FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Hexis patrocina e promove palestra no Curso Autocontrole na Qualidade do Leite realizado pela Viva Lácteos e o SILEMG

A Hexis Científica foi um dos patrocinadores do Curso Autocontrole na Qualidade do Leite, promovido pela Associação Brasileira de Laticínios (VIVA LÁCTEOS) e pelo Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado de Minas Gerais (SILEMG). Além de patrocinar o evento, Eduardo Fontes, Especialista de Produtos na Hexis, palestrou para cerca de 150 pessoas.

O treinamento ministrado pela Professora Titular da Escola Veterinária da UFMG - Mônica Cerqueira ocorreu na última terça-feira, 05 de novembro, no auditório da FIEMG em Belo Horizonte. O evento contou com a presença de diversos profissionais da cadeia de lácteos, como produtores e representantes de indústrias leiteiras.

A abertura do evento foi feita pelo Sr. Celso Costa Moreira e Sr. Marcelo Martins, ambos Diretores Executivos da Viva Lácteos. O Sr. Marcelo Martins trouxe o panorama do cenário do setor leiteiro, relatando a atual abertura do mercado para exportação, além da importância da nova legislação para melhorar a qualidade dos produtos oferecidos aos consumidores, adequando-se às exigências internacionais.

Logo após, a Consultora Técnica da Viva Lácteos - Dra. Cristina Mosquim destacou a importância da indústria estar próxima dos produtores, proporcionando treinamentos e fornecendo métodos eficazes que garantam a qualidade da matéria-prima.

O especialista de produtos da Hexis Científica, Eduardo Fontes, realizou a palestra sobre o tema Limites de Detecção dos Testes para Análise de Antibiótico e a Influência no Descarte de Leite. Eduardo frisou a importância da escolha de kits de triagem adequados e alinhados às legislações vigentes, que, por não serem extremamente sensíveis, não promovem o descarte desnecessário de leite apto ao processo e com total segurança à saúde do consumidor.

Ele demonstrou ainda o impacto que ocorre na rejeição de leite, muitas vezes desnecessária, tanto financeiramente quanto socialmente, visto que este é um alimento nobre e que deve ser disponibilizado para a população, desde que esteja dentro das conformidades para uso e processo.

A presença do antibiótico no leite, estando dentro dos limites aceitáveis pela OMS, não promove risco à população e não se faz necessário o descarte do produto, que, na maioria das vezes, traz um grande impacto ambiental, assim como causa prejuízo ao produtor e ao planejamento industrial.

A professora Mônica Cerqueira liderou o curso falando sobre os Programas de Autocontrole nas Indústrias de Laticínios e PQFL (Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite) – em Conformidade à IN´s 76 e 77. Este trabalho é derivado da investigação de que muitos dos problemas de qualidade do leite na indústria são carregados desde a captação até o processo produtivo. Com isso evidenciou que é preciso padronizar os procedimentos para assegurar a qualidade do leite. “A produção leiteira está muito exposta a riscos de contaminação cruzada e precisamos assegurar que os processos produtivos tenham o mesmo cuidado que outras indústrias alimentícias exigem” – enfatizou a professora Mônica.

Uma das grandes conquistas para a Viva Lácteos foi o lançamento do Manual para Elaboração do Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL) que tem como objetivo contribuir, por meio do acesso à informação, com as indústrias e com produtores com um Programa de Boas Práticas Agropecuárias. Este programa visa tratar sobre a padronização das instalações e processos para garantir a qualidade do leite.

A Professora também destacou a importância de implementar um Programa de Autocontrole que, além de compulsório, deve ter foco na inocuidade na produção alimentícia, assegurando evidências auditáveis, reduzindo o retrabalho nas auditorias não conformes. “A BPA (Boas Práticas Agropecuárias) não deve ser só uma exigência da indústria, mas elas devem sim ser responsáveis por fazer um planejamento e elaborar um monitoramento atrelado à missão e qualidade do produto” – atestou Dra. Mônica, enfatizando a importância de a indústria estar próxima do produtor para entender as particularidades de cada instalação.

Ela afirmou também que as obrigatoriedades em atender a legislação não devem ser só da indústria, mas também do produtor. “A responsabilidade do produtor é implantar as sugestões da indústria e do Ministério, dessa forma ele vai estar em conformidade ao executar o PQFL”, finalizou. 

O encerramento do curso se deu com uma mesa de debate. Nela, os participantes levantaram questões pertinentes sobre o tema. Todo o público se mostrou confiante com a implementação do PQFL, que será um importante passo conduzido pela Viva Lácteos para direcionar as indústrias e os produtores nessa nova diretriz do MAPA para a produção de leite de qualidade ao consumidor.

A Hexis Científica mantém e reforça seu compromisso com a qualidade do leite brasileiro, trazendo produtos e análises de confiança para produtores e indústria. Agradecemos a VIVA LÁCTEOS pela oportunidade na participação nesse curso. Para mais informações sobre o que a Hexis pode oferecer para o mercado lácteo, acesse: www.hexis.com.br.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

TÂNIA NASCIMENTO GONÇALVES

PIRACANJUBA - GOIÁS

EM 26/11/2019

Parabéns pelo curso e pelo lançamento do Manual para Elaboração do Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL).