leite é sempre o vilão da inflação quanto assume um valor real , parece que quem representa a nossa classe não tá nem ai para os produtores de vida que é o LEITE.

Matozalém Camilo

Ituiutaba - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 08/11/2017

Isso estava muito claro. O governo só estava tentando escapar da acusação contra ele na câmara dos deputados. Se ilude quem acha que em Brasilia existe alguém preocupado com os produtores de leite do Brasil ou qualquer outra categoria de produtores do País. Apesar desta crise momentânea do leite, não ter quase nenhuma ligação com a questão das importações do Uruguai. A crise brasileira é generalizada e o consumo reduziu. Não tem dinheiro circulando no mercado. Enquanto não houver recuperação da economia como um todo, continuaremos sofrendo com falta de demanda. Governo não defende produtor de alimento neste País. Quer que os alimentos sejam o mais barato possível e que inflação continue baixa às custas de quem produz. Um governo sério e preocupado com o setor produtivo, daria no mínimo isenção de alguns impostos sobre os insumos do setor agropecuário produtor de alimentos. No mínimo. Infelizmente, não têm esta sensibilidade, Brasília é outro mundo. Não tenhamos a vontade de corrigir os políticos, temos, sim é que sermos políticos também e cada um se corrigir para que no dia que chegar em Brasilia não tenha este maldito vício que é a corrupção. O politico é corrupto desde criança, como a maioria da população também o é. Se cada um se corrigir, quem sabe um dia veremos o Brasil melhor e os representantes do povo, realmente representando o povo. É um sonho ainda muito distante, mas quem sabe !!!

Gilson luiz da Silva

OUTRA - Rio Grande do Sul - Produção de leite
postado em 08/11/2017

Já passou da hora de nos organizarmos para mudar esta politica leiteira, pois estamos pagando para produzir, os custos de produção ultrapassam os valores pagos pelos laticínios. Não podemos esperarmos nada destes governos, pois eles nunca desenvolveram
politicas sérias que viessem a desenvolver a atividade leiteira no Brasil e nós produtores passamos lutando sozinhos para nos mantermos. Ta na hora de tomarmos as rédeas.

Juarez Malta Teixeira

Alpinópolis - Minas Gerais - Indústria de laticínios
postado em 11/11/2017

Nota claramente que estão usando a cadeia agricola como manobra para conter a inflação e  gerar empregos , mais a que custo? de uma forma ou outra quem está lá no Planalto esta olhando somente para a buda deles, a cadeia produtiva que se dane, vamos dar o grito e ir lá descarregar carretas de esterno na porta do Planalto.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade