FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Controle de ectoparasitas com produto homeopático em animais bovinos cruzados

Por Marco Aurélio Factori; Vagner Camarini Alves

Introdução

Segundo Fraga et al. (2003) muitas perdas na pecuária são causadas por parasitas principalmente, por causarem lentidão no desenvolvimento dos animais e consequentemente afetar a produção de carne e leite. Ainda, segundo os autores, os ectoparasitas causam danos no do couro, aumentam os custos dos tratamentos de controle e de um modo geral aumentam a mão de obra do sistema, além de causarem, possivelmente a morte dos animais.

Relatos de Fernandes et al. (2007) consideram grande importância ao ciclo de vida dos parasitas que, grande parte destes indivíduos, passa um período de sua vida no hospedeiro (fase parasitária) e outro período no meio ambiente (fase não parasitária). Sendo assim, a utilização de métodos de manejo ou produtos alternativos é possível sobretudo, se direcionados para cada uma destas fases.

Para tanto, Segundo Rezende (2009) a homeopatia é uma importante ferramenta neste controle. Se resume na ciência informacional, não-molecular e que tem como base os preparados altamente diluídos e sucussionados (dinamizados). É preciso ser estudada visando sua compreensão e adoção, de modo que não seja praticada como nova fonte de insumos substitutivos dos químicos e dos agrotóxicos.

Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito e eficiência do pool matrizes homeopáticas Artemisia Abrotanum CH3, Sulphur CH8, Cuprum Oxidatum Nigrum CH6, Pulex Irritans CH20 em bovinos mestiços da raça Girolando em pastagem com suplementação de ração para medir a eficácia do controle de endo e ectoparasitas.

Material e métodos

Para testar a eficácia do pool matrizes homeopáticas Artemisia Abrotanum CH3, Sulphur CH8, Cuprum Oxidatum Nigrum CH6, Pulex Irritans CH20 para o controle de ectoparasitas (berne, carrapato e mosca do chifre) em bovinos cruzados da raça Girolando. O experimento foi desenvolvido em propriedade particular localizada na cidade de Presidente Prudente/SP. Foram utilizados 14 animais mestiços da raça Girolando sendo estes aleatórios entre machos e fêmeas, e idade variável (8 meses a 3 anos). Os animais permaneceram em manejo diário normal da propriedade bem como no manejo alimentar caracterizado como em pastagem e concentrado, na relação de 90:10, respectivamente de volumoso e concentrado. Antes do início do experimento os animais foram pulverizados para controle de ectoparasitas e sorteados aleatoriamente para compor os tratamentos, com e sem produto.

Durante todo o período experimental os animais permaneciam em dois piquetes, separadamente, intercalados de três em três dias, sendo tratamento e não tratamento. Após três dias os animais mudavam de piquetes para suprimir o efeito de área limpa ou contaminada por carrapatos, moscas do berne e moscas dos chifres. As rações eram fornecidas no cocho, na proporção de 0,8 kg dia por animal. O tratamento controle, era composto apenas com a ração com 18% de Proteína Bruta (PB). O grupo tratamento era composto da mesma ração acrescido do produto teste com produto homeopático.

A coleta de dados foi feita a cada 15 dias onde os animais eram contidos em tronco de contenção e examinados individualmente. Eram contados os bernes e carrapatos subdividindo-se os animais em 7 partes sendo: 1 - cauda e garupa; 2 - membro pélvico; 3 - flanco; 4 - costela; 5 - membro torácico; 6 - região cervical e 7 - cabeça. Após a contagem de bernes e carrapatos o montante somado era anotado em planilha e computado para mensuração estatística. A contagem de mosca era feita estimando-se a quantidade observada e mencionada como sem mosca (0 moscas), infestação baixa (até 30 moscas), mediana (de 31 a 60 moscas), alta (de 61 a 100 moscas) e muita alta (mais de 100 moscas). Todas estas mensurações foram realizadas por pessoas treinadas com parâmetros estabelecidos para suprimir o efeito tendencioso.

As 6 coletas realizadas foram feitas em dias normais sem chuva e com clima parecidos. Foram feitas duas épocas de coleta sendo verão e inverno, com chuva e pouca chuva respectivamente para diminuir o efeito de época. As avaliações estatísticas não avaliaram o efeito época e, sim, somente os tratamentos e coletas.

Foram realizadas 6 coletas a cada 15 dias, contabilizando 7 animais por tratamento em 6 coletas de verão e inverno, respectivamente, iniciando-se sempre 15 dias após o controle de ectoparasitas, como relatado anteriormente.

O experimento foi realizado no delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial considerando o produto (com e sem) em função das coletas (6 coletas com intervalos de 15 dias) por período, totalizando 96 dados experimentais a cada período avaliado. Os dados foram avaliados a 5% de significância pelo teste F.

Resultados e discussão

Na figura 1 estão apresentados os dados referentes ao número total de carrapatos por animal em função da utilização do produto homeopático. Pode-se inferi que as quantidades de carrapatos em animais sem o produto foram significativamente maiores a partir da coleta 75 dias após o início do uso do produto. Para tanto, fora observado que no período total, o efeito do controle do produto homeopático também foi evidenciado.

Em relação ao uso do produto homeopático para o controle do berne, na Figura 1 pode-se observar que não foi significativo o efeito do produto sobre o controle de bernes, no período 1 de coleta experimental.

Na Figura 3 onde estão observados os dados referentes ao controle do produto em relação a mosca do chifre, pode-se inferir que a utilização do produto foi eficiente para o controle de moscas do chifre.

Figura 1. Número total de carrapatos por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no primeiro período experimental.

Figura 2. Número total de bernes por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no primeiro período experimental.

Figura 3. Número total de Mosca do chifre por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no primeiro período experimental.

Nas figuras 4, 5 e 6 estão apresentados os dados referentes ao número de carrapatos, bernes e moscas do chifre respectivamente para o segundo período experimental. Pode-se inferir que no segundo período o efeito de controle do produto sobre os animais e no ambiente foi eficaz e por isso mostrou-se superior para os três parâmetros avaliados.

O efeito do controle do produto sobre os carrapatos (Figura 4) foi presenciado zerando as quantidades dos mesmos nos animais que consumiram o produto. Para o controle dos bernes (Figura 5), embora no começo do segundo período de coleta os números ainda eram não significativos, durante as coletas, precisamente na 4 coleta, ou ainda 60 dias de segunda coleta, os números de bernes foram a zero demonstrando controle também no ambiente em função da troca dos animais nos piquetes. Mesmo não consumindo o produto, os animais não voltavam a se infestar em função do controle no ambiente e não somente no animal.

Para tanto, mesmo as moscas, foram controladas pela ação do produto no animal, porém como o controle de divisa com relação a mosca não pode ser controlado, a presença das mesmas ainda existiu no ambiente, porém em menor quantidade e significativa nos animais que estavam consumindo o produto (Figura 6).

Figura 4. Número total de carrapatos por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no primeiro período experimental.

Figura 5. Número total de bernes por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no segundo período experimental.

Figura 6. Número total de Mosca do chifre por animal em função das coletas (1 a 6) e no período total avaliado no segundo período experimental.

Perante o primeiro e segundo período de avaliação, o produto é recomendado para carrapato e mosca, no entanto, para berne não foi significativo, porém houve tendência para ser melhor em função do discorrido anteriormente, principalmente para o efeito do controle no ambiente. Sendo assim, pode-se inferir pelos dados e por meio do segundo período de experimento, que o produto é indicado para controle dos três ectoparasitas (carrapato, berne e mosca).

Conclusão

Pode-se inferir que a partir dos dados estudados, o pool matrizes homeopáticas Artemisia Abrotanum CH3, Sulphur CH8, Cuprum Oxidatum Nigrum CH6, Pulex Irritans CH20 mostrou-se eficaz no controle da Carrapatos, Bernes e Moscas do Chifre em função dos resultados encontrados. Nenhum animal apresentou intoxicação pelo uso do produto.

Agradecimentos

Control Q Consultoria
Nutriboi Nutrição Animal

Referências bibliográficas

FERNANDES, N.L.M.; SOCOL, V.T.; PINTO, S.B.; MINOZZO, J.C.; OLIVEIRA, C.A.L. Resposta imune-humoral e celular em bovinos da raça Nelore imunizados com extrato de larvas (L2 e L3) de Dermatobia hominis (Linnaeus Jr., 1781). Ciência Rural, v.37, p. 789-795, 2007.

FRAGA, A.B.; ALENCAR, M.M.; FIGUEIREDO, L.A.; RAZOOK, A.G.; CYRILLO, J.N.S.G. Análise de fatores genéticos e ambientais que afetam a infestação e fêmeas bovinas da raça caracu por carrapatos (Boophilus microplus). Revista Brasileira de Zootecnia, v. 32, p. 1578-1586, 2003. (Suplemento 1).

REZENDE, J.M. Instruções práticas geradas por agricultores sobre o uso da homeopatia no meio rural. Departamento de Fitotecnia / Vicente W. D. Casali. Campus da Universidade Federal de Viçosa; Viçosa – MG 2009.

Para saber mais entre em contato pelo box abaixo:

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.