FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Ranking Leite Brasil: maiores empresas cresceram 1,2% em 2018

POR RAQUEL MARIA CURY PEREIRA

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

EM 03/04/2019

5
13

Foi divulgado nesta semana pela Leite Brasil o resultado do 22º Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil no ano de 2018. A pesquisa neste ano apresentou os dados das 13 maiores empresas do setor que tiveram um crescimento de 1,2% na captação de leite, somando um total de 7,5 bilhões de litros (cerca de 20,7 milhões de litros diários). No levantamento anterior, figuraram 14 empresas, incluindo a CCPR/Itambé, cujas informações não constam no ranking de 2018).

A estimativa da capacidade instalada de processamento de leite das empresas do ranking 2018 foi de 10,4 bilhões de litros ao ano (cerca de 28,5 milhões de litros diários); assim, os 13 maiores laticínios utilizaram cerca de 72,6% da sua capacidade em 2018. Vale destacar que em 2017, a capacidade utilizada foi de 62,1%, o que indica uma redução na ociosidade das indústrias (no gráfico 1, apresentamos a evolução da utilização de capacidade das empresas participantes do ranking).

Segundo Roberto Jank, vice-presidente da Leite Brasil, 2018 se configurou como mais um ano no qual o setor mostrou uma estagnação ou pequeno crescimento. “Por meio do levantamento notamos que por mais um ano andamos de lado. Esses 13 laticínios representam aproximadamente 30% da produção formal de leite no Brasil e basicamente eles não mudaram consideravelmente o percentual de leite total. Pelo 5º ano consecutivo, a captação expandiu ligeiramente”, disse.

Gráfico 1 – Capacidade utilizada dos laticínios de 2011 a 2018, em %. Fonte: Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint. 

A produção diária do produtor médio destas empresas cresceu 6,4% - crescimento menos vigoroso que os 7,1% do ano anterior, porém, maior que os 5,4% de 2016. A média de produção por produtor foi de 411 litros/dia contra 387 litros/dia do levantamento de 2017. Também vale destacar que no ranking de 2017, o número de produtores fornecedores havia caído 5% e em 2018, a queda foi menor, de 3,2%.

Gráfico 2. Evolução do volume médio (litros/dia) dos produtores das empresas participantes do ranking da Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint. 

Em primeiro lugar no ranking, a Nestlé viu a sua captação recuar 4,6%, com uma média de 1,6 bilhão de litros. Assim como no ano anterior, Laticínios Bela Vista (Piracanjuba) e UNIUM (Intercooperação de Lácteos das Cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, todas no Paraná) se posicionaram no segundo e terceiro lugar, respectivamente ambas com crescimento, de 4,9% e 0,3%.

É interessante notar que a Nestlé, mesmo com redução de 22,9% no número de produtores de leite, aumentou em 12,6% a produção de leite por produtor/dia, o que mostra que a empresa vem focando em fornecedores mais produtivos e profissionais. O mesmo ocorre com a UNIUM, que teve queda de 12,1% no número de produtores, mas os litros de leite por produtor/dia expandiram 22,3%. 

O maior crescimento na recepção de leite, de 56,3% em relação ao volume verificado em 2017, ficou com a Cativa (Cooperativa Agro-Industrial de Londrina), 10ª colocada no ranking em 2018. Vale lembrar que a cooperativa anunciou no ano passado oficialmente a aquisição de 100% das cotas da Confepar (Agroindustrial Cooperativa Central) a qual pertencia. Além da Cativa, integravam a Confepar outras quatro cooperativas: Colari, Copagra, Cofercatu e Coopleite. Todas foram fundidas e agora integram a Cativa. 

Em quarto lugar em 2017, a CCPR/Itambé não participou do levantamento de 2018, dando lugar a Embaré, que mesmo com redução na captação de 4,7%, assumiu o posto. Nesta semana o MilkPoint publicou uma matéria na qual destaca que a Lactalis – que não participa do levantamento há dois anos -  está prestes a assumir a CCPR/Itambé. A liminar em favor da Lactalis não é definitiva e uma decisão final deverá ser tomada no segundo semestre deste ano. Contudo, sinaliza a tendência de um desfecho favorável à empresa francesa.

Gráfico 3 – As 13 maiores empresas de laticínios segundo o ranking Leite Brasil (milhões de litros processados em 2018). Fonte dos dados: Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint. 

Em número de produtores de leite e igual ao que ocorreu em 2017, o Laticínios Bela Vista foi novamente a empresa com maior quantidade de fornecedores em 2018, totalizando 8.030 produtores de leite e crescimento de 21,1% quando comparado ao ano anterior. Na sequência, são apontadas Aurora (com 4.900 produtores; -11,2% comparado a 2017) e CCGL (4.123 produtores; -4,2% comparado a 2017). A tabela 1 abaixo apresenta o ranking das empresas por número de produtores.

Também, é interessante destacar que além da Piracanjuba, no ranking deste ano, os únicos laticínios que apresentaram crescimento no número de produtores foram a Danone (23,9%), a Cativa (15,5%) e DPA Brasil (11,5%).

Tabela 1 – Ranking dos 13 maiores laticínios por número de produtores em 2018. Fonte dos dados: Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint.

Na quantidade de litros captada por produtor a Danone permaneceu apresentando a maior média, com 1.665 litros/produtor/dia. Este volume é 28,1% inferior ao ano de 2017, mas, 10,5% superior ao segundo colocado, a UNIUM, que teve média de 1.498 litros/produtor/dia e inclusive, o maior crescimento neste item dentre as outras empresas, de 22,3%. Queda na captação diária de leite por produtor foi verificada - além da Danone - na Centroleite (-7,7%), DPA Brasil (-3,5%) e Frimesa (-1,5%).

Tabela 2 – Ranking dos 13 maiores laticínios por litros/produtor em 2018. Fonte dos dados: Leite Brasil, elaborado pela Equipe MilkPoint.

Abaixo é possível conferir o ranking dos maiores laticínios do Brasil na íntegra. 

*Lactalis, CCPR/Itambé, Italac e Tirol não figuraram no Ranking Leite Brasil desse ano, embora o volume processado pelas empresas certamente as colocaria entre os maiores laticínios. 

Equipe MilkPoint, com informações da Leite Brasil.

RAQUEL MARIA CURY PEREIRA

Zootecnista pela FMVZ/Unesp de Botucatu e Coordenadora de Conteúdo dos Portais MilkPoint e MilkPoint Indústria

5

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

NEURI PEREIRA

EM 15/04/2019

muito interessante
LUIZ EDUARDO ARAUJO

ITAPERUNA - RIO DE JANEIRO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 04/04/2019

Observamos que o aumento de volume de leite das empresas analisadas , cresceu 1,2 % de 2017 para 2018.
Por lado , observamos que a capacidade de ocupação das unidades fabris , aumentou de 62,1 % para 72,6 %.
Como foi melhorado este índice nesta proporção , se o leite sí cresceu 1,2 %.
Foram fechadas Unidades Fabris e concentrada a produção em outras plantas?
IONE DENARDIN

SANTA MARIA - RIO GRANDE DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 04/04/2019

Uso esses artigos para mostrar aos alunos dos cursos Técnico em Agropecuária e Zootecnia dados atualizados da produção de leite ,da importância e das necessidades de mercado em termos de Brasil.
Os maiores laticínios ...enfim acho esses artigos interessantíssimos e atualizados.
IONE DENARDIN

SANTA MARIA - RIO GRANDE DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 04/04/2019

Material interessante atualizado.
Recurso atualizado para mostrar em sala de aula (cursos Técnico em Agropecuária e Zootecnia) o crescimento da pecuária leiteira bem como a importância da produção de leite frente as exigências de mercado.
RAQUEL MARIA CURY PEREIRA

PIRACICABA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/04/2019

Olá Ione! Ficamos contentes que você utiliza essas informações para a academia. São importantes mesmo.

Abraços e continue nos acompanhando! Obrigada.