ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Irrigação e adubação nitrogenada do capim tanzânia em Parnaíba (Piauí)

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/11/2003

3 MIN DE LEITURA

0
0

Braz H. Nunes Rodrigues1, João A. Magalhães1, Expedito A. Lopes 2

Na região Nordeste do Brasil, a pecuária leiteira exibe índices de produtividade muito baixos, com uma grande variação nos níveis de tecnologia utilizados. Os sistemas de produção de leite a pasto constituem alternativas de baixo custo, comparativamente aos sistemas baseados no uso de concentrados. Esses sistemas têm sido majoritariamente baseados no uso de capim-elefante.

No entanto, várias outras gramíneas podem ter potencial para uso nos sistemas de produção de leite. A avaliação de plantas forrageiras, visando a seleção de espécies é fundamental, principalmente ao se considerar que a produtividade e o valor nutritivo de uma pastagem dependem muito do manejo adotado, sofrendo grande influência das condições ambientais. No processo de avaliação, estudos de adubação que venham permitir que a planta expresse todo o seu potencial produtivo, eliminando a influência negativa da baixa fertilidade do solo, são de alta importância.

No Piauí, a existência de um longo período seco, acompanhado de altas temperaturas, constitui, além da baixa fertilidade dos solos, efeito restritivo ao crescimento das plantas forrageiras, resultando em reduzida disponibilidade de forragem e baixo valor nutritivo do material remanescente das pastagens. A irrigação, quando possível, elimina esta sazonalidade de produção das pastagens, com efeito benéfico sobre a produção dos animais em pastejo. Além disso, nessas áreas com temperatura e radiação constantes, a irrigação tem a oportunidade de mostrar maior viabilidade técnico-econômica, em comparação a outras regiões do país localizadas em maiores latitudes.

Na formulação de um sistema de produção de leite em pastagem irrigada nas condições da região nordestina, é fundamental obter-se informações que subsidiem recomendações próprias, dentre outras, em relação à: i) resposta da espécie/cultivar forrageira ao pastejo intensivo em função da quantidade de água de irrigação e dos níveis de fertilização aplicados para as condições regionais; ii) maneira mais eficiente (econômica e biologicamente) de produzir forragem irrigada; iii)momento (idade) adequado para colocar os animais e retirá-los da pastagem; e iv) potencial de produção de leite(capacidade de suporte) de cada forrageira. É imprescindível, portanto, estudos dessa natureza, visando encontrar respostas para esses questionamentos.

Assim, visando buscar respostas para parte desses questionamentos, a Embrapa Meio-Norte conduziu um trabalho em sua Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Parnaíba-PI cujo objetivo foi avaliar o potencial de produção de matéria seca e proteína bruta do capim Tanzânia, sob diferentes níveis de irrigação e adubação nitrogenada. Os níveis de água aplicados foram calculados em função do fracionamento da evaporação do tanque classe "A" (ECA) entre duas irrigações consecutivas, o que proporcionou uma aplicação total, no período de 05 cortes da gramínea, de três lâminas de água: 200, 600 e 1000 mm. As doses de nitrogênio (N) avaliadas foram: 100, 200 e 300 kg/ha.ano, na forma de uréia. Aplicou-se, em fundação, de maneira uniforme em todas as parcelas, 100 kg/ha de P2O5 e 50 kg/ha de K2O, nas formas de superfosfato simples e cloreto de potássio, respectivamente. A gramínea, que já havia sido implantada no ano anterior, recebeu quatro cortes de uniformização durante o período das chuvas e um último corte de uniformização no início do período de estiagem, quando se iniciaram os tratamentos de irrigação e ocorreu a aplicação dos níveis de N em cobertura. A primeira amostragem ocorreu 28 dias após este corte de uniformização e as demais se procederam, também, em intervalos de 28 dias, totalizando cinco cortes no período.

Os resultados do experimento demonstraram que não houve efeito significativo para lâmina de água (L) e a interação LxN na produção de matéria seca (MS) da gramínea, sendo observado apenas o efeito isolado de N para MS, com a produtividade máxima de 27.678 kg/ha obtida com a aplicação do nível de nitrogênio correspondente a 300 kg/ha.

Uma vez que não ocorreu efeito significativo para as lâminas de água aplicadas, sugere-se a aplicação do menor nível (0,2 ECA), em função da economia de água e conseqüente redução nos custos de produção da forragem.

Com relação ao teor de proteína bruta (%PB), os efeitos das doses crescentes de nitrogênio e lâmina de água demonstraram linearidade, onde os valores médios encontrados de %PB para a cultivar, com destaque para a combinação dos maiores níveis de L e N (15,72 %), comprovam o valor nutritivo dessa forrageira para a produção de leite a pasto.

1Embrapa Meio-Norte
2Embrapa Caprinos

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint