ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

LEITE/CEPEA: Preço ao produtor recua em janeiro, mas é superior ao de 2013

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 30/01/2014

2 MIN DE LEITURA

12
0
O preço do leite pago ao produtor recuou pelo terceiro mês consecutivo, pressionado pelo aumento na captação e pela demanda moderada desde o final de 2013 em praticamente todas as regiões acompanhadas pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Elevação do volume captado e desvalorização do leite são comuns nessa época do ano, período de safra e de menor consumo devido, principalmente, às férias escolares.

Em janeiro, o preço bruto “nacional” (média ponderada pelo volume captado em dezembro nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA; valor com frete e impostos) foi de R$ 0,9951/litro, redução de 4,46% ou de 4,6 centavos por litro em relação ao mês anterior. Apesar da queda, a média atual é 7,3% superior à de janeiro/13 em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de dezembro/13). Por sua vez, o preço líquido médio (sem frete e impostos) pago ao produtor foi de R$ 0,9180/litro, baixa de 4,39% ou de 4,2 centavos por litro frente a dezembro/13, mas 13,2% superior a janeiro/13.

Segundo pesquisadores do Cepea, a queda nos preços já era esperada por agentes e muitos chegam a comentar que há um “superabastecimento” dos laticínios. O excedente de matéria-prima estaria sendo utilizado para a fabricação de leite UHT e leite em pó em algumas regiões do País.

De acordo com o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L/Cepea), o volume captado por laticínios/cooperativas em dezembro/13 aumentou 1,53% em relação ao mês anterior e está no maior nível da série do Cepea, iniciada em 2004 (Base 100). Dentre os sete estados acompanhados, somente São Paulo teve redução, de 1,84%, pois os laticínios estavam com estoques elevados. Vale lembrar que SP teve o maior aumento na captação de outubro para novembro, 8,15%.

A expectativa para o próximo mês é de queda e/ou estabilidade nos valores pagos aos produtores, segundo os laticínios/cooperativas consultados pelo Cepea. Entre os compradores entrevistados, pouco mais da metade (55,4%), que representa expressivos 74,9% do leite amostrado, acredita que haverá queda nos preços em fevereiro. Outros 41,3% dos agentes, que representam 21,7% do volume amostrado de leite neste mês, indicam estabilidade nos preços. Apenas 3,3% dos agentes têm expectativa de alta.

No mercado de derivados, as cotações também recuaram. No atacado paulista, o leite UHT se desvalorizou 8,13% em relação a dezembro, com média de R$ 1,84/litro (até o dia 29/01). O queijo muçarela caiu 3,04%, negociado a R$ 11,95/kg, em média. Alguns atacadistas esperam estabilidade a partir da segunda quinzena de fevereiro. A pesquisa de derivados do Cepea é realizada diariamente com laticínios e atacadistas e tem o apoio financeiro da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e da Confederação Brasileira de Cooperativas de Laticínios (CBCL).

Gráfico 1: ICAP-L/Cepea - Índice de Captação de Leite - DEZEMBRO/13. (Base 100=Junho/2004)

Fonte: CEPEA - ESALQ/USP

Tabela 1. Preços pagos pelos laticínios (brutos) e recebidos pelos produtores (líquidos) em JANEIRO/14 referentes ao leite entregue em DEZEMBRO/13
Fonte: CEPEA - ESALQ/USP

Tabela 2. Preços em estados que não estão incluídos na “média nacional” – RJ, MS, ES e CE

Fonte: CEPEA - ESALQ/USP


Gráfico 2: Série de preços médios pagos ao produtor - deflacionada pelo IPCA
(média de RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA)

Fonte: CEPEA - ESALQ/USP
 

12

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MANOEL CARLOS DA SILVA FILHO

IPORÁ - GOIÁS - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 24/02/2014

A questão não é tão simples, tem muinta incognita na equação. Muitos produtores poucos compradores que processam o produto. O custo Brasil vale prá todos. Acordos internacionais de exportação e importação afetam os preços internos. Nenhum produto tem preços elevados ou baixos por muito tempo, o mercado é o senhor de tudo. Portanto, é preciso produzir com eficiência, controle sistemático dos custos. Afinal, prá quem ama a atividade e vive dela dificilmente vai abandoná-la. Então é procurar sofrer menos.
MARCELO RESENDE VIEIRA

LEOPOLDINA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/02/2014

Nós precisamos é de uma política nacional onde nossos representantes CNA , Federações, bancada ruralista do Senado e da Câmara se dediquem mais em defender nosso setor, pois somos os maiores geradores de emprego de nosso País por isso precisamos nos unir . Não sabemos o tamanho de nossa força. Já está passando da hora de mostrarmos para esses safados que não podemos mais ficar a mercê dessa oscilação de mercado onde os produtores de um modo geral estão pagando a conta dess safadeza . Precisamos nos unir e realizar manifestações , parar rodovias, protestar com organização e mostrar para esses safados o tamanho de nossa força.abraços
TONY CARLOS BERNARDES

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 05/02/2014

Aqui em Uberlândia MG, fiquei sabendo que a cooperativa CALU já anunciou um aumento de 6 centavos para o próximo pagamento!!!! Gente, não demora vai faltar leite, os pastos estão acabando, os canaviais não estão se desenvolvendo e quem fez plantio tardio de milho ou sorgo pra silagem, não terá boa produtividade... ou seja....vai faltar leite!!!! Tomara que chova muito em março e abril, senão tamos ferrados!!!
NELSOMAR PEREIRA FONSECA

MUTUM - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 05/02/2014

O preço do leite pode estar superior agora, comparando no mês de janeiro de 2013, mas quanto era o salário? o preço dos combustíveis? energia elétrica? rações? os minerais? e os remédios? os materiais de limpeza para instalações, tanques e ordenhadeiras? como está o preço de mangueiras e teteiras?  a mão de obra para manutenção de maquinas e equipamentos? que cobram o preço que querem, sabem o preço dos fertilizantes quanto subiram? etc... Ter o preço maior que em janeiro de 2013, não é nenhum problema, o importante é saber o quanto hoje esta gastando para produzi-lo e vendendo pelo preço que estão pagando. Gostaria de saber como administrar um custo de hoje, e a receita futura com queda de preços de seu produto, que foi entregue no mês passado? Será que o CNPGL, consegue fazer esta administração? Onde suas despesas possam serem pagas com a receita do leite entregue no mês anterior? Eu não consigo fechar esta conta.

É um absurdo uma garrafinha de água mineral custar R$2,00 - um cafezinho custar R$1,00 - um copo de leite na lanchonete custar R$2,00. Uma dose de vacina aftosa custou R$1,45 a R$1,65 ( 5ml )

Nelsomar Pereira Fonseca
SIDNEY LACERDA MARCELINO DO CARMO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/02/2014

Prezados,



No meu ver os laticínios estão ansiosos para jogar  o preço para baixo e se considerarmos a situação que estamos passando em Minas Gerais ( Maior estado produtor de leite), uma seca que não acaba, teremos fortes altas posteriormente. E devemos considerar que fica inviável importar leite com dólar entre 2,4 a 2,5 e tonelada de leite em pó nos 5000 dólares.



OBS: Laticínios mudem suas condutas e valorizem seus produtores porque no meu ver vai faltar produto breve.
ANDRÉ LUIZ TEIXEIRA

LORENA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/02/2014

É simples amigos produtores vamos ter que tar calote em todos  e depois pedir bolsa familia
JOSÉ DE ALENCAR

PIUÍ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/02/2014

Com esta estiagem prolongada os pastos estão acabando e nos temos de voltar a tratar com silo e aumentar a ração se quisermos manter a produção, o que não da para fazer com o preço baixo
VITOR AUGUSTO SILVEIRA

OLIVEIRA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 04/02/2014

Situação ficará dificil esse ano se o leite nao reagir de preço. Muitas fazendas não colheram silagem suficiente ou de qualidade muito ruim devido a falta de chuvas.



Teremos que ter reajuste por parte das industrias, para pelo menos comprar concentrado que será também caro acredito...O leite vai subir eu tenho certeza, mas a relação de troca não sei se será vantajosa..



abraços
LUIZ CARLOS MARGINI

SÃO PAULO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/02/2014

Para nós os pequenos produtores, preço abaixo de R$1,20 o litro, no momento, deixa os produtores em situação dificil. È necesário que haja um equilibrio na manutenção do preço, a fim de que se consiga cobrir os custos. (Obs) com essa falta de chuva não vai haver pastos.
MARCOS ANTONIO RODRIGUES

ABADIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/01/2014

Este valor pago pelo litro de leite,  e sem duvida  uma falta de respeito e  com quem sacrifica e dedica o mes inteiro de domingo a domingo para colocar alimento na mesa do consumidor.E o mesmo que desrespeitar o proprio pai.
ADRIANO MARCOS CAMPOS

IBERTIOGA - MINAS GERAIS

EM 31/01/2014

Preço do leite só sera menos injusto quando sair dos centavos e entrar no Real.
EDUARDO AMORIM

PATOS DE MINAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/01/2014

Prezados colegas produtores,



    Estas quedas seguidas colocam o produtor em alerta vermelho e no vermelho, pois houve aumento do salário mínimo, do preço dos insumos, combustíveis, sem falar que o farelo de soja continua na casa de R$ 1.200,00 a tonelada. Janeiro e Fevereiro são meses bem pesados com despesas com ensilagem, IPVA, e outros impostos. Se houver mais quedas como anunciado no Boletim Cepea a situação tende a ficar crítica com leite abaixo de R$ 0,90 (valor líquido-no bolso do produtor) na média nacional, o que não cobre os custos de grande parte dos produtores. Oremos!

Eduardo Amorim

Fazenda Caatingueiro

W.Amorim Holstein

Patos de Minas - MG
MilkPoint AgriPoint