FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Produtores de leite uruguaios voltaram a receber mais pelo leite que os argentinos

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 26/06/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

Os produtores de leite uruguaios novamente estão recebendo mais do que seus colegas argentinos após a queda nos preços sofridos devido à recessão global impulsionada pela pandemia de Covid-19.

Em maio passado, o preço médio ponderado do leite pago ao produtor de leite argentino foi equivalente a US$ 0,269 por litro, segundo dados publicados pela Direção Nacional de Laticínios, enquanto no Uruguai estava em uma média de US$ 0,290 por litro, de acordo com dados do Instituto Nacional do Leite (Inale).

Diferentemente da Argentina, onde há uma multiplicidade de indústrias de laticínios, no Uruguai, o principal determinante dos preços do leite é a cooperativa Conaprole, que exporta a maioria dos produtos lácteos que produz.

Embora a política da Conaprole seja evitar ajustes bruscos de preços nos acordos feitos a seus parceiros produtores de leite, a queda na demanda internacional por lácteos registrada no início da pandemia de Covid-19 obrigou a empresa a reduzir o valor do leite que só pode ser parcialmente corrigido em maio.

O preço médio do leite em pó integral a granel exportado pelo Uruguai, que atingiu US$ 3329 por tonelada em março, caiu para US$ 3222 e US$ 3071 por tonelada em abril e maio, respectivamente.

Na Argentina, o efeito combinado da valorização da taxa de câmbio – no quadro de um mercado de câmbio interposto pelo Estado – juntamente com uma crescente disputa das indústrias de laticínios para comprar leite, impulsionaram os valores do leite medido em dólares.

No entanto, a partir de abril, o aumento do consumo de laticínios no mercado interno – o principal cliente –, juntamente com as dificuldades na exportação, causaram uma queda considerável no valor do leite medido na moeda americana.

No Uruguai, um dos crescentes riscos presentes no setor é o conflito trabalhista no campo industrial da Associação de Trabalhadores e Empregados da Conaprole (AOEC), que na semana passada, paralisou algumas linhas de produção da cooperativa provocando uma escassez temporária de alguns produtos lácteos no mercado local.

As informações são do Valor Soja, traduzida pela Equipe MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.