ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Criação de búfalos cresce em Minas Gerais

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/04/2017

3 MIN DE LEITURA

0
0
Em Minas Gerais, o sucesso da criação de búfalos se revela no rebanho, que em pouco mais de uma década, dobrou no estado, segundo dados da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A participação mineira no plantel do país avançou de 2,7% em 2002 para 4,6% em 2015, última estatística disponível pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os bubalinocultores estão tendo bons rendimentos com a comercialização e se beneficiam da expansão do mercado.  

criação de búfalos - Minas Gerais

Segundo João Batista de Sousa, sócio de Marcelo Vargas Leão, que conduz a propriedade do Laticínio Bom Destino em Morro do Ferro, distrito de Oliveira, Região Centro-Oeste de Minas, a atividade, a demanda e o consumo estão em expansão. 

Quem também endossa os números verificados pelo IBGE é o presidente da Associação Mineira de Bubalinocultura, Élcio Reis. Segundo ele, a crise afetou em cheio a produção bovina, mas em compensação, no caso da criação de búfalos, os resultados não foram tão impactados. “Apesar da retração, o búfalo segue bem valorizado e os criadores têm boa rentabilidade”, afirmou.

Reis destacou que o estado tem um dos melhores rebanhos do país, apesar de Minas ocupar apenas a 6ª colocação no ranking nacional. Eram, em 2015, 63.337 cabeças. Na liderança da produção nacional está o Pará, seguido do Amapá, São Paulo, Maranhão e o Amazonas. O país tem aproximadamente 1,4 milhão de cabeças.

Desafios

A expansão da bubalinocultura impõe, no entanto, desafios aos produtores. Segundo Élcio Reis, a burocracia no registro dos animais é um entrave a ser superado. Ele conta que, com a dificuldade, boa parte dos criadores deixa de registrar os animais. “Você tem prazos muito apertados para informar ao Ministério da Agricultura, por exemplo, quando ocorre a cobertura e quando nasce um animal novo”, relata.

Para João Batista de Sousa, do Laticínio Bom Destino, a fiscalização deixa a desejar quando não consegue garantir que 100% dos produtos que trazem a informação de que são feitos de búfalo sejam puros, sem a adição de outros ingredientes, como leite de vaca.

O produtor também chama a atenção para a comercialização, que, segundo ele, é um dos grandes desafios. “Quem for iniciar uma linha de produção com búfalo deve ficar atento para buscar quem valorize o produto que seja puro. Assim é possível valorizar a mercadoria”, afirma. Ele considera desleal a concorrência com quem não entrega ao consumidor o derivado puro.

Atrás do consumidor exigente

O sucesso e a expansão das vendas dos laticínios dos bubalinocultores refletem investimentos feitos no desenvolvimento de produtos mais atrativos ao paladar. Além da já tradicional muçarela de búfala, requeijão, iogurte, ricota e outros tipos de queijo, como cottage e frescal, já são encontrados no mercado consumidor . “A gente tem procurado diversificar cada vez mais a linha de produção até para ganhar mais clientes e conseguir expandir a comercialização”, contou João Batista. O laticínio Bom Destino tem produção própria de cerca de 4 mil litros de leite por dia, e recebe outros 8 mil litros de fornecedores diariamente.

A expectativa da Associação Brasileira de Criadores de Búfalo (ABCD) é que em 30 anos o país alcance um rebanho de 50 milhões de cabeças. No caso de Minas Gerais, a produção vem aumentando ano a ano desde 2002, quando começou a ser feito o levantamento. Apenas entre os anos de 2005 e 2008 os números cresceram pouco, chegando a cair de 38,1 mil cabeças em 2006 para 37,5 mil em 2007.

A Região Centro-Oeste é a que detém o maior rebanho no estado, com 18,6 mil cabeças. Na sequência estão as regiões Central (11,7 mil), Triângulo (7,3 mil) e Rio Doce e Sul empatadas com 6,3 mil cabeças. O município de Fortuna de Minas é o que concentra o maior rebanho, seguido por Oliveira, Piumhi, Guanhães e João Pinheiro.

As informações são do jornal O Estado de Minas, resumidas pela Equipe MilkPoint. 

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint