FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Infraestrutura é o principal gargalo para inovação no agronegócio, aponta Abag

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 18/12/2020

1 MIN DE LEITURA

0
1

O Comitê de Inovação e Tecnologia da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) fez uma pesquisa com associados, entidades do setor, academia e representantes ligados ao ecossistema empreendedor quanto à “Inovação e Competitividade do Agronegócio”. Os dados foram coletados entre agosto e setembro, e o objetivo é que os resultados ajudem a direcionar esforços futuros para crescimento da atividade agropecuária no país.

Na pesquisa, o setor de infraestrutura foi apontado em 80% das respostas como o principal gargalo para o agro brasileiro. Foram avaliados ainda o papel das políticas públicas, fator humano, propriedade intelectual e patentes, política internacional e acordos comerciais, financiamento e fomento à inovação e sustentabilidade para alavancar os negócios e a inovação no setor. 

Com relação ao fator humano, os entrevistados destacaram que o comprometimento dos funcionários (acima de 60%) é de altíssima relevância para o sucesso das iniciativas de inovação no agro. A seguir, vieram satisfação e nível de escolaridade dos empregados (com relevância acima de 50%).

Para inserção do agronegócio brasileiro nas cadeias globais de valor, 73% dos entrevistados acreditam que é preciso investir mais em promoção comercial do país, 63% defenderam investimentos em pesquisas agropecuárias e 58% maior sinergia entre agentes públicos e privados.

No âmbito da percepção com o que contribui para a inovação e competitividade das empresas, foram destaque também o fator humano (70%) e as tecnologias 4.0 (63%). Os fatores organizacionais (54%) e ambientais (49%) apareceram na sequência.

A pesquisa apontou, ainda, que no relacionamento entre empresas consolidadas e startups, a maior competitividade do agronegócio tende a ser atingida por meio de programas pilotos ou provas de conceito, seguidos de parceria comercial.

Dentro da tecnologia 4.0, foram indicados como complicadores da adoção, além da infraestrutura de telecomunicações, a integração de sistemas, apontada como extremamente necessária por 75% dos entrevistados. 

Segundo o presidente do comitê da Abag, João Comério, é preciso amplificar os resultados obtidos pelo Brasil nos últimos anos em termos de avanço produtivo e competitividade, para que o país assuma posição de liderança no fornecimento de alimentos, fibras e energia a outras nações.

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint