FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Cães de pastoreio na Unimar

POR CLEDSON AUGUSTO GARCIA

PRODUÇÃO

EM 21/12/2010

4
0
A Cabanha UNIMAR está atuando com projetos na área de ovinocultura há 17 anos, sendo que a raça criada desde o início é a Suffolk. A partir de 2009 também foi usado sêmen de animais neozelandeses, além da realização de novas biotecnologias na reprodução, como a inseminação artificial transcervical, inseminação por laparoscopia e transferência de embriões.

Todas essas tecnologias foram possíveis através de parcerias com empresas e participação dos acadêmicos, colaborando com tais práticas do manejo reprodutivo. O projeto da cabanha UNIMAR focado na ovinocultura tem como objetivo formar novos empreendedores (alunos da universidade).

A partir de 2008 foram adquiridas 1.100 ovelhas comerciais, além dos 300 animais da raça Suffolk já existentes (utilizados como terminadores para melhorar a qualidade da carcaça dos animais do rebanho comercial). Hoje a Cabanha UNIMAR está com 3.000 animais entre elite e comercial e com uma parceria com o Grupo Marfrig.

Associado a essa história, não podemos esquecer da contribuição dos "cães de pastoreio", que exercem função de extrema importância, auxiliando na condução dos rebanhos. Além disso, a utilização dessa ferramenta trouxe grandes benefícios econômicos, pois antes da introdução do cão de pastoreio precisava de 3 a 4 funcionários para conduzir o rebanho, e hoje apenas um condutor consegue levar de 1.000 a 1.500 ovelhas, sobrando tempo para os demais realizarem outros manejos no rebanho.

Antigamente existiam relatos sobre o uso de cães de gado, que trabalhavam de forma autônoma, sendo independentes das pessoas, enquanto que os cães de pastoreio na atualidade trabalham sob o comando do proprietário ou pastor, fazendo todas as práticas de manejo necessárias.

A raça mais usada para pastoreio é o Border Collie que foi desenvolvida no século XIX, no norte da Grã-Bretanha; e trabalhava junto com os criadores de ovelhas demonstrando incrível capacidade no trabalho. Na época já eram selecionados os reprodutores pelo seu desempenho no pastoreio e não por sua aparência.

Josuel (Zuza), que trabalha a dois anos na Cabanha UNIMAR e é adestrador desde que o Border Collie foi introduzido no Brasil, afirma que "não consegue trabalhar com ovinos sem a presença do cão de pastoreio, pois eles, além de serem companheiros, colaboram no manejo dos animais, tanto na pastagem como no curral. Os primeiros cursos realizados para os adestradores de cães de pastoreio no Brasil eram oferecidos por ingleses, irlandeses, americanos, entre outros. Hoje já temos bons adestradores no Brasil graças à dedicação de várias associações", afirma Zuza.

A primeira associação brasileira criada foi a AGBC (Associação Gaúcha de Criadores de Border Collie), em seguida foi a ABBC (Associação Brasil Border Collie), posteriormente a APPAS (Associação Paulista de Pastoreio). No ano de 2010 foi fundada mais duas associações, em setembro a ACOPAS (Associação Centro Oeste de Pastoreio), em Campo Grande/MS e no mês de outubro foi fundada a APOP (Associação de Pastoreio do Oeste Paulista), no município de Presidente Venceslau/SP.

Com essas associações nacionais unidas, todas com site próprio e total independência da realização das suas provas foi um dos motivos do grande avanço dos cães de pastoreio no Brasil. A Cabanha UNIMAR esse ano sediou a V Etapa da APPAS, inclusive a Prova de Doble Lift, (Duplo Levante, sendo no padrão internacional de cães pastoreio) que foi julgada pelo Inglês Mr. Dick Roper - membro do ISDS (Sociedade Internacional de Cães de Pastoreio), além de gerente de uma fazenda, que possui 5500 ovelhas e em torno de 600 bovinos.

Considerações finais

O uso de cães pastoreio é imprescindível na ovinocultura e também na bovinocultura, principalmente em rebanhos maiores, bem como para a condução na pastagem como no manejo dentro do curral, proporcionando bem estar animal, além da facilidade de manejo.

Figura 1 - Manejo com o cão de pastoreio no Curral Australiano da Cabanha UNIMAR.



Figura 2 - Rebanho comercial manejado com cães de pastoreio (fonte Ed Dourado, 2010).



Figura 3 - Campeonato Double Lift na Cabanha UNIMAR (Campeão Edvaldo).

CLEDSON AUGUSTO GARCIA

Professor da Universidade de Marília

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PERCILENE PATRICIA

EM 11/03/2019

Bom dia queria saber se é possível levar meu boder colly para treinar na unimar sou de Marília SP
VIVIANE GUIDI

SERTÃOZINHO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 12/01/2018

POR FAVOR GOSTARIA DE SABER O NOME E CONTATO DO TREINADOR DE MARILIA?
GAUCHO DE CANOAS

CANOAS - RIO GRANDE DO SUL - OVINOS/CAPRINOS

EM 23/02/2011

Em Maringá, poderás encontrar o Canil Bratislava, uma das melhores linhagens que ja vi, é so procurar no orkut.
CHRISTTOFER PAIVA DE OLIVEIRA

CURITIBA - PARANÁ

EM 22/12/2010

Gostaria de saber quem treina os caes aqui no Paraná.