FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Qual a melhor variedade e de que forma deve-se conduzir a colheita em cana-de-açúcar?

POR RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

E THIAGO FERNANDES BERNARDES

PRODUÇÃO

EM 17/09/2008

28
0
A escolha da variedade

A escolha por determinada variedade de cana-de-açúcar para inserção em um sistema de produção de ruminantes deve seguir discernimentos técnicos e econômicos, principalmente, pelo fato desta ser uma planta semi-perene, podendo estar presente dentro da propriedade por período igual ou superior a 4 anos.

Dessa forma, deve-se preconizar variedades que apresentem: alta produtividade, alto teor de sacarose, baixos teores de fibra, resistência ao tombamento, resistência a pragas e doenças, despalhamento facilitado, adaptabilidade às condições edafoclimáticas da região e boa digestibilidade da fração fibrosa.

Uma vantagem para os pecuaristas na escolha da variedade a ser inserida em sua propriedade é que as características apresentadas acima, em sua maioria, também são as mesmas desejadas pela indústria, sendo somente a maior digestibilidade da porção fibrosa de interesse para o pecuarista e não para a indústria.

Alguns critérios também podem ser apontados na escolha das variedades de cana-de-açúcar para uso na alimentação de ruminantes, como: a relação entre fração fibrosa e açúcares solúveis totais (FDN/POL), o teor de FDN na planta e a porcentagem de colmos.

Um estudo avaliou 20 variedades de cana-de-açúcar e, foi observado que as variedades IAC86-2480 e RB83-5486 foram as que apresentaram relação FDN/POL menor do que 3,0, valor máximo sugerido para utilização da variedade como fonte volumosa para ruminantes. Outro fato positivo vinculado a essa relação (FDN/POL) é que as variedades apresentaram melhores digestibilidades, o que novamente corrobora com a idéia de indicar melhores variedades para a alimentação animal.

Outra estratégia, pouco explorada por pecuaristas, é a obtenção de variedades em função da época de maturação. Encontram-se disponíveis variedades de cana-de-açúcar precoces, médias e tardias, sendo que, para maximização da qualidade nutricional deste volumoso, aliado a um planejamento forrageiro adequado, a cultura da cana-de-açúcar dentro de um sistema de produção animal também não deve ser fundamentada em apenas uma variedade, mas sim, em variedades com diferentes pontos de maturação.

Não é pertinente a indicação de uma variedade, a qual seja designada como ideal para qualquer sistema de produção animal, pois devido às diferenças edafoclimáticas encontradas no Brasil, uma determinada variedade poderá ou não expressar seu máximo potencial. Assim, o ideal é optar por variedades inseridas na região, buscando aquela que apresente valor nutricional desejado para produção de ruminantes.

Colheita da cana-de-açúcar: manual ou mecanizada?

A escolha pelo corte da cana de forma manual ou mecanizada é uma dúvida muita questionada por técnicos e produtores, principalmente pelo fato da forma de colheita poder influenciar na produtividade e na longevidade do talhão.

Em estudo realizado por Schogor (2008), foram avaliadas três formas de colheita da cana-de-açúcar: colheita manual, colheita mecanizada e colheita mecanizada seguida por rebaixamento manual. Os resultados mostraram que a colheita mecanizada apresentou maiores perdas de colheita (8% superior), principalmente, em função da permanência na área do tolete de cana remanescente. Esta maior perda, entretanto, não afetou a produtividade, ou seja, não houve influência do método de colheita sobre a quantidade de forragem disponível para o corte subseqüente.

Outra pesquisa, desenvolvida pelo APTA/Colina sob a coordenação do Pesquisador Gustavo Rezende Siqueira sobre estratégias de manejo do resíduo da colheita de cana-de-açúcar estudou as seguintes situações: resíduo (tolete) sem corte manual ou mecânico (roçagem), resíduo roçado e resíduo podado (corte manual com uso de podão). Os dados preliminares mostraram que onde não houve nenhum tipo de rebaixamento (manual ou mecânico) a produtividade foi superior no ano consecutivo, devido a um maior perfilhamento da comunidade de plantas.

Portanto, o rebaixamento da soqueira após o corte mecanizado deve ser analisado cuidadosamente, uma vez que os resultados preliminares indicaram que essa recomendação pode ser um procedimento desnecessário do ponto de vista morfofisiológico da cultura.

Em relação aos custos, a colheita da cana-de-açúcar na forma mecanizada potencializa os danos causados nas linhas de plantio e pode reduzir em um ano a vida útil do canavial, contudo, o valor da tonelada colhida na forma mecanizada se torna vantajosa frente a cana-de-açúcar colhida manualmente.

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

28

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 20/10/2008

Prezada silvia faraco,

Para a sua região, não conheço alguma variedade, entrento, aconselho a buscar na vizinhança usinas (caso haja), pois neste local, com certeza ela estará utilizando a melhor variedade para a região.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
MARCOS CALIANI

ASTORGA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 18/10/2008

Gostaria de enfatizar que realmente estas variedades apresentam melhores qualidades nutritivas para uso como forrageiras no entanto ha de se evidenciar que a variedade IAC 86 2480 apresenta uma suscetibilidade a doença na folha, e que as outras variedades podem não apresentar uma relação FDN/POL desejável, mas a variedade mais disseminada em nosso país a RB 72 454 que a colher no momento certo de sua maturidade pode apresentar dados de MS próximos de 28%, PB em média de 3,5 a 4,0 % e FDN de 42 a 44%.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 09/10/2008

Prezado Francisco de Assis Lamar,

Não existe nenhuma ferramenta para se avaliar visualmente na planta qual será sua época de maturação.
O que pode ser realizado é a leitura do grau Brix (refratômetro) da cana, sendo que, quando este se apresenta superior a 20, a cana já este boa para ser ensilada.

Atencisoamente,
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 09/10/2008

Prezado Francisco de Assis Lamar,

O tamanho médio de partículas para cana-de-açúcar é de 1 cm, o qual garante boa mastigação ao animal. Não é manter canavias para corte ao longo do ano inteiro, no verão, a quantidade de açucares é bem reduzido.
O mais correto nesses momentos é a ensilagem desta forrageira.
A cana é fonte de fibra e energia, nào trazendo nenhum problema ao animal, desde que, as rações sejam bem balanceadas.
Atenciosamente,
Rafael e Thiago
SILVIA FARACO

BATATAIS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 09/10/2008

Rafael e Thiago,

Qual seria a variedade de cana indicada para gado, com maturação em julho/agosto e em regiao de cerrado?

Obrigada
FRANCISCO DE ASSIS LAMAR

SÃO LUÍS - MARANHÃO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/10/2008

Rafael e thiago


Ao se triturar a cana para fornecer aos animais,qual o tamanho ideal das partículas, quanto mais fino, melhor? E mais, suponhamos que forme um canavial composto por variedades precoce, média e tardia, seria possível ter volumoso de cana turante o ano intereiro? Ou servir volumoso somente de cana, mesmo corrigido, traz algum problema ao animal, qual seriam?

Lamar
FRANCISCO DE ASSIS LAMAR

SÃO LUÍS - MARANHÃO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/10/2008

Rafael/Thiago

Boa noite,

Com relação a época de maturação, quais parâmetros devem ser considerados para identificar variedades precoces, médias e tardias? Da para citar algumas var. com estas características?

Obrigado,

Lamar
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 24/09/2008

Prezado Ronald Hott de Paula,

Alguns trabalhos tem mostrado que as gemas que brotam a partir do tolete remanescente morrem depois de algum tempo, não tornando-se um colmo.

Em relação aos equipamentos, o mercado hoje tem a disposição máquinas específicas a picagem da cana-de-açúcar, com resultados satisfatórios. Um fator que deve ser considerado é a manutenção desta máquina, visto a alta produtividade de um canavial, ou seja, o volume da picagem é maior, e assim, necessita de maior revisão dos equipamentos.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
MARCELO VALADARES DE ANDRADE

OUTRO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 24/09/2008

Muito bom
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 24/09/2008

Prezado Dino Stein,

Acredito que ainda não tenha nenhuma variedade específica para esta região do país, em função da tradição do cultivo desta forrageira. Entretanto, acredito que esforços estejam sendo realizados para obtenção de variedades para região.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
RONALD HOTT DE PAULA

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 23/09/2008

Parabéns pelo artigo. Em nossa região (Leste de MG) está cada vez mais difícil encontrar trabalhadores dispostos a "enfrentar" o corte manual de cana. Precisamos de mais pesquisas nesta área, principalmente relacionado a fatores de manejo que poderão influenciar no tombamento da cultura afetando as perdas na colheita.

Acredito que reduzindo o espaçamento poderemos ter touceiras menores em diâmetro e altura, facilitando a colheita sem comprometer a produtividade do canavial (mais plantas por área). A brotação das gemas localizadas acima do solo não facilitariam este tombamento?

Outra dúvida que ainda permanece é quanto à eficiência de colheita das ensiladeiras disponíveis no mercado. Na opinião de vocês, e demais leitores, qual o equipamento faz melhor este trabalho?

Com relação à hidrólise, o Dr. Rodolfo Torres (Embrapa Gado de Leite), um dos responsáveis pela disseminação da cana na alimentação animal, não vê vantagens neste tratamento.
SIDNEY LACERDA MARCELINO DO CARMO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 23/09/2008

Prezado Edmundo Furtado,

A Embrapa Gado de Leite (Coronel Pacheco) e a Universidade Federal de Voçosa (UFV) tem um viveiro de cana muito bom e provavelmente o senhor encontrará cultivares de cana que satisfaçam a sua necessidade e estas instituições de pesquisas provavelmente terão laboratórios equipados para a análise FDN/POL.

Grato,
Sidney
DINO STEIN

ALTO BOA VISTA - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 23/09/2008

Em areas de cerrado, existe alguma variedade especifica, para o uso em gado de corte, como suplementacao na seca?

Atenciosamente
Dino
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 23/09/2008

Prezado José Lopes Germano,

A cana-de-açúcar hidrolisada teoricamente tem seu conceito fundamento na quebra de ligações da fibra da forragem, com função de aumento da digestibilidade da forrageira.

Entretanto, esse leve aumento na digestibilidade pode vir associado a perdas, pois o que é hidrolisado passa para a parte de açúcares solúveis, os quais estes podem ser consumidos por microrganismos deterioradores.

Assim, o uso desta tecnologia deve estar associado com necessidades intrinsecas de cada propriedade. Não deve-se generalizar seu uso.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado João Evangelista Cintra,

Hidrolizar a cana-de-açúcar não trará muitas vantagens para seu rebanho, sendo que uma desvantagem é o aumento do custo com a apliacação do produto, que no seu caso não sei se é o hidróxido de sódio ou a cal virgem.

Talvez, o interessante é ver como está a condição do canavial, se necessita de maiores tratos culturais, ou investir o dinheiro da hidrólise em melhoria no concentrado dos animais.

Atenciosamente,

Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado livia santana,

Vários fatores podem estar influenciando a produção dos animais, tais como: balanceamento da raçào, condições das instalações, etc.

O uso da cana-de-açúcar não prejudica o desempenho de animais com esta produção. Talvez, o problema não seja este.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado Márcio William Meira Gomes,

A variedade que mais se adapte as suas condições você poderá encontrar na usina mais próxima a sua propriedade, pois muitas vezes, adquirir uma variedade que venha de uma distância longa pode tornar inviável economicamente. O que realmente deve-se fazer é tratar a cultura da cana-de-açúcar como se fosse uma lavoura, respeitando-se todos os tratos culturais da cultura.

Em relação as análises, diversos laboratórios de instituições de pesquisa as realizam, cabe ver qual o mais próximo de sua região.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado Márcio William Meira Gomes,

No sites beefpoint, milkpoint e farmpoint existem alguns trabalhos relacionados a ensilagem da cana-de-açúcar.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado José Manoel de Oliveira Moura,

A variedade a ser escolhida deve ser aquela que a usina próximo a sua propriedade utiliza, pois com certeza, esta variedade vai ser a mais adaptada a região. O espaçamento da cultura pode ser de 1,40 m com aplicação de 600 kg/ha de 04-20-20 no plantio, mais 200 kg/ha de adubo de cobertura (KCl).

Atenciosamente,
Rafael e Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 22/09/2008

Prezado Gustavo Henrique Pires do Pinho,

A estratégia da adubação é a mesma, pois como na colheita manual novos perfilhos irão ser emitidos.

Atenciosamente,
Rafael e Thiago