ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

FAO: preço dos alimentos é o maior desde 2014; lácteos sobem 1,6%

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 05/02/2021

2 MIN DE LEITURA

1
4

O índice de preços dos alimentos medido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) chegou a 113,3 pontos em janeiro, seu maior nível desde julho de 2014. O aumento em relação a dezembro foi de 4,3%.

Em janeiro, o indicador subiu pelo oitavo mês consecutivo. A FAO também revisou para cima a média de dezembro, de 107,5 para 108,6 pontos.

Em comunicado, a entidade internacional afirma que a alta foi resultado dos preços internacionais dos cereais, açúcares e óleos vegetais. O indicador para cereais teve média de 124,2 pontos em janeiro, com forte elevação de 8,3 pontos (7,1%) em relação a dezembro — foi seu sétimo aumento mensal consecutivo.

Os preços internacionais do milho subiram 11,2% na comparação mensal, refletindo a oferta global cada vez mais restrita, com produção e estoques mais baixos do que o esperado nos Estados Unidos e compras substanciais feitas pela China. A FAO também lembrou que Argentina e Rússia, grandes fornecedores de trigo, elevaram os controles para exportação desses cereal, elevando os preços globais.

Os preços dos óleos vegetais aumentaram 5,8% (7,7 pontos), em janeiro, com 138,8 pontos, nível mais alto desde 2012. A razão principal, disse a FAO no relatório, é que a produção de óleo de palma na Indonésia e na Malásia ficou abaixo do esperado, em virtude do excesso de chuvas, enquanto as greves na Argentina reduziram o fornecimento global de óleo de soja.

Os preços do açúcar subiram 8,1%, para 94,2 pontos, seu maior nível desde maio de 2017. A forte demanda e o aumento do preço do petróleo, junto com a desvalorização do real em relação ao dólar, causaram essa elevação no preço do açúcar.

O indicador para lácteos subiu pelo oitavo mês consecutivo e teve média de 111 pontos em janeiro, 1,7 pontos, isto é, 1,6% acima de dezembro.

Por fim, o subíndice de carnes da FAO teve média de 96 pontos em janeiro, alta de 0,9 pontos (1%) em relação a dezembro de 2020, marcando o quarto aumento mensal consecutivo. Todas as carnes subiram no mercado internacional.

As informações são do Valor Econômico.

Comentário MilkPoint 

É interessante ressaltar que esse índice refere-se aos preços globais dos alimentos. No cenário atual do leite no Brasil temos visto uma retração de preço em função da oferta alta e a demanda diminuída, como atestado peça média CEPEA em jan/21 que teve queda 4,3% em relação a fevereiro. 

A diminuição do poder de consumo da população em virtude do cenário pandêmico da Covid-19 aliada ao fim auxílio emergencial e à alta do desemprego são fatores que justificam a redução da demanda agregado por produtos lácteos. 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

SANTO OLIVATTO

IPUÃ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 05/02/2021

E o que é que a vaca tem com isso? porque na maioria das vezes é ela quem paga o pato,a conta não fecha ai míngua a ração.
MilkPoint AgriPoint