ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Reação nos preços "spot"

POR MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

PANORAMA DE MERCADO

EM 19/01/2006

3 MIN DE LEITURA

1
0

Janeiro veio a confirmar o péssimo cenário de 2005 para os produtores de leite; na média nacional os preços recuaram 1,14%, pouco menos de meio centavo de real por litro.

O preço bruto médio pago pela produção de dezembro foi de R$0,42/litro, o pior preço registrado na história, quando se considera a inflação pelo IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna).

Em São Paulo, também considerando a inflação, apenas ao final de 2001 os preços foram mais baixos que os atuais, um centavo menos. A estimativa feita em dezembro para o valor médio de 2005 se confirmou: o litro de leite brasileiro fechou, em média, em R$0,506, corrigindo também os preços pelo IGP-DI. O valor de 2005 é apenas 0,66% superior à média registrada em 2001, ano dos piores preços já registrados quando se considera a inflação.

De maio a dezembro de 2005, o preço médio do leite recuou o inesperado índice de 26,7%. Essa triste marca supera até os recuos registrados em 2000 (recuou 21%) e 2001(recuou 24%), anos de diferentes realidades, mas que foram marcados por quedas bruscas nos preços do leite de novembro e dezembro. Mesmo em 2003, com toda especulação criada pela crise da Parmalat, os preços caíram 16% em relação aos valores mais altos do ano.

Em Goiás, Rondônia, Espírito Santo e Rio Grande do Sul os valores do leite de dezembro são cerca de 32% mais baixos que os preços mais altos, praticados em meados de 2005. No Mato Grosso do Sul a situação é ainda pior. Os preços, já em novembro, caíram 40% num período de quatro meses. É neste Estado que se registra o pior preço bruto médio do país, em torno de R$0,33/litro. Parece brincadeira!!!

O produtor de leite, que geralmente carrega fama de chorão, tem motivos de sobra para reclamar de 2005.

Porém, findo 2005, o mercado "spot" de janeiro esboçou uma reação. Em média, os preços subiram 4,8% em relação a dezembro. Ainda é pouco, quando se observa que os preços atuais deste mercado são de R$0,38/litro. Observe, na figura 1, o comportamento do mercado "spot" de janeiro de 2004 a janeiro de 2006 em São Paulo, Goiás e Minas Gerais.

Figura 1. Preços médios do mercado "spot", de janeiro de 2004 a janeiro de 2006, em R$ nominais por litro de leite em São Paulo, Minas Gerais e Goiás.
 


Sendo assim, não se espera que de imediato ocorra uma reação nos preços aos produtores, mas é provável que o mercado se estabilize e, em curto prazo, inicie um processo de recuperação.

Pela primeira vez, em 7 meses, mais de 10% dos entrevistados pela Scot Consultoria acreditam em aumento nos preços já para o mês de fevereiro, quando se paga a produção de janeiro. Os que apostam em estabilidade nos valores de mercado somam 66%. Observe, na figura 2, a opinião entre os agentes de mercado que trabalham com captação de leite.

Figura 2. Opinião entre os compradores de leite com relação às tendências para o próximo pagamento.

 


Não aparecendo nenhuma outra variável, ou novidade, o mercado tende a se reverter nos próximos meses.

No entanto, as perspectivas não parecem tão boas para os níveis de preços que serão atingidos em 2006. Em 2005, pelo IGP-DI, foi registrada a menor inflação dos últimos 60 anos - série desde 1944. A segunda menor inflação foi registrada em 1998, coincidentemente um ano eleitoral em que um presidente em exercício tentaria a reeleição.

Sendo assim, considerando o ano de eleição presidencial, quando o orçamento contribui como uma pesada variável de mercado, não se pode esperar muito para 2006. Tudo indica que este será um ano apertado para o produtor de leite. Vale lembrar que a produção brasileira aumentou consideravelmente em 2005.

Mas é sempre válido ressaltar que o mercado normalmente prega peças nas análises e tendências, revertendo tudo o que foi estimado ou desenhado.

MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

IVOR VICENTINI

CONSTANTINA - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 01/02/2006

Com certeza, é uma triste realidade os produtores do Mato Grosso do Sul estarem recebendo um valor médio de apenas R$0,33/litro de leite. Mas não podemos esquecer também da grande parcela dos produtores de leite do Rio Grande do Sul, que atualmente recebem menos de R$0,30/litro.



Com certeza estes produtores estão pagando para trabalhar. Pior que isso, é não termos políticas que regulamentem a produção de leite e os preços dos produtos. E mais uma vez, lamentavelmente, quem vai pagar a conta são os produtores, pois como diz o ditado: "A corda sempre estoura no lado mais fraco".



Até quando vai esta situação?
MilkPoint AgriPoint