ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Utilização de medidas realizadas no animal vivo e após o abate na avaliação de características da carcaça ovina

POR RAFAEL SILVIO BONILHA PINHEIRO

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/04/2009

3 MIN DE LEITURA

1
0
O conhecimento das características quantitativas e qualitativas da carcaça ovina é de fundamental importância para a indústria de produtos de origem animal. A determinação de tais aspectos, para fins experimentais pode ser obtida, através das medidas morfológicas in vivo como comprimento corporal do animal, perímetro torácico, altura do anterior e posterior (Pinheiro et al., 2004) ou através das medidas da carcaça, como comprimento da perna, largura da garupa, perímetro da garupa, profundidade do tórax, comprimento interno e externo da carcaça. De acordo com Cunha et al. (1999) as medidas in vivo têm alta correlação com as da carcaça, podendo ser utilizadas em conjunto ou isoladas.

As medidas in vivo também podem ser determinadas com o uso do equipamento de ultra-som. De acordo com Prado et al. (2004) as medidas do músculo Longissimus dorsi determinadas com o ultra-som no animal vivo, tem sido próximas às mesmas medidas realizadas na carcaça após o abate do animal. As medidas mais usuais na avaliação do músculo Longissimus dorsi por ultra-som e na carcaça são a área de olho de lombo e espessura de gordura subcutânea para predizer características da carcaça. Segundo Palsson (1939) outras medidas também podem ser utilizadas na avaliação da carcaça, como a profundidade máxima do músculo Longissimus dorsi, que indica a musculosidade da carcaça. O comprimento máximo do músculo Longissimus dorsi também vem sendo determinado em estudos relacionados com características da carcaça de ovinos (Mccutcheon et al., 1993; Pinheiro, 2006).

As medidas morfológicas podem contribuir para a determinação do índice de compacidade da carcaça ou da perna dos ovinos, que indicam a relação entre a massa muscular e adiposa com o comprimento da respectiva carcaça ou perna, refletindo aspectos de musculosidade. Wood et al. (1980) afirmaram que o comprimento interno da carcaça é um bom indicativo do peso e das características da mesma, estando de acordo com El Karin et al. (1988) que também encontraram alta correlação entre o comprimento interno da carcaça com o peso da mesma, assim como também a medida de profundidade do tórax de ovinos indica o peso da carcaça.

De acordo com Pinheiro (2009) a profundidade e o comprimento máximo do músculo Longissimus dorsi de ovelhas de descarte determinados in vivo por ultra-som como na carcaça apresentam alta correlação com a área de olho de lombo. Segundo o autor, tais medidas podem ser utilizadas como alternativa na avaliação de características da carcaça ovina pela facilidade de sua determinação com precisão.

Referências

CUNHA, E. A.; BUENO, M. S.; SANTOS, L. E. Correlações entre características de carcaça de cordeiros Suffolk. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36., 1999, Porto Alegre. Anais ... Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1999. 1 CD-ROM.

EL KARIN, A. I. A.; OWENS, J. B.; WHITAKER, C. J. Measurement on slaughter weight, side weight, carcass joints and their association with composition of two types of Sudan Desert sheep. Journal Agricultural Science, v.110, n.01, p.65-69, 1988.

McCUTCHEON, S.N.; BLAIR, H.T.; PURCHAS, R.W. Body composion and organ weights in fleeceweight selected and control Romney rams. New Zealand Journal of Agriculture Research, v.36, n.05, p.445-449, 1993.

PALSSON, H. Meat qualities in sheep with special reference to Scottish breed and sample joint as indice of quality and composition. Journal of Agricultural Science, v.29, p.544-626, 1939.

PINHEIRO, R.S.B. Características da carcaça e da carne de ovelhas Santa Inês abatidas em três estágios fisiológicos. 2009. 55 f. Tese (Doutorado em Produção Animal) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, 2009.

PINHEIRO, R.S.B. Aspectos quantitativos da carcaça e qualitativos da carne de ovinos de diferentes categorias. 2006. 106 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, 2006.

PINHEIRO, R.S.B. et al. Características morfológicas "in vivo" e da carcaça de cordeiros terminados em confinamento. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 41., 2004, Campo Grande. Anais... Campo Grande: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2004. 1 CD-ROM.

PRADO, C.S. et al. Comparação de diferentes métodos de avaliação da área de olho de lombo e cobertura de gordura em bovinos de corte. Ciência Animal Brasileira, v.5, n.3, p.141-149, 2004.

WOOD, J.D.; MACFIE, H.J.H. The significance of breed in the prediction of lamb carcass composition from fat thickness measurements. Animal Production, v.31, n.03, p.315-319, 1980.

RAFAEL SILVIO BONILHA PINHEIRO

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

KLAUS CARLOS BERNAUER

BLUMENAU - SANTA CATARINA

EM 16/04/2009

Que ótimo existirem jovens com interesse na ovinocultura. É de fundamental importancia o trabalho realizado pelo Dr.Pinheiro pois como produtor preciso conseguir avaliar como está o meu plantel e como esta a relação com os cruzamentos do Sta. Ines com Texel e Dorper. Com estas ferramentes pode-se trabalhar com tecnologia e esse é o unico caminho , chega dessa "achologia e achologistas".

Como poderiamos ter acesso a mais informações para aprender e aplicar sobre a matéria que o Sr. apresentou? Uma pergunta de ordem tecnica /comercial, quanto custaria um equipamento desse de ultrasom, seria viavel a partir de que quantidade de animais, pois ai alguns criadores poderiam utiliza-lo juntos e contratar um técnico para operação e avaliação. Também posso usa-lo por exemplo, no controle da gestação ou teria que ter um cabeçote diferente ou não?

Escrevi e perguntei bastante porque realmente é entusiasmante esse tipo de trabalho apresentado, assim vai para frente Brasil.

fico no aguardo de informações ,

envio meus parabens e um grande abraço ao Dr.
MilkPoint AgriPoint