FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Probióticos na nutrição de bovinos: uma nova perspectiva

POR NATANAEL LEITÃO

ESPAÇO ABERTO

EM 04/09/2017

3
0
Probióticos, segundo a Organização Mundial da Saúde, são “microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro” (FAO/WHO, 2001). Esses microrganismos são isolados do sistema digestivo dos animais, e após crescimento em laboratório, são desidratados em um processo denominado liofilização e entram em latência, um estado em que eles permanecem vivos, mas metabolicamente inativos. Ao serem administrados aos animais misturados à ração ou aos minerais, esses microrganismos retornam ao seu ambiente natural e tornam-se ativos novamente, promovendo diversos benefícios à saúde e produtividade animal.

O uso de probióticos na bovinocultura foi primeiramente descrito em 1924, quando criadores norte americanos passaram a suplementar a dieta de bovinos leiteiros com a levedura Saccharomyces cerevisiae como fonte de vitaminas do complexo B. Ao longo dos anos, o S. cerevisiae mostrou-se um importante aliado na criação de bovinos por atuar na manutenção do pH na cavidade ruminal, reduzindo a incidência de acidose no rebanho, além de promover a proliferação de bactérias que auxiliam o processo digestivo.

Hoje o uso de S. cerevisiae é amplamente difundido, principalmente na bovinocultura leiteira, e seus benefícios partem de: aumentar em até 1 kg/dia a produção de leite por vaca; aumentar em até 7% a quantidade de gorduras do leite; reduzir a concentração ácidos láticos no rúmen em até 0,9 mM; aumentar a digestibilidade da dieta em pelo menos 0,8%; incrementar o consumo de matéria seca em 0,44g/kg do peso corporal do animal; além de induzir melhoras no sistema imunológico, redução da incidência de doenças entéricas e respiratórias e reduzir a emissão de gases estufa (Desnoyer et al., 2009).

Mas o uso das leveduras de S. cerevisiae, apesar de conferir benefícios, está se tornando obsoleto. Variações nos resultados obtidos com esse probiótico tem elevado a desconfiança do produtor rural, que muitas vezes deixam de utilizar o aditivo na suplementação da dieta dos animais. Vimos em nosso artigo anterior (Estudo da microbiota ruminal, quando apenas abrir os olhos não é o suficiente) que as microbiotas animais sofrem variações conforme a idade, raça, região da criação, dieta empregada e diversos outros fatores. Desse modo, é incoerente esperar que a levedura consiga induzir os mesmos resultados nos diferentes rebanhos, visto sua relação direta com a microbiota animal.

Com o estudo da microbiota é possível desenvolver probióticos específicos para cada rebanho, assegurar e maximizar os resultados conferidos pelo uso desse aditivo alimentar. Resultados prévios indicam que um probiótico específico pode aumentar em 10% a produtividade leiteira de um rebanho, reduzir a mortalidade de bezerros e melhorar parâmetros de saúde animal, como quantidade de proteínas totais e frações, albumina, ureia, creatinina, colesterol, triglicérides, glicose e lactato do sangue (resultados não divulgados).

O uso de probióticos está de acordo com tendências naturalistas do mercado. A perspectiva é de um aumento considerável na sua utilização entre bovinocultores nos próximos 10 anos, visto instruções normativas internacionais que pregam a redução do consumo de antibióticos na criação animal. Cabe ao produtor rural brasileiro estar atento às novas tecnologias e tendências do mercado e partir na frente na utilização das inovações nos seus sistemas de criação.

probióticos na dieta de bovinos
Leveduras de S. cerevisiae e colônias bacterianas ruminais em microscopia eletrônica varredura (Dobicki et al., 2006)

NATANAEL LEITÃO

Natanael é biólogo pela UECE, com mestrado e doutorado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo. Possui experiência em microbiomas e desenvolvimento de probióticos de uso animal. Fundador da YLive biotecnologia.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MAURÍCIO SEMENSE

GAURAMA - RIO GRANDE DO SUL - ESTUDANTE

EM 28/12/2017

Boa tarde Natanael !

Queria saber se é possível me passar alguma informação sobre a ação e função da bactéria Bacilus Subtilis e Lactobacilus Acidophillus dentro do organismo da vaca?
NATANAEL LEITÃO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 05/09/2017

Obrigado, Márcio! Abraço!
MARCIO JOSÉ DE ANDRADE

JACAREZINHO - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/09/2017

PARABENS PELO ARTIGO,MUITO BOM...