Você está em: Comunidade > Colunistas > Blog

Tempo de agir

Por Clínica do Leite - postado em 31/07/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir

 

  Prof. Dr. Paulo Machado
 
Em pouco mais de 25 semanas, chegaremos ao final de 2017. Para muitos, esse número pode parecer assustador, trazendo a sensação de que o tempo é curto para colocar em prática na fazenda tudo o que foi planejado em 1º de janeiro, quando tínhamos pela frente 365 dias. Se esse é o seu caso, tente ver pelo outro lado: você ainda tem cinco meses novinhos em folha para agir!

É tempo suficiente para iniciar ou dar continuidade às transformações que tornarão a produção de leite um negócio cada vez melhor, para você e todos os demais envolvidos. Basta ajustar o foco. Quando a gestão não está alinhada, é comum que as fazendas iniciem o ano com muitos projetos abertos, dedicados a resolver problemas em diferentes áreas — reprodução, nutrição e manejo, por exemplo. Porém, ao desenvolver muitas iniciativas em paralelo, não é raro que muitas delas fiquem “empacadas”, sem gerar os resultados esperados e, o que é pior, tomando tempo de gestores e empregados com ações que não levam a lugar algum. Vale lembrar que, como qualquer outro recurso, tempo desperdiçado representa prejuízo.

Para estancar essa perda de horas e energia, observe a situação atual do negócio e, com toda franqueza, responda se vale a pena levar à frente todos os projetos iniciados. O que melhorou, de verdade, desde que começaram? A produtividade aumentou? A qualidade do leite foi elevada? Clientes e funcionários estão satisfeitos? A rentabilidade do negócio foi ampliada? Enfim, os resultados esperados até aqui foram alcançados? Essa reflexão, com base em fatos e dados, sobre os impactos de cada projeto em andamento na fazenda levará você à chave da gestão bem sucedida: a priorização.

Quando passamos a focar naquilo que realmente importa, tudo muda. Em vez de tentar atacar diversos problemas de uma só vez, busque entender o que é mais crítico no seu negócio. De tudo que poderia ser melhor, o que está impedindo você de ter mais leite no tanque? A resposta a essa pergunta provavelmente levará a uma lista de melhorias que precisam ser realizadas. Para ajudar na priorização, faça o seguinte:

1) Registre todas as ideias de melhoria em um papel ou em uma lousa e deixe essa lista em um lugar visível, tanto para você quanto para os demais envolvidos no negócio.
2) Avalie essa lista junto ao seu time — gerente, consultores, empregados — e, juntos, analisem qual das ideias é mais fácil e rápida de ser implementada, com baixo custo e alto impacto na produção. Ela é a prioridade!
3) Crie um plano de ação para realizar a melhoria eleita como prioritária. Determine o que precisa ser feito, em quanto tempo e quem serão os envolvidos para garantir o resultado esperado.
4) Depois que as ações planejadas para resolver o problema prioritário forem concluídas (e se os resultados alcançados forem os desejados), volte à lista e, com base nos mesmos critérios, escolha a próxima prioridade.


Assim, uma após uma, você conseguirá tirar as ideias do papel e verá, ao final do ano, grandes resultados na fazenda. Lembre-se que o importante é progredir sempre, pouco a pouco. A lista de prioridades indicará com clareza para onde o seu olhar, como gestor do negócio, deve se voltar neste momento. Nas próximas 25 semanas trabalhe com foco em ações capazes de gerar melhorias efetivas, resultados visíveis. Acredite: ainda há tempo para que 2017 fique marcado como o ano da virada na história do seu negócio. Siga em frente!

* Diretor da Clínica do Leite, é professor da Esalq/USP, professor titular em Bovinocultura de Leite, com 43 anos de experiência em gestão de fazendas.

 

Direitos reservados

Este conteúdo é de uso exclusivo do autor, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem a prévia autorização do mesmo.

 

Opinião

O texto deste colunista não reflete necessariamente a opinião do site MilkPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes

Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade