FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Comércio ganha ritmo em julho com alta de 1% nas vendas no varejo

As vendas no varejo aumentaram 1% em julho, na comparação com junho, e tiveram o terceiro mês positivo seguido, de acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada hoje pelo IBGE. É o melhor resultado para julho desde 2013, quando o avanço foi de 2,7%. Os índices de maio e junho foram revisados para 0,1% e 0,5%, respectivamente.

O crescimento das vendas em julho demonstrou um maior ritmo, após um primeiro semestre marcado pela estabilidade. A alta de 1% é a maior desde novembro de 2018 (3,2%), mês da Black Friday. Com esse resultado, o setor varejista está no patamar de junho de 2015 e permanece 5,3% abaixo do nível recorde alcançado em outubro de 2014.

Sete das oito atividades pesquisadas tiveram resultados positivos em julho, com destaque para as altas de hipermercados (1,3%), setor de maior peso, outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,2%), que incluem vendas online, e móveis e eletrodomésticos (1,6%).

O aumento na população ocupada e nas condições de crédito paras as famílias foram dois fatores que influenciaram a melhora nas vendas. “Mesmo que seja crescimento em postos informais, as pessoas passaram a trabalhar. Isso tem impacto nas vendas de hipermercados, que é uma atividade básica”, explica a gerente da pesquisa, Isabella Nunes.

Já o crescimento do comércio de móveis e eletrodomésticos tem relação direta com o acesso a crédito, estimulado pela redução dos juros. “São vendas que vão participar do orçamento das famílias por alguns meses. A concessão de crédito aumentou para pessoas físicas, então houve um estímulo para as vendas de bens duráveis”, diz Isabella.

Em relação a junho, o varejo teve resultados positivos em 19 estados, com destaque para Mato Grosso (5,4%), Rio de Janeiro (2,7%) e Bahia (2,4%). As pressões negativas vieram de Amazonas (-1,9%), Roraima (-1,6%), Ceará (-1,5%), enquanto Goiás e Pará ficaram estáveis.

A pesquisa mostra também ganho de ritmo do comércio na comparação com julho de 2018, com crescimento de 4,3%, a quarta alta consecutiva nessa comparação. Já o indicador acumulado nos últimos 12 meses, passou de 1,2% até junho para 1,6% até julho.

“A taxa interanual foi influenciada pelo um dia útil a mais que julho teve em 2019. O resultado continuaria positivo sem esse dia a mais, mas em termos de magnitude, a taxa seria menor”, avalia Isabella.

O volume de vendas do varejo ampliado, que inclui veículos e materiais de construção, cresceu 0,7% em relação a junho. Veículos, motos, partes e peças recuaram 0,9%, após avanço de 3,5% no mês anterior, enquanto materiais de construção pressionaram positivamente, com avanço de 1,1%.

As informações são da Agência de Notícias do IBGE. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.