ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Uso de areia reciclada na cama de vacas leiteiras

POR MARCOS VEIGA SANTOS

E GUSTAVO FREU

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 18/01/2018

13
9

A interação entre a vaca e o ambiente é fundamental para a saúde e a produtividade do rebanho. Existem vários tipos de ambientes que as vacas podem permanecer confinadas, nos quais são utilizados diferentes materiais como cama (orgânicos ou inorgânicos). No entanto, o tipo de material que é utilizado como cama afeta o tempo que as vacas permanecem deitadas e a saúde. Vacas alojadas em ambientes confortáveis podem permanecer por até 12 a 13 horas deitadas.

Pelo fato das vacas permanecerem grande parte do tempo deitadas, a superfície das camas torna-se uma das principais interações que elas têm com o seu ambiente. No entanto, isso pode representar uma ameaça para a saúde das vacas, pois os diferentes materiais utilizados como cama podem apresentar diferentes contagens bacterianas, e forma oportunista, as bactérias contaminantes das camas podem colonizar o canal do teto e ocasionar mastite.  As camas de origem orgânica (como a serragem e maravalha) permitem uma maior velocidade de multiplicação de microrganismos que as camas inorgânicas (e.g., areia), pois há a disponibilidade de substratos para as bactérias presentes no material orgânico.

A utilização da areia como material de cama apresenta bons resultados em relação ao conforto das vacas. Quando comparado o uso de areia com outros tipos de materiais (e.g., palha ou serragem), observou-se que o número de vacas que permaneciam deitadas em camas de areia era maior em comparação a camas de palha ou serragem. Atualmente, muito rebanhos tem usado a areia reciclada na cama, mas deve-se estar atento a algumas diferenças entre estes dois tipos de materiais: o teor de matéria orgânica, o teor de matéria seca e o tamanho de partícula, que podem alterar o grau de sujidade das vacas e o risco de mastite.

Um estudo desenvolvido por pesquisadores americanos determinou os efeitos do uso de cama de areia reciclada sobre o comportamento de deitar e a higiene de vacas leiteiras em lactação. Foram utilizadas 64 vacas, divididas igualmente em 4 grupos (8 vacas cada grupo), durante duas estações (inverno e verão). As vacas foram alojadas em duas condições de cama: a) com areia reciclada; b) com areia limpa (sem uso anterior). Foi mensurado o tempo e a duração de cada período em que as vacas permaneceram deitadas e o número de passos por dia. Além disso, foi mensurada a temperatura retal das vacas, colhidos suabes da pele dos tetos, amostras de leite das vacas e de areia das camas e avaliados o escore de higiene do úbere.

Em ambas as estações o comportamento de deitar das vacas não foi afetado pelo tipo de cama, que variou de 11,5 a 11,9 h/dia (Figura 1). Este resultado sugere que as camas estavam adequadas, o que pode ter ocorrido pela pequena variação no teor de matéria seca das areias utilizadas como cama no estudo atual (> 88%).

Figura 1: Tempo que as vacas permaneceram deitadas em camas com areia limpa e reciclada durante as estações de verão e inverno (média de uma a semana). Adaptado de Kull et al, 2017.

Com relação ao escore de higiene, as vacas foram consideradas limpas nos dois tipos de cama, apresentando escore inferior a 1 com base em uma escala que varia de 1 (vaca com pouca sujeira aderida) a 4 (vaca coberta por sujeira). Diante disso, os riscos de as vacas desenvolverem mastite subclínica foi baixo nos dois tipos de cama. Da mesma forma, esse resultado também está associado à pequena variação no teor de matéria seca dos dois tipos de areia, diminuindo a adesão de substrato a região do úbere. No entanto, o escore de higiene foi maior para as vacas em areia reciclada durante o inverno, mas mesmo assim, ambas as estações apresentaram escores inferiores ao que é considerado como fator de risco para as vacas (escore 3 ou 4).

Apesar das pontuações de higiene do úbere indicar que as vacas estavam limpas, foi encontrada uma maior contagem bacteriana para a areia reciclada. No entanto, mesmo com o aumento da carga bacteriana, esse limiar não foi suficiente para caracterizar uma vaca em um escore de higiene superior a 0 ou 1. Esse fator, associado às baixas contagens bacterianas das camas (<1000 bactérias/mL), sugerem que a areia, mesmo sendo reciclada, não representou risco ambiental para as vacas.

Os resultados deste estudo sugerem que a areia reciclada pode ser usada como material de cama, sendo segura e confortável para vacas leiteiras, pois não reduziu o tempo em que as vacas permaneciam deitadas e não aumentou a contaminação da pele dos tetos.  No entanto, neste estudo, a areia foi reciclada apenas uma vez, apresentou alto teor de matéria seca e sua composição pode não ter sido alterada completamente. Diante disso, deve-se tomar cuidado com a reciclagem adicional da areia a fim de verificar se o processamento do material pode progredir a ponto de afetar a saúde das vacas e tornar as cargas bacterianas da cama como uma potencial preocupação. Atualmente, não ainda foi totalmente estudado qual é o limite da carga bacteriana em areia reciclada e quantas vezes o material pode ser recuperado e utilizado como cama, sem riscos para saúde das vacas.

KULL, J. A. et al. Journal of Dairy Science, v. 100, n. 9, p. 7379-7389, 2017.

*Gustavo Freu é mestrando do Departamento de Nutrição e Produção Animal da FMVZ/USP e pesquisador do Laboratório Qualileite-FMVZ/USP.

 

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

13

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANDREA LILIA VIEYTES

BUENOS AIRES - BUENOS AIRES - PESQUISA/ENSINO

EM 01/02/2018

Prezado Prof Marcos
Muito boa resposta.
Obrigada
MARIO PINTO FILHO

ITAÍ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 23/01/2018

Prezado Prof Marcos

Não me ficou claro do por que não se pode ter a cama de areia igual no compost barn, se o tempo que as vacas ficam deitados são quase semelhantes nos dois tipos de confinamento ? Poderia ser um misto de areia e palhas ou maravalha?

Grato pela resposta.
EVILAZIO RICARTE

SERRA DO RAMALHO - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/01/2018

Bom o seu questionamento Sr. Mário, tambem me faço essa pergunta. Um abraço.
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2018

Prezado Mario, no sistema de compost barn, a cama NECESSITA ser fermentada (processo de compostagem), o que somente ocorre se o material da cama for orgânico. A areia é um material inorgânico que não sofre compostagem. Atenciosamente, Marcos Veiga
LUIZ BOMFIM TAVARES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/01/2018

Atualmente no free-stall usamos areia nas camas das vacas, fazemos a raspagem com trator e não separamos. O senhor poderia indicar fazendas que realizam o processo de reciclagem (por decantação) e também as que utilizam equipamentos para reciclagem. Gostaríamos de visitar.
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/02/2018

Luiz, conheço uma fazenda em Formiga-MG que tem sistema de separação de areia, usada em camas de free-stall. Envie um email para mim para passar o contato do veterinário. atenciosamente, Marcos Veiga
ANDREA LILIA VIEYTES

BUENOS AIRES - BUENOS AIRES - PESQUISA/ENSINO

EM 22/01/2018

Como reciclada areia?
Obrigada
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 20/01/2018

Prezada Andrea, o sistema de reciclagem da areia depende do tipo de sistema de limpeza do galpão do free-stall (flushing, raspagem com trator ou raspagem automática ou manual). De forma geral, a reciclagem da areia é feita por meio de separação física da areia e do esterco (por decantação) e posteriormente a areia é colocada em montes para que ocorra a degradação da matéria orgânica e drenagem do excesso de esterco e secagem (redução de umidade). Além disso, atualmente, existem equipamentos para reciclagem de areia que atingem eficiência de 90-95 de reciclagem da areia usada em camas. Como o uso de equipamentos de reciclagem de areia, o material pode ser continuamente reciclado, atenciosamente, Marcos Veiga
EVILAZIO RICARTE

SERRA DO RAMALHO - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/01/2018

Estou prestes a iniciar um compost barn e minha na minha região é muito mais facil encontar areia de Rio do que maravalha ou palha de café etc. Sendo assim eu já estava pensando em formar a cama com areia, lendo essa matéria fiquei mais animado ainda. Pelo que tenho lido ha a necessidade de revirar pelo menos duas vezes ao dia a cama com maravalha, com a areia é a mesma coisa? A cama de maravalha é trocada uma vez por ano correto? A areia tem essa mesma durabilidade?

Obrigado
Evilazio Ricarte
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 21/01/2018

Prezado Evilazio, o artigo aborda o uso de areia reciclada SOMENTE para confinamento do tipo free-stall. Para confinamentos do tipo composto-barn a cama OBRIGATORIAMENTE tem que ser de material orgânico, pois necessita de compostagem, o que somente ocorre com camas orgânicas, atenciosamente, Marcos Veiga
EM RESPOSTA A MARCOS VEIGA SANTOS
EVILAZIO RICARTE

SERRA DO RAMALHO - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/01/2018

Ola Sr. Marcos, agradeço pela explicação, sendo assim irei formar a cama com maravalha, obrigado.
FLAVIO CARVALHO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS

EM 19/01/2018

Bom dia Marcos, no caso da areia reciclada, qual a periodicidade da reciclagem e se é indicado algum produto químico/ biocida a ser aplicado na areia que não agrida a pele do animal? Grato!
MARCOS VEIGA SANTOS

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 21/01/2018

Prezado Flávio, veja a resposta acima sobre os sistemas de reciclagem de areia. Isso vai depender do tipo de equipamento ou sistema usado para reciclagem. Não recomendo adição de produto químico/desinfentante. O importante em termos de reciclagem é que a areia reciclada tenham < 5% de bateria orgânica e <10% de umidade. Atenciosamente, Marcos Veiga