FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Monitoramento de resíduos de antimicrobianos no leite em propriedades rurais

Ação complementar é importante para garantia da produção de leite seguro e evitar a resistência dos agentes causadores de enfermidades.

 

Por Mônica Maria Oliveira Pinho Cerqueira -
Profa. Titular da Escola de Veterinária da UFMG

No século XXI, diversos problemas de saúde global têm sido relacionados principalmente a mudanças climáticas, sustentabilidade ambiental, zoonoses e doenças (re) emergentes (Ribeiro et al., 2019). Entre estes problemas que vem sendo tratados em um Programa denominado One Health (Saúde Única), destacam-se as doenças que comprometem a saúde do homem e dos animais, o aumento da pressão de seleção de bactérias resistentes e a produção de alimentos seguros. Para controlar estas doenças, precisamos utilizar, muitas vezes, substâncias químicas denominadas antimicrobianos. Em animais de produção e mais especificamente na atividade leiteira, o uso destes medicamentos, que são extremamente importantes para garantir a saúde animal e a maior produção de alimentos, deve ser prudente e racional. Se este uso for indiscriminado, sem fundamentação técnica e sem ações preventivas, veiculação de resíduos no leite e consequentemente, perdas econômicas e problemas de saúde pública podem ocorrer.

Garantir que o leite seja isento de resíduos de antimicrobianos tem um grande impacto na saúde pública e na renda de produtores e indústrias. O leite que contém resíduos de antimicrobianos se origina de animais não saudáveis, pode conter patógeno e ser um alérgeno em potencial para os consumidores. Essas preocupações são ainda maiores em locais onde não há práticas sobre o uso racional e prudente de antimicrobianos, onde não se respeita o tempo de carência e as informações do fabricante do medicamento e/ou quando não há programas de monitoramento por meio de testes de triagem e confirmação dos antimicrobianos no leite. A presença destes antimicrobianos no leite, que muitas vezes decorre de falhas de manejo, pode ter um impacto profundo na saúde de bebês e crianças em regiões que já enfrentam altas taxas de doenças diarreicas e desnutrição (Garcia et al., 2019). Além disto, é crescente a preocupação com o uso indiscriminado de antimicrobianos e com o aumento da resistência bacteriana, considerada atualmente, como um dos maiores problemas de saúde pública em todo mundo. Por isto, a exemplo de outros países, é importante controlar a comercialização e uso destes medicamentos.

Os antibióticos, um desses antimicrobianos, podem afetar negativamente o microbioma (Gordon et al., 2012) daqueles que consomem leite com resíduos, resultando em disbiose, uma mudança na microbiota associada a estados de doença (Langdon et al., 2016). Entre os microrganismos que têm um papel importante na homeostase intestinal e na saúde infantil, destaca-se o Bifidobacterium spp., altamente susceptível aos antimicrobianos. Desta forma, a exposição a resíduos de antibióticos nos alimentos, por exemplo, pode ter importante impacto na diversidade do microbioma intestinal, com redução da população de Bifidobacterium spp. e aumento de Proteobacteria. A disbiose pode durar anos, resultando em riscos à saúde a longo prazo, especialmente em bebês e crianças, como crescimento atrofiado, comprometimento da resposta imune e doença diarreica recorrente (Holmes et al., 2008).

 As perdas econômicas, por sua vez, estão relacionadas principalmente à condenação do leite de produtores por detecção de resíduos na indústria e à interferência nos processamentos tecnológicos de queijos e leites fermentados pela inibição de culturas láticas por estes resíduos que comprometem ou impedem a produção destes derivados lácteos.

Feitas estas considerações, o que precisamos fazer para mitigar o risco de veiculação de resíduos de antimicrobianos no leite? As principais ações incluem: a) uso racional e prudente dos antimicrobianos quando necessário, seguindo rigorosamente as recomendações de um médico veterinário, respeitando-se as informações contidas na bula do medicamento; b) marcação dos animais tratados por meio de sprays de coloração vermelha no quarto tratado; c) registros dos animais tratados, deixando-os a vista para que não ocorra risco de ordenha acidental destes animais e envio do leite com resíduos ao tanque; d) ordenha de animais tratados no final, com conjunto de ordenha separado e não envio do leite para o tanque refrigerador; e) registros corretos do dia da secagem e do parto para evitar riscos de o animal parir antes e veicular resíduos de antibióticos de vaca seca; f) monitoramento da presença de resíduos de antimicrobianos no leite de animais tratados por meio de testes de triagem, para aumentar a segurança de envio de leite ao tanque sem resíduos ou em concentração abaixo do LMR (Limite Máximo de Resíduo) estabelecido pela legislação brasileira.

Sobre o monitoramento de resíduos em leite de animais tratados a ser realizado nas propriedades, o produtor deve usar métodos de triagem capazes de detectar o antimicrobiano usado em concentrações abaixo do LMR e seguir, rigorosamente, as recomendações técnicas do fabricante. Cuidados na coleta de amostra que deve ser representativa de toda produção do animal, quanto ao controle da temperatura do bloco aquecedor (quando for o caso) e ao uso de leitor devem ser considerados, assim como a realização de testes com controle positivo e negativo. Esta análise quando realizada de forma adequada e com testes que realmente detectam o antimicrobiano utilizado na propriedade aumenta a segurança para o envio do leite do tanque. É importante que também sejam feitos registros destas análises na propriedade e dos treinamentos realizados pelo representante do kit de triagem. Manter um canal de comunicação aberto entre produtor, indústria e fabricante do kit é também fundamental.

 A cadeia produtiva do leite do Brasil vem se profissionalizando cada vez mais, novos desafios têm surgido e precisam ser superados. A produção de leite seguro é cada vez mais demandada e para tal, precisamos implantar ações referentes às Boas Práticas Agropecuárias para prevenir a veiculação de resíduos. Neste contexto, monitorar estes resíduos no leite de vacas tratadas constitui outra ferramenta importante para mitigar o risco e garantir que o leite tenha mais qualidade e seja seguro. Portanto, fique atento! O tempo de agir é agora!

 

Controle de Antibióticos na Fazenda com IDEXX SNAP®

Cada vez mais o foco é realizar o controle de antibióticos nas propriedades rurais. IDEXX SNAP® pode ser feito em campo, pois não precisa de aquecimento ou incubação!

IDEXX SNAP® é uma ferramenta para auxiliar no uso indiscriminado dos antibióticos e evitar a resistência dos agentes causadores de enfermidades, podendo ser usado para testar o leite dos animais individuais e, se estiver livre de resíduos, ele pode ser misturado com o resto do leite no tanque.

O método detecta uma vasta gama de antibióticos com resultados precisos em apenas 6 minutos: beta-lactâmicos (incluindo Cefalexicina), tetraciclina, aflatoxina M1, gentamicina e sulfametzina.

 

Para saber mais, entre em contato com a equipe técnica da IDEXX Brasil:

0800 404 3399 

vendasbrasil@idexx.com

 

Referências:

GORDON, J. I. et al.. The human gut microbiota and under nutrition, Science Translational Medicine, v.4, n. 137 (2012) ps 12. doi:10.1126/ scitranslmed.3004347.

LANGDON, A.; Crook, N.; DANTAS, G.. The effects of antibiotics on the microbiome throughout development and alternative approaches for therapeutic modulation, Genome Medicine, v.8, 2016, 16p.

RIBEIRO, C. S.; BURGWAL, L. H. M.; REGEER, B. J.. Overcoming challenges for designing and implementing the One Health approach: A systematic review of the literature. One Health, 7, 1-19, 2019.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.