FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

AgroFuncionário do Mês: "o objetivo de todos deve ser um só - o resultado do negócio. Este é o grande prêmio"

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

EM 14/09/2016

4 MIN DE LEITURA

2
0

Com o intuito de homenagear a mão de obra rural, fundamental para todas as atividades do agronegócio e cada vez mais escassa, o MilkPoint lançou em abril o “Especial AgroFuncionário do Mês”. O objetivo é conhecer com detalhes quem são essas pessoas que trabalham nos bastidores, mas, ao mesmo tempo, são essenciais para o negócio como um todo, colaborando com grandes benfeitorias dentro das fazendas leiteiras em todo o país.

Para Marcelo Maldonado Cassoli, da Fazenda Capetinga, de São João Batista do Glória/MG, o segredo para motivar e incentivar a mão de obra rural é o próprio ambiente de trabalho. “Passamos a maior parte do dia no trabalho, se não for prazeroso, não dá certo. E para ter um ambiente bom de trabalho, é preciso ter pessoas com os mesmos valores e princípios, ferramentas adequadas, materiais necessários para o serviço e salário justo. E acima de tudo, o líder tem que dar o exemplo e servir seus colaboradores, ter coerência, transparência e constância de propósitos. Metas e missões bem definidas e de conhecimento de toda a equipe também são fundamentais”.

Atualmente a Fazenda Capetinga possui três funcionários e está contratando mais um. Afonso é o nome do empregado que está há mais tempo trabalhando na propriedade, desde 2001. “Ele acompanhou praticamente toda a evolução da fazenda, desde o pastejo rotacionado até o confinamento atual. Sua função sempre foi a alimentação do gado em geral, serviços agrícolas junto comigo, e serviços externos, como manutenção de cerca, limpeza, manutenção de tratores, implementos, entre outros. Aprendeu a inseminar aqui na fazenda, mas essa função hoje não é de sua responsabilidade. Não tem responsabilidades na ordenha ou manejo dos animais, mas tem muito "olho" para cios, partos, animais com problemas etc”, destacou Cassoli.

Afonso, da Fazenda Capetinga 


Afonso foi a viga mestra e, com a sua dedicação e compromisso, fundamental em momentos de aperto, sendo motivador de vários investimentos feitos na fazenda. Quando ele começou, a fazenda tinha apenas um trator de 75CV, simples, sem direção hidráulica, quase sem freio, sem capota, com poucos implementos. “Sei bem o que ele enfrentou por anos no começo, pois desde essa época, sempre fui eu quem cobriu suas folgas e férias. O primeiro vagão era carregado no garfo e faz apenas três anos que trocamos por um autocarregável. Os tratores são todos novos e bem equipados. Todo investimento valeu a pena, pois ele zela pelas máquinas até melhor do que eu. Se fosse outro funcionário, talvez não tivéssemos tido coragem de investir em máquinas novas. E todas as máquinas que eu comprei foram de presente para ele, todas chegaram de surpresa mesmo, sem ele esperar, como forma de recompensa pelo seu empenho e sacrifício. Parecia uma criança ganhando um presente de Natal”, relembra Marcelo.

Fazenda Capetinga

Marcelo M. Cassoli e Afonso 


Segundo o proprietário, além de excelente funcionário, Afonso praticamente faz parte da família e é consultado com frequência sobre assuntos da fazenda, planos e dificuldades - já que tem uma visão diferenciada e costuma dar ótimas sugestões. “Eu até desabafo com ele quando estamos enfrentando problemas com algum funcionário ou diante de alguma tomada de decisão difícil”, frisou Marcelo. Afonso é uma pessoa simples, ótimo pai de família, sensato, passou por muitos sacrifícios na vida e hoje felizmente é retribuído por todo o seu esforço. “Nós dois só não batemos no tamanho: eu com quase dois metros de altura, e ele, com pouco mais de um metro e meio”, ri Cassoli.

A Fazenda Capetinga não conta atualmente com um Departamento de Recursos Humanos e quando um funcionário sai, devido ao quadro pequeno de funcionários, todo mundo acaba entrando na dança, inclusive o proprietário. Por outro lado, a fazenda já é conhecida pelo seu grau de organização e cobrança de resultados, e isto por si só já seleciona em parte os candidatos. “Quem gosta de trabalhar sem compromisso, em fazendas bagunçadas, não se aventura por aqui, ou, se vier a trabalhar, não dura muito tempo. O inverso é verdadeiro: quem trabalha aqui não suporta mais trabalhar em ambientes bagunçados”.

O treinamento e monitoramento, até pelo tamanho da fazenda, são muito próximos e boa parte é feita diariamente. Todo mês uma reunião é realizada para avaliar os indicadores de cada setor, o porquê alguns foram bons e porquê outros foram abaixo da meta. De acordo com Cassoli, o fato dele ser técnico, ajuda nos treinamentos. “Eventualmente também contamos com consultores externos”.

Avaliações mensais são realizadas com todos os funcionários e o fato do proprietário cobrir folgas, ajuda a vivenciar as dificuldades. Como a fazenda está contratando mais um empregado, em breve Marcelo não arcará mais com esse papel – tendo que se adaptar e criar novas ferramentas, como check lists e auditorias para monitorar melhor os processos.

“Criar um bom ambiente de trabalho e uma rede de confiança, aliados a boas práticas de liderança, constroem uma equipe muito unida, que chega a suplantar até questões complicadas da nossa arcaica lei trabalhista. O objetivo de todos passa a ser um só: o resultado do negócio. Esse é o grande prêmio”, finalizou Marcelo.

Confira as edições anteriores do Especial Agrofuncionário do Mês:

Especial AgroFuncionário do Mês: "os funcionários conhecem todos os setores, pois assim, ninguém fica sobrecarregado"

Especial AgroFuncionário do Mês: "o crescimento da fazenda é mais importante para os funcionários do que para os patrões"

Especial AgroFuncionário do Mês: "mantenha sempre uma relação verdadeira com a sua equipe"

Mão de obra rural: o que os bastidores escondem sobre a verdadeira alma do negócio


Sua propriedade também conta com um funcionário que é o braço direito nos afazeres do dia a dia? Você gostaria de homenageá-lo? Participe do “Especial AgroFuncionário do mês” enviando um e-mail para contato@milkpoint.com.br
 

RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

Zootecnista pela FMVZ/UNESP de Botucatu e Coordenadora de Conteúdo do MilkPoint.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROGÉRIO CARNEIRO DA SILVA

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS

EM 15/09/2016

Excelente materia.
PAULO FERNANDO MACHADO

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 15/09/2016

Muito bem e parabéns Marcelo. Pelas suas palavras e comportamento vejo que você incorporou o método do curso do Sistema MDA na íntegra. Os resultados são visíveis, tanto na eficiência dos processos como na satisfação dos funcionários (como o do Afonso, por exemplo). Fico muito feliz que você está tendo o sucesso que merece - você tem a MENTALIDADE GERENCIAL, que é fundamental e um dos pilares do método para se atingir o sucesso. Mais uma vez parabéns!!!

Paulo
MilkPoint AgriPoint