FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O que influencia o desempenho econômico?

POR CARINA BARROS

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/01/2017

4 MIN DE LEITURA

8
1
A produção leiteira é uma atividade econômica, sendo realizada para obtenção de lucro. Para isso os produtores adotam processos produtivos que julgam mais eficientes para sua realidade. Esses processos incluem variáveis técnicas, que são aquelas ligadas diretamente ao processo de produção, e administrativas, vinculadas ao gerenciamento do negócio. Ambas podem ser realizadas de modos diferenciados e isso causa diferenças no resultado econômico. Nessa perspectiva, quais seriam os principais fatores que influenciam nessa diferença?

desempenho econômico - produção de leite

De modo geral, podemos pensar em dois grandes grupos ou fatores: externos e internos.

Fatores externos

São aqueles que estão em um contexto maior, além da propriedade, e sobre os quais o proprietário não tem controle. Dessa forma, ele precisa saber identifica-los para trabalhar sob sua influência da melhor maneira possível, ou seja, ter estratégias para cada ocasião. Podemos citar como fatores externos:

- condições edafoclimáticas;
- políticas governamentais;
- legislação vigente;
- preço de insumos;
- preço pago ao produtor;
- transporte;
- política de crédito rural;
- disponibilidade de assistência técnica especializada, dentre outros.


Fatores internos

São aqueles que estão sob controle do proprietário e para os quais há necessidade de ferramentas de monitoramento para avaliação e análise sobre necessidade de mudança. Podemos citar como fatores internos:

- produtividade;
- eficiência técnica;
- investimento em tecnologia;
- sistema de gestão;
- mão de obra qualificada;
- taxa de lotação das pastagens;
- grupo genético dos animais, dentre outros.


Identificação de situações práticas

A partir desses fatores foram pesquisados artigos publicados para identificar quais deles são mais citados e relacionados com o resultado econômico. Acompanhe a seguir.

De modo geral, observa-se que os produtores mais eficientes, que são aqueles que obtém maior margem bruta, conseguem atingir maior eficiência e produtividade no uso dos fatores de produção como terra, animais, pastagem, alimentação e mão de obra. Uma pesquisa realizada com produtores rurais por Mondaini revelou que o uso de concentrado na alimentação das vacas apresentava relação inversa com a rentabilidade, ou seja, quanto mais concentrado, menor rentabilidade, e com isso também verificou que a qualidade do volumoso tem influência por permitir a redução do uso de concentrado. Outra situação apontada foi a relação do volume de produção com a produtividade e a eficiência econômica, indicando uma possível existência de economia de escala na atividade, ou seja, os produtores mais eficientes economicamente têm um aproveitamento mais racional dos recursos disponíveis.

Buss e Duarte (2010) publicaram um trabalho no qual identificaram que a criação de bezerros e a venda de vacas de descarte influenciaram o resultado econômico. Ao analisar uma propriedade leiteira constataram que somente a receita da produção de leite não foi suficiente para cobrir todos os custos da atividade. Os pesquisadores também relataram que a baixa produtividade da terra (área maior que a necessidade real para o rebanho) somada à baixa produtividade animal apresentava efeito negativo no desempenho da atividade por aumentar o custo de produção do sistema. A mesma pesquisa ainda revelou o efeito do preço pago ao produtor no resultado da atividade, pois chegou a constar uma variação de 22% de um mês para outro, com oscilações de quase 60% entre os meses de julho, mês do preço mais alto, e dezembro, mês do preço mais baixo.

Em estudo realizado por Cordeiro et al. (2013) em uma propriedade concluiu que a disponibilidade de forragens aos animais era um ponto crítico que afetava os lucros, enquanto os achados de Madke (2013) mostraram que a baixa qualidade do rebanho e ausência de manejo reprodutivo e sanitário eram as situações que comprometiam a atividade.

Recentemente, Souza et al. (2013) mostrou a influência da alimentação dos animais tem na produtividade e no lucro, indicando que fontes alternativas de alimentos à ração foram capazes de manter a produtividade semelhante à média regional.

Santos e Lopes (2012) concluíram que os gargalos responsáveis pela margem bruta negativa no seu estudo ocorreram devido à dois fatores: mão de obra com custo excessivo e preço do leite baixo.

Não há muitos artigos publicados sobre resultado econômico da produção leiteira, sendo importante a exploração dessa temática para contribuir com a atividade. Entretanto, nos artigos encontrados foi possível verificar que a maioria identifica os fatores internos como os maiores responsáveis pelo resultado. Dessa forma, o produtor precisa monitorar e avaliar constantemente seus indicadores para promover melhorias em busca de maior lucratividade.

Referências bibliográficas 

MONDAINI, I.; VIEIRA, A.P.; VEIGA, R.D.; TEIXEIRA, S.R. A rentabilidade da atividade leiteira: um caso de produtores no médio paraíba do estado do Rio de Janeiro. Cad. Adm. Rural, Lavras, v. 9, n. 1. Jan./Jun. 1997.

BUSS, A. E; DUARTE, V. N. Estudo da viabilidade econômica da produção leiteira numa fazenda no Mato Grosso do Sul. Custos e @gronegócioonline - v. 6, n. 2 - Mai/Ago - 2010.

CORDEIRO et al. Análise de diagnóstico de produção leiteira de uma propriedade do interior do município de Jóia. Modalidade do trabalho: Relatório técnico-científico. Evento: XIV Jornada de Extensão. 2013.

MADKE et al. Diagnóstico e proposições para intensificação da pecuária de leite de uma unidade de produção do município de Jóia. Modalidade do trabalho: Relatório técnico-científico. Evento: XIV Jornada de Extensão. 2013.

SOUZA et al. A produção de leite como fonte geradora de trabalho e renda no assentamento
Antonio Tavares, município de São Miguel do Iguaçu – PR. Revista Cadernos de Agroecologia, V. 8, N. 1, 2013.

SANTOS, G.; LOPES, M.A. INDICADORES DE RENTABILIDADE DO CENTRO DE CUSTO PRODUÇÃO DE LEITE EM SISTEMAS INTENSIVOS DE PRODUÇÃO. B. Indústr.anim., N. Odessa,v.69, n.1, p.001-011,jan./jun., 2012.
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

CARINA BARROS

Médica veterinária
Mestre em Ciências Veterinárias UFPR
Doutora em Nutrição e Produção Animal FMVZ-USP
Pós-doutorado FMVZ-USP
Atuação na avaliação econômica e modelagem

8

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

GIOVANI OGLIARI

OURO VERDE - SANTA CATARINA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/01/2017

Na situação que estamos passando já a pelo menos quatro anos, vejo como técnico e produtor de leite, que por mais eficiente que seja o produtor da porteira para dentro, na questão relacionada a fatores internos, tentamos ser o mais eficiente possível, porém como  melhorar por exemplo índices zootécnicos que estão diretamente relacionados ao que  foi citado neste artigo que são os fatores externos, que é o que nos traz margens, para podermos ser eficientes.

Então isso é um desrespeito contra nós produtores que somos manipulados e não conseguimos influenciar fatores externos.

e quando a atividade se tornar viável ai sim é possível melhorar vários fatores internos.



Por que o que infelizmente, nos da possibilidade de seguir investindo na atividade e obter bons resultados econômicos é o lucro da atividade, por que hj quem faz gerenciamento da atividade com depreciação e remuneração do capital investido, a margem de lucro é pouca ou até mesmo negativa!!!!
FABIANO BOHNENBERGER

BOM JARDIM - RIO DE JANEIRO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 13/01/2017

É interessante observar que a nivel nacional o comportamento dos produtores em relação aos indicadores internos de produção é praticamente o mesmo em todos os cantos do país.  Estar na atividade leiteira é para quem realmente depende da renda que ela pode oferecer, sendo que sim, os produtores que conseguem se tornar eficientes ao lidar com seus fatores internos de produção,  são os que conseguem conquistar o almejado lucro.
PAULO FERNANDO ANDRADE CORREA DA SILVA

VALENÇA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/01/2017

Fatores externos: prodotor que faz a manutenção da via pública para evitar o colapso

Da atividade; Uso continuo de gerador de energia elétrica por falta de fiscalização da concessionária pela Aneel.

Falta de mão de obra capacitada por inatividade do Senar.

Concertrado mais caro que em outros estados por tributação mais alta

São fatores externos que inviabilizam regiões inteiras, independente da eficiência do produtor
GENIVALDO

JEREMOABO - TOCANTINS - ESTUDANTE

EM 11/01/2017

Parabéns Carina pelo belo artigo, sou estudante do curso de zootecnia aqui em Sergipe, quero essa formação para ajudar e mostrar aos produtores que pode ter ajustes, aumentando o lucro e para q isso aconteça é preciso um controle minuncioso nessas atividades, principalmente nos fatores internos.
RONEY ZIMPEL

CAPITÃO LEÔNIDAS MARQUES - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/01/2017

Olá Carina,

Gostaria de que você comentasse  a frase  " Um pesquisa...... revelou que o uso de concentrado na alimentação das vacas apresentava relação inversa com a rentabilidade, ou seja, quanto mais concentrado, menor rentabilidade".  

Você pode citar em qual revista cientifica está publicado esse  material? Há outros trabalhos científicos mostrando resultados semelhantes?



Obrigado




ALMIR RUDSON DA SILVA

ITUIUTABA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/01/2017

Carina a explicação foi objetiva e assertiva. o desafio na cadeia do leite está realmente ligado a estes fatores internos ("da porteira pra dentro") e externos ("da porteira pra fora"). mediante isso, devemos conscientizar os produtores e ajudá-los a terem controle, principalmente nos fatores internos.
LEONARDO JOSÉ CAMPOS JÚNIOR

VIÇOSA - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 10/01/2017

Excelente explicação!!! Acredito muito nisso... Vejo produtores com renda bruta alta porém gastos excessivos!!! A redução no gasto como o de concentrado é um fator onde o rendimento produtivo aumenta MUITO em relação a gasto/produção!!!
ALBERTO MAGNO DE ASSIS

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/01/2017

Parabéns Carina Barros, este assunto é muito pertinente. Destaca os dois lados da produção leiteira.

Fatores externos e internos, sendo que temos melhor condição de atuar em fatores internos ou seja da porteira pra dentro de nossa propriedade.
MilkPoint AgriPoint