FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Uso de cal para manejo de camas reduz novos casos de mastite

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 27/07/2015

15
0
Atualmente, para maximizar as condições de conforto e higiene do ambiente das vacas leiteiras diversas estratégias tem sido usadas pelos produtores. Isso ocorre porque a melhoria do conforto e da higiene está diretamente associada com aumento do consumo de alimentos e redução de doenças, tais como problemas de casos, mastite e problemas reprodutivos. Considera-se que uma vaca leiteira permanece deitada cerca de 12 a 14 horas por dia, o que significa que durante este período, dependendo das condições de higiene da cama ou do local onde a vaca deita, o risco de novas infecções intramamárias pode ser aumentado.

Nos sistemas confinados, além do adequado dimensionamento das instalações e de boa ventilação, a escolha do material e o manejo da cama são pontos críticos para garantir boas condições de conforto e higiene da vaca. Quando existe boas condições de conforto do ambiente, as vacas deitam-se por maior período de tempo e têm menor ocorrência de lesões de articulação e do jarrete. Além disso, o tipo de manejo da cama pode ter grande influência sobre a ocorrência de novos casos de mastite e a qualidade higiênica do leite. Isto ocorre porque um dos princípios da prevenção de novos casos de mastite é a redução da contaminação por microrganismos na extremidade dos tetos, pois quanto maior a contaminação dos tetos, maior o risco de novas infecções de origem ambiental. Além da contaminação dos tetos, as vacas com úberes e pernas sujos também têm risco maior de aumento de CCS, o que ocorre em rebanhos com superlotação nas instalações, fezes com consistência líquida, pouca frequência de limpeza e de reposição da cama e baixa frequência de limpeza de corredores.

Dentre as opções de materiais a serem utilizados em camas de sistemas de confinamento tipo “free-stall”, as camas orgânicas (serragem, maravalha, cascas) favorecem rápido crescimento de contaminação ambiental, pois a matéria orgânica presente na cama, juntamente com a umidade de origem de fezes e urina, tornam o ambiente altamente favorável ao aumento da contaminação. Por outro lado, as camas de areia são consideradas ideais para minimizar a contaminação ambiental, pois reduz a chance de crescimento microbiano pela ausência de matéria orgânica.

Uso de aditivos nas camas
O uso de aditivos nas camas tem como objetivo aumentar a vida útil do material e reduzir a contagem bacteriana. Um dos aditivos mais utilizados é a cal hidratada, a qual tem função de aumentar o pH da cama (alcalinização) e reduzir o teor de água, o que resulta em condições desfavoráveis para a multiplicação microbiana e aumento da contaminação. A cal hidratada (hidróxido de cálcio, Ca(OH)2) é um composto altamente alcalino, que pode resultar em pH de ~12, o que cria um ambiente desfavorável para o crescimento microbiano. Estudo anteriores indicaram que o uso de cal hidratada como aditivo para camas de vacas leiteiras pode resultar em redução de aproximadamente 100x da contagem bacteriana da cama. No entanto, em rebanhos que iniciam o uso de cal hidratada como aditivo de camas podem ter como consequência negativas na condição de pele dos tetos, dentro de um período de 1 a 2 meses.

Alguns trabalhos de pesquisa avaliaram a eficácia do uso da cal como aditivo de camas de maravalha, em sistemas de confinamento tipo free-stall. Os resultados indicaram que a adição de 0,5 a 1 kg de cal hidratada na região da cama que entra em contato com o úbere da vaca resulta em diminuição da multiplicação microbiana na cama, mas os resultados de redução de casos clínicos em nível de rebanho foram variáveis. Os efeitos da adição da cal hidratada são relativamente curtos, pois a manutenção da carga microbiana e da umidade da cama após a adição da cal duram menos que 48 horas, o que significa que efeitos mais significativos são observados com adição da cal a cada dois dias. Resultados similares de redução da contaminação da cama e da pele dos tetos foram encontrados em estudos sobre a adição de cal em calmas de colchões (0,5 kg a cada 48 horas). No entanto, o contato da cal hidratada em excesso com a pele do úbere e do jarrete pode causar irritação no local. Os resultados de estudos indicam que a irritação pode ser percebida após cerca de 3 dias de uso da cal em camas de colchões e o uso da cal no longo prazo deve ser monitorado para evitar ocorrência de lesões.


 

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

15

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JAMIL

BAURU - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/07/2017

A cal pode ser ingerida pelo animal bovino junto da ração em pequenas quantidades? Tem algum benefício de cálcio?
HERMANN PAULO HOFFMANN

ARARAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/01/2016

Boa noite Liége

Para nós o bagaço de cana não funcionou, aumentou muito os casos de mastite.
Como o bagaço tem umidade há uma reação com a cal vigem assando os úberes das vacas.
Cal virgem com pó de serra é o que utilizamos no momento em cima do colchão do free stall; funciona bem.
LIÉGE ANDRESSA ROHR

CHAPADA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/01/2016

estou comproblemas de mastite fungica no compost barn . usamos 25% de bagaço de cana cana na cama e o restante serragem sera que posso usar cal virgem ou hidratada ou ainda calcareo
JADIEL NUNES RIOS NETO

CASTANHEIRA - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/08/2015

Boa tarde !!
Usei cal hidratado no bezerreiro tropical e percebi que alguns animais tiveram um ressecamento parecendo uma queimadura nos peito , será que é por causa da cal hidratada ? Que vcs usam em bezerreiros ?
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 31/07/2015

Prezado Luiz,

A cal virgem (CaO, óxido de cálcio) pode causar irritação nas vacas, pois quando em contato com a água produz uma reação que libera calor. Sendo assim, já ouvi relatos de queimadura em vacas e até de queima da cama (principalmente quanto se usa material muito seco).. Eu tomaria muito cuidado com o uso de cal virgem. O mais seguro seria usar a cal hidratada, que quando em contato com a água não libera calor.

Atenciosamente, Marcos Veiga
LUIZ BOMFIM TAVARES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/07/2015

Mudamos de Cal Hidratado para Cal Virgem de 02 em dois dias. Aplicamos o produto em cima da areia e misturamos, melhorou em muito os problemas de contaminação.
ALBINO GONÇALVES NUNES NETO

PATROCÍNIO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2015

Kaio, qual produto que você usa como pre e pos??
HERMANN PAULO HOFFMANN

ARARAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2015

Prezado Prof. Marcos

Muito bem esclarecido.
Utilizamos serragem sob as camas de colchão e tb. aplicávamos cal hidratada; há alguns meses mudamos para cal virgem, sinto que houve melhora.
A frequência da aplicação da cal virgem nos colchões é 3 x semana.
Deve-se evitar umidade no uso da cal virgem.
Testamos bagaço de cana com cal virgem , foi desastroso.
A umidade do bagaço reagiu com a cal virgem esquentou, assou os úberes das vacas com aumento repenntino de mastites clínicas.
Agradeço a disponibilidade do artigo.
ODAIR

ÁGUA SANTA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2015

Marcos, muito obrigado pela resposta, estou encaminhando o projeto do meu Compost, e estou coletando informações para minimizar as chances de erro. Obrigado pela resposta! Abraço.

FLAVIO SUGUIMOTO

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/07/2015

Prof. Marcos Veiga,

Já usamos a cal hidratada na assepsia de camas e corredores, porém estavamos pensando em usar o calcario devido ao seu custo ser 10% da cal hidratada.

Pesquisando alguns trabalhos na área de calagem de solo achei um interessante que mostra a curva do PH usando calcario bem proximo da cal.

http://fundacaoprocafe.com.br/sites/default/files/publicacoes/pdf/2%20-%20Efeito%20do%20calc%C3%A1rio%20l%C3%ADquido,%20cal%20virgem%20dolom%C3%ADtica%20e%20calc%C3%A1rio%20comum%20na%20corre%C3%A7%C3%A3o%20do%20solo.pdf

MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 28/07/2015

Prezado Flávio, a cal hidratada é um produto derivado do calcário (submetido a 900oC). Sendo assim, são compostos diferentes (cal hidratada: Ca(OH)2; Calcário: carbonato de cálcio (CaCO3). Os estudos que tive acesso foram feitos com cal e não com calcário. Confesso que não sei qual a diferença de resultados com o uso de calcário.

Atenciosamente, Marcos Veiga
FLAVIO SUGUIMOTO

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/07/2015

Prof. Marcos Veiga,

Pode-se usar calcario agricola?

atenciosamente,
Flavio Suguimoto
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 28/07/2015

Prezado Odair, NÃO é recomendado o uso deste tipo de aditivo (cal hidratada) em camas de compost barn. O objetivo do uso da cal é reduzir a multiplicação microbiana, o que não pode ocorrer no sistema de compostagem, que necessita que ocorra multiplicação microbiana.

Atenciosamente, Marcos Veiga
ODAIR

ÁGUA SANTA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/07/2015

Muito bom,
pergunto, e no Compost Barn, é indicado? Posso usar ou pode comprometer a flora da cama? Um abraço!
KAIO

IBAITI - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 28/07/2015

Parabéns pelo artigo uso cal na cama a alguns meses tinha um problema Grande ressecamento dos tetos comecei a usar um pré e pós diping com hidratante e resolveu o meu problema e o rosa do que ele não é o dos mais caro e mostrou um resultado impressionante