ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Nico Riggio, CEO da Blissimo: "com os lácteos, queremos melhorar o hábito de consumo do brasileiro"

Nascida de uma frustração. Foi essa a explicação que Nico Riggio, CEO da Blissimo, deu quando questionado sobre a história da empresa e como ela está inovando no mercado brasileiro. “Durante anos busquei alimentos e bebidas que conseguissem ter saudabilidade, mas sem abrir mão do sabor. Tenho um apreço muito grande por boa alimentação e isso veio da minha casa. Sem dúvida nenhuma a Blissimo remete à minha origem familiar na Itália, onde comer sempre foi um ritual de muito respeito. Nunca comíamos nada que não fosse escolhido com carinho, pois o importante sempre foi honrar a experiência que existe no momento da refeição. Quando mais velho, já na vida adulta e na correria dos estudos, percebi que estava perdendo um pouco disso e foi então que decidi voltar a fonte, ou seja, comer bem, priorizando o ritual e a experiência, e para isso sabia que era necessária comida de verdade. Foi neste contexto que nasceu a Blissimo” explicou Riggio.

O foco da marca italiana sempre foi romper e quebrar paradigmas nas gôndolas de refrigerados, pois ela entende que é lá que ficam as melhores opções frescas. Assim, a empresa iniciou as atividades com bebidas e sempre priorizando que ‘quanto mais fresco o produtor’, melhor ele é. “Nossa estratégia é simples e ao mesmo tempo, complexa para ser executada: queremos inovar aproveitando cada centímetro daquela que enxergamos ser o nosso lugar, a gôndola de refrigerados. Fazemos o impossível para introduzir produtos saudáveis e com sabor e cada nova categoria carrega aprendizados da experiência anterior. Assim, passamos a enxergar os lácteos dentro do nosso portfólio, já que nunca utilizamos açúcar, conservantes ou químicos. Quanto menos ingredientes utilizarmos, melhor”, disse Nico, em um bate-papo exclusivo com a Equipe MilkPoint.

Ele conta que os laticínios remetem a sua infância, já que desde aquela época, existia a informação de que os nutrientes provenientes do leite são essenciais para o desenvolvimento da saúde humana, seja por meio da proteína ou do cálcio. “O leite tem uma função específica na nutrição humana, não somente para os esportistas, mas também, para pessoas que precisam da energia das proteínas para fortalecer a musculatura e ainda, a função cerebral”, disse. Foi embasada nesses argumentos que a Blissimo apostou neste segmento desde o seu início e hoje é reconhecida. “Sempre estivemos respaldados pela máxima simplicidade e humildade, e, projetando alimentos funcionais e experiências de consumo, resolvemos criar alguns dos melhores lácteos do país”.

Captação de leite

A empresa capta leite de fazendas no interior de São Paulo e se preocupa com todo o processo, principalmente, com a qualidade da matéria-prima, os sistemas de produção e o bem-estar animal. “Embora cresçamos diariamente e o desempenho dos nossos produtos tenha nos surpreendido positivamente, somos uma empresa pequena que prioriza proximidade e qualidade acima de volumes industriais. Na indústria, tentamos evitar o contato humano e desenvolvemos muita tecnologia para que os nossos produtos tenham qualidade máxima. Vale destacar que nenhum dos nossos produtos leva amido modificado, espessante, açúcar, conservantes ou ingredientes que não agregam na pirâmide nutricional. Fora isso, todo o nosso processo é automático e nada é feito manual. Desta forma garantimos que os produtos não tenham contaminações”, disse Nico.

Skyr

De acordo com o CEO, o mercado de iogurte no Brasil ensinou duas coisas nos últimos cinco anos: o consumidor quer alimentos funcionais e não somente um produto vazio, e a segunda, o consumidor sabe muito mais que a indústria.

“Decidimos dar o poder da escolha a esse consumidor que busca uma melhor opção, seja por meio da proteína ou da funcionalidade como um todo. O skyr é, segundo o nosso olhar, o iogurte mais sofisticado do mundo e inclusive muito difícil de ser feito. Por quê? O nosso contém muita proteína, mas ao mesmo tempo, não tem gordura, por isso, fazemos utilizando o leite desnatado. A conclusão é que se podemos fazer um skyr bom, podemos fazer qualquer coisa. O produto em si é prático e muito saboroso, perfeito para quem quer um lanche gostoso e funcional. O segmento já existia, mas faltava essa ‘italianidade’ no quesito sabor e consistência, e decidimos partir daí. Tem mais novidades chegando e vamos surpreender. O segmento dos alimentos e bebidas proteicas evolui e muito e nós sabemos agregar valor em categorias embrionárias e de crescimento - não sabemos fazer outra coisa na verdade - e por isso, decidimos começar pelo mais difícil. Adoramos desafios e como sempre falamos: ‘se pudermos fazer melhor, faremos’”, acrescentou ele, que também acredita que o segmento de produtos premium está em expansão.

“Nós da Blissimo queremos democratizar o segmento lácteo e dar mais acesso aos consumidores para assim, tentar contribuir com a melhoria nos hábitos de consumo de todos. Na primeira fase entraremos no mercado com mais produtos proteicos, alguns inusitados, mas queremos expandir opções de consumo para todos os momentos. Quanto ao mercado, vemos que o consumo per capita de lácteos no Brasil é muito menor que em outros países e isso se deve ao hábito. O iogurte, por exemplo, não está sempre presente no café da manhã como em outros países, e às vezes, é substituto de sobremesas, mas sem dúvidas ele poderia fazer parte da alimentação diária. O nosso desafio é fazer crescer a categoria e queremos que mais pessoas tenham acesso a este alimento tão nobre. O nosso trabalho será de inovar constantemente com produtos e serviços, eliminando barreiras de consumo, criando novos momentos e expandindo a base de novos consumidores. Lácteos não se limitam a leite, queijo e manteiga e iogurte com açúcar como sobremesa. Nós tentaremos trazer mais consumidores dispostos a melhorar hábitos, adicionar nutrição e sonhar com sabores”, destacou.

"Vemos que o consumo per capita de lácteos no Brasil é muito menor que em outros países e isso se deve ao hábito. O iogurte, por exemplo, não está sempre presente no café da manhã como em outros países, e às vezes, é substituto de sobremesas, mas sem dúvidas ele poderia fazer parte da alimentação diária".

Atualmente os produtos da marca estão concentrados em São Paulo e Rio de Janeiro, mas, também podem ser encontrados no Nordeste e Sul do País.

“O nosso principal desafio ainda é manter o nosso desejo de sempre querer fazer mais. Temos uma voz forte no segmento, não descansamos e queremos dominar a gôndola de lácteos proteicos e premium nos próximos cinco anos. O desafio diário se alimenta de uma ambição e propósito muito fortes, que é melhorar os hábitos de consumo das pessoas todos os dias”, concluiu.

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

Zootecnista pela FMVZ/Unesp de Botucatu e Coordenadora de Conteúdo dos Portais MilkPoint e MilkPoint Indústria

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.