FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Pandemia acelerou o avanço da digitalização de contratação de crédito rural

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 18/11/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

Funcionário de carreira, João Rabelo está há 36 anos no Banco do Brasil e preside a área de agronegócios da instituição desde janeiro. Assim, viveu o desafio de elaborar e colocar para rodar o “Plano Safra” de R$ 103 bilhões da instituição nesta temporada 2020/21, em meio à pandemia. E, com o isolamento social imposto pelo novo coronavírus, ampliou os investimentos na digitalização das operações para não perder o passo - nem clientes.

Um quarto da clientela conseguiu acessar empréstimos sem apresentar nova documentação nesta safra, de forma online. Na agricultura empresarial, o percentual chegou a 60%. “Começamos o processo de reutilizar a documentação do produtor que contrata financiamentos com o banco todo ano. O próximo passo será colocar a regra para o Pronaf [agricultura familiar] para alcançar mais gente ”, afirmou Rabelo.

A contratação digital também começou a pegar tração. Já foram R$ 3,2 bilhões liberados pelos canais digitais em crédito rural em 2020 em mais de 13 mil operações. Do total, 38% foi registrado já na safra 2020/21, que começou em julho. Das operações com CPR, por exemplo, 80% das liberações já acontecem sem nenhum contato humano.

O excesso de burocracia ainda atrapalha a ampliação dos canais digitais no agronegócio. “Se for fazer um CDC, gasta-se de três a quatro telas. Uma operação de custeio rural digital tem de 15 a 16 telas. Isso é custo. São muitas informações e fica muito complexo. Está todo mundo tentando reduzir esse custo de observância sem perder qualidade”, pontuou o vice-presidente.

Em um “cenário desafiador”, o agronegócio manteve níveis baixos de inadimplência e participação “proporcionalmente pequena” nas prorrogações de operações. Dos R$ 109,2 bilhões prorrogados pelo BB até o fim de setembro, 7% foram do setor. Produtores de áreas como hortifrútis, pescados, leite e cana-de-açúcar precisaram adiar pagamentos por causa da pandemia.

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint