ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Governo descarta redução de juros no próximo Plano Safra

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 23/03/2021

1 MIN DE LEITURA

0
0

Em linha com o pensamento de auxiliares da ministra Tereza Cristina — e a contragosto de grande parte do setor produtivo —, a equipe econômica não vai apoiar a redução das taxas de juros do próximo Plano Safra. Além do aumento na taxa Selic, o qual saltou de 2% para 2,75% ao ano, o governo diz que houve um descolamento grande entre as taxas do crédito rural e o custo efetivo do recurso do Tesouro.

Na prática, a redução de juros no atual cenário significaria menos dinheiro aplicado na ponta aos produtores, já que a diferença que o governo gasta com a subvenção aumentaria. “Não vamos apoiar uma queda na taxa de juros”, pontuou o subsecretário de Política Agrícola e Negócios Agroambientais do Ministério da Economia, Rogério Boueri, em audiência virtual da Câmara.

No entanto, mesmo assim, as entidades da agricultura familiar mantêm o pedido por mais recursos e juros menores. “Não podemos continuar pagando juros iguais ou superiores à taxa Selic. No mundo inteiro a agricultura familiar tem subsídio”, comentou ao Valor o secretário de Política Agrícola da Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag), Antoninho Rovaris.

De acordo com economistas as chances são nulas de haver redução nas taxas para a agropecuária. Até julho, quando o novo plano entrará em vigor, a expectativa é que a Selic aumente ainda mais, para entre 4% e 5%. “Não faz sentido os juros caírem. Se isso acontecer, vai ter menos recurso”, falou uma fonte.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de São Paulo (Faesp), Fábio de Salles Meirelles, avalia que a elevação da Selic vai encarecer o crédito rural nas instituições financeiras e dificultar a contratação pelos produtores. Em nota, afirmou que “na edição 2020/21, ocorreram avanços importantes, mas os juros ficaram acima da expectativa."

“Se reduzirmos os juros, provavelmente vamos diminuir o volume de recursos efetivamente emprestados. É uma equação complexa que não deve ser resolvida observando apenas os resultados políticos”, ressaltou o economista chefe da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Antônio da Luz.

As informações são do Valor Econômico, adaptadas pela Equipe MilkPoint.

*Fonte da foto: Freepik

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint